A polêmica do Panga

Eu sou uma impostora. Peço um milhão de desculpas a quem ficou na expectativa pela minha ida ao Bier Keller. Acontece que… não tive condições. Explico: a Ellen vai ficar meio indignada, mas minha explicação passa pela minha dieta, desculpa, Ellen, mas vou ter que tocar neste assunto :-)

Estou há 12 dias de dieta, consequentemente, um pouco mais fraca do que o normal. Daí, sexta, resolvi tomar uma dose de caipirinha – uma dose só o médico permite. E apaguei. Sorte que estava em casa. Consegui tatear até a cama e apagar no lugar  certo. Bom, sábado eu não era gente. Só fui me recuperar hoje de manhã. Com a vida devolvida a mim, fui almoçar ali no Moinhos de Vento. E aí chego agora aonde quero chegar.

Estava super a fim de comer peixe – e o restaurante oferecia opção de peixe. Mas era Panga.

– Panga eu não como – disse uma amiga minha.

E daí lembrei que, dia desses, almoçando com meu marido em outro restaurante ali pelos arredores do Moinhos de Vento, ele disse a mesma coisa:

– Panga eu não como.
– Mas qual o problema do Panga? – perguntei.
– Não ouviu dizer? – ele respondeu. – Panga é popularmente conhecido como “peixe lixo”. Recebi um email alertando para não consumir Panga, porque ele se alimenta de dejetos dos rios da China. Enquanto não tirar essa história a limpo, não como Panga.

Fiquei ali, parada, olhando pra grelha. E também resolvi não comer Panga. Mas achei meio infundada a história. Como é que o governo brasileiro liberaria a importação se o peixe fosse um lixo? Recorri ao Google. Encontrei o seguinte: o Panga é cultivado há mais de mil anos no Rio Mekong, no Vietnã, um dos maiores rios do mundo, localizado no sudeste asiático. Há muitos anos, é exportado para Europa e EUA, além de Japão, Rússia e Austrália. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) do Brasil realizou uma série de análises nesta espécie, com o objetivo de confirmar a alta qualidade do produto, que foi aprovado sem restrições.

Nesta mesma página, apareceram um milhão de comentários de pessoas que comeram Panga – uns prós e outros contra. Vale a pena dar uma olhada: http://www.agrolink.com.br/culturas/milho/NoticiaDetalhe.aspx?codNoticia=108115

Quanto a mim, não consegui ainda ter uma opinião formada. Vou dar mais uma estudada no assunto. Sobre o Bier Keller, ainda vou. Quando resolver não dar uma de peru e morrer de véspera.

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.