A Mágica da Arrumação: a arte japonesa de colocar ordem em casa e na vida

Livros e mais livros chegam à redação de Donna diariamente. Não vou ser hipócrita de mentir que utilizamos todos: eu diria que sete em cada 10 não são aproveitados para nenhum tipo de matéria. Simplesmente não interessam à pauta da revista e particularmente também não me interessam para o blog. Eles não são colocados no lixo, imagina! Livro a gente não coloca no lixo, a gente passa adiante – seja em feirinhas entre os colegas, em doações para instituições de caridade, para presídios femininos, para lares de idosos…. Há sempre alguém que se interessará por algum tipo de leitura.

:A história de quem escreve sua história
:Um guia para nunca mais perguntar o que vestir

Dia desses, chegou em minhas mãos uma exceção a tudo isso. Eu havia acabado de entrar na redação, na sexta-feira passada, após voltar da Feira do Livro de Santa Maria, como contei no post UMA NOITE PARA RECORDAR NA QUERIDA SANTA MARIA, quando a Mari Scholze aproximou-se com o respectivo nas mãos, colocou em cima da mesa e disse: “Olha o que chegou. Achei a tua cara!”. Mari Scholze realmente me conhece como poucas. Era realmente a minha cara.

Olha!

magicaPAIXÃO À PRIMEIRA VISTA!

Sou louca por arrumação, colocar a casa e o closet em ordem significa colocar a vida em ordem – e eu necessito que minha vida ande sempre em ordem para conseguir enxergar as alegrias e adversidades que se apresentam no dia a dia. Também sou louca pela cultura oriental, já disse e repeti sobre meu sonho de conhecer o Japão. Por todas essas razões, não tinha como não me apaixonar de cara por um livro sobre organização escrito por uma autora japonesa de 30 anos.

p22-odonoghue-marie-kondo-b-20141012MUITO PRAZER, SOU MARIE KONDO!

Também já gostei de cara do jeitinho fofo e do rostinho simpático da Marie Kondo – também chamada de KonMari. Então, no sábado de manhã, tão logo recebi a alforria do animal para fazer alguma coisa em meu benefício próprio (depois do passeio dele, é claro!), me sentei na sala, enquanto o Chico trabalhava no escritório, e comecei a folhear o livro. Li alguns capítulos, passei os olhos em outros e achei que valia muito a pena dividir com vocês, porque é muito interessante e curioso. A Mágica da Arrumação já vendeu mais de 2 milhões de cópias e já esteve durante semanas na lista de mais vendidos do New York Times e da Amazon.

:O paradoxo da escolha
:Vinte e dois anos depois, comi um cookie de verdade

Achei uma coincidência muito grande alguns assuntos que a Marie Kondo toca, pois eu me vi neles dia desses quando arrumei meu closet, como contei no post NÃO EXISTE LIBERDADE MAIOR DO QUE (RE)DESCOBRIR NOSSO ESTILO. Tenho mania de me afeiçoar às coisas. Trocar de carro pra mim é um problema. Me apego ao carro como se fosse um filho, um companheiro. Me sinto uma ingrata trocando ele por outro e deixando meu amigo de tantos anos estacionado numa concessionária a Deus dará. É sério. Preciso trabalhar essas coisas em mim, eu sei, mas é mais forte do que eu, o que posso fazer?

bento1ELA NÃO BATE BEM

Só para corroborar a tese do Bento, porque não tiro a razão dele, outro momento crítico desses de me afeiçoar às coisas aconteceu lá em Santa Maria.

bento1NÃO ACREDITO QUE TU VAI CONTAR AQUILO

Estamos entre amigas aqui no blog, e as gurias me entendem. Não vejo problema nenhum de contar.

bento1DEFINITIVAMENTE, ELA NÃO BATE BEM

Eu tenho sempre um kit miniatura Lolita, da Emporio Body Store, para viagens curtas. Um kit Lolita para viagens curtas significa um hidratante corporal + shower hidratante de banho + sérum corporal. Todos em miniaturas. São meus companheiros para essas viagens bate-volta, sabe assim? Fizemos várias juntos.

Olha!

16_43_23_368_8013BCOMPANHEIROS DE JORNADA!

Pois lá em Santa Maria, o shower hidratante terminou. E quem disse que eu conseguia abandonar o coitado no box do banheiro? Fui arrumar a mochila de volta para Porto Alegre e só via aquele vidrinho vazio me olhando lá do box e dizendo: “Tu vai mesmo me deixar aqui sozinho? Depois de tudo o que passamos juntos, tu vai me abandonar nesse hotel para as camareiras me jogarem no lixo?”. Eu ia e voltava do banheiro, sem saber o que fazer. E pensava: “Mariana, não entra numas. É só um vidro vazio”. E daí eu voltava pro quarto e o vidrinho me dizia: “Pelo menos me dá um final digno. Pelo menos se despede de mim e me coloca no lixo. Mas não me abandona aqui, como se eu tivesse sido esquecido”.

MULHER PANICCOMECEI A FICAR MEIO PARANOICA

Então, parei, pensei e coloquei a cabeça em ordem. Resolvi fazer o que ele pedia. Juntei os dois vidrinhos e nos despedimos do shower hidratante. Demos um beijo nele de profundo agradecimento e gratidão pela companhia em tantas jornadas e fizemos um enterro justo e digno no lixo do quarto.

bento1PODE SER NORMAL?

Mas eu contei toda essa história porque me identifiquei muito com um capítulo do livro da Marie Kondo (e agora, depois de todo esse rodeio, volto para o assunto principal deste post: o livro). Neste capítulo ao qual me refiro, ela fala especificamente sobre a arrumação de armário – e o título é: “Como Escolher: Deixa Você Feliz?”. Lá pelas tantas do capítulo, Marie escreve: “Você pode questionar a eficácia de um critério tão vago (como “jogue fora o que você não usa ha um ano”), porém o truque é avaliar itens um a um – e lançar mão do sentimento por cada objeto que se possui. Não basta abrir o guarda-roupa, dar uma olhada e decidir que tudo ali faz você se sentir bem. É preciso segurar cada peça de roupa nas mãos. Quando tocamos uma roupa, o corpo reage – e reage de forma diferente de acordo com a peça. Pode acreditar, experimente.

mulher-positivoJÁ EXPERIMENTEI E FAZ TODO SENTIDO, MARIE KONDO

Ela continua: “Há um objetivo para eu ter escolhido este critério. Afinal, qual é a razão de se fazer a organização? Se não for para que o ambiente e as coisas dentro dele nos tragam felicidade, não vejo sentido em organizar. Assim, a melhor forma de escolher o que guardar e o que descartar é pensar naquilo que nos faz felizes”.

03-por-ai-mulher-gritando5NÃO FAZ TODO O SENTIDO?

Você fica feliz usando roupas que não lhe trazem nenhuma sensação boa? Você fica alegre rodeada de livros que nunca leu e que sabe que não irão tocar seu coração? Acredita que ter acessórios que nunca vai usar lhe deixará mais contente? A resposta a essas perguntas deve ser “NÃO”. Aconselha Marie: “Mantenha apenas as coisas que lhe falam ao coração e tome coragem para passar adiante todo o restante. Imagine viver em um ambiente que só contenha coisas que lhe dão alegria. Não é esse o estilo de vida dos seus sonhos?”.

business-people-group-shoutingSIIIIIM, MARIE!

Marie Kondo começou a se interessar por revistas femininas sobre assuntos domésticos já aos 5 anos de idade e foi o que a inspirou a, a partir dos 15, dedicar-se seriamente a arrumar e organizar ambientes. Hoje, ela viaja o mundo como consultora e passa a maior parte do tempo visitando casas e escritórios e dando conselhos práticos para aqueles que querem acabar com a bagunça, mas não sabem por onde começar. Há uma lista de espera de três meses para quem deseja contratar seus serviços. Separei alguns conselhos práticos e geniais da Marie.

Olha!

professoraA SEGUIR, CONSELHOS PRÁTICOS DA MARIE SEPARADOS PELA MARI

1) O melhor lugar para guardar uma bolsa é dentro de outra bolsa.
2) Não compre produtos essenciais para organização. A ideia é diminuir a quantidade de itens em casa e não comprar mais.
3) Guarde os objetos porque gosta deles e não “porque sim”.
4) O objetivo de um presente se cumpre na hora em que o recebemos. Por isso, não tenha medo de se desfazer de lembranças que recebeu e nunca usou.
5) Você guarda um monte de fios e cabos que não sabe de onde são? Jogue-os fora. Só mantenha aqueles cuja função você consiga identificar.
6) Qual foi a última vez que você abriu um manual de instruções? Desfaça-se deles, pois não servem pra nada.
7) Esvazie o conteúdo daquelas caixas onde guarda objetos aleatórios, como botões soltos, prendedores de cabelos, moedas, canetas, bloquinhos promocionais.
8) Arrume por categoria e não por cômodo.
9) Livros que você pretende ler um dia equivale a “livros que você nunca vai ler”. Leia-os agora ou livre-se deles.

Woman-prayingAMÉM, MARIE

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.