A sopa de ervilha da Lulu

Foi a última vez. Eu juro para mim e para quem quiser servir de testemunha que foi a última vez que comi um Pampa Burger de madrugada.

mulher-vomitandoESTOU MAL ATÉ AGORA

Não sei porque insisto nessa maldita ideia de parar no Pampa Burger cada vez que saio da casa da minha amiga Alemoa. Se não comesse nada na casa da Alemoa, ainda vá lá. Mas nunca é o caso. Sempre fazemos churrasco. E eu sempre dou um jeito de sentir fome na volta pra casa de madrugada. E sempre peço para o Chico parar no Pampa Burger.

11ELE SEMPRE ACHA UMA BOA IDEIA

bento1EU NUNCA SOU DOS INCLUÍDOS

Já comi vários sabores: Anita, Pampa Burger, Maragato, Borghetinho, Garibaldi e La Plata. O fatídico da noite do último sábado foi o La Plata.

Olha!

eeLA PLATA ÀS 4H DA MADRUGADA

Na hora, estava divino. Na manhã de domingo, acordei com uma pedra no estômago. Sorte que ainda pedi o petiço (que é a versão menor). Chico, esganado, comeu o a versão bagual do Gringo. Passou o domingo resmungando e tomou um galão de água de 5 litros.

bento1CHICO ESTAVA UM TRASTE

Tudo o que o pobre do Chico queria era uma sopa de ervilha. Uma sopinha qualquer que fosse. Ofereci uma cumbuca de lentilha e deu para o gasto. Foi então que lembrei que minha doce irmã estava me devendo a receita de sua sopa de ervilha. Explico: demos de presente para a Lulu e para o Magro uma embalagem de ervilha que o Chico produz. Com a condição de que fizessem uma linda sopa e nos mandassem a receita.

Olha!

sopa na panela valeOOOOOHHHHHH!!!
Fervilhando na panela de ferro!

Lulu mandou a receita ontem por Whats App e trocentas mil fotos dos preparativos. Como hoje é segunda-feira e a vida não está fácil, tenho 32 páginas da revista Donna em branco me encarando, selecionei algumas, mas não vão comprometer a aplicabilidade da receita.

Olha!

sopa ingredientesALGUNS INGREDIENTES UTILIZADOS

Escreveu a Lulu: “Picar cebola, alho, gengibre, cenoura e aipo. Refogar com azeite de oliva, sal, pimenta do reino, shoyo e um pouquinho de azeite de dendê. Misturar a ervilha lavada e colocar um litro de água. Cozinhas por 45 minutos. Baixar o fogo depois de ferver. Se evaporar muita água, coloca mais um pouco”.

E o resultado!

sopa na cumbucaOOOOOOOHHHHHH!!!
Tudo é uma questão de boa apresentação, vai dizer?

Não sei o que são aqueles verdinhos ali em cima, mas acredito que seja salsinha picada. É isso, Lulu? E as torradinhas foram feitas com pão sírio integral no forno pra ficar croc croc. E agora com licença que vou tomar um Omeprazol.

mulher-vomitandoNÃO CONSIGO ESQUECER DAQUELE LA PLATA

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

Sem comentários ainda.
  1. Mari, adorei a receita!! Fiz ontem à noite, com pequenas adequações, ficou ótimo! Maridão agradece hehehe E agora há pouco falei com minha mãe, super orgulhosa, conforme diálogo que segue:

    – Eu: Bah, mãe, tem que ver a sopa de ervilhas que fiz ontem. De lamber os beiços.
    – Mãe: sério, minha filha? De onde pegaste a receita?
    – Eu: do blog da Mari Kalil, aquela jornalista da Donna.
    – Mãe: Mariana Kalil??
    – Eu: sim, por que?
    – Mãe: acho que ela já morou aqui no nosso prédio quando pequena, ela tinha cabelo cacheado, loirinha, uma graça. O pai dela é o Dr. Kalil??
    – Eu: Bahhhh mãe, será que a Mari já foi minha vizinha e eu não sabia??? Olha, ela não é loira e não sei se o pai dela é o Dr. Kalil. Mas vou perguntar!!!

    Mari, tu já morou na Rua Artur Rocha quando era criança?? 😀

    bjs

    1. Hahahahahahahaha!! Olha, eu nunca fui loirinha nem cacheada, mas minha irmã, sim. Moramos quando pequenas na 24 de Outubro. E meu pai é o Dr.Kalil. Dr. Renato Kalil. E agora estou morrendo de curiosidade!! E amei saber da sopa! Bjo. MK

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Né?! 🤣
E toca o barco, como dizia meu amigo @boechatreal ♥️
  • Repost @vitalvetpoa “Desejamos que todos os nossos amigos e clientes tenham uma segunda-feira igual à do Bento: agarradinho na sua almofada enquanto curte sua sessão de acupuntura naquela sonequinha gostosa com a língua de fora”. Meu agradecimento eterno. Quem ama cuida. 🐶♥️
  • Que o vento leve o necessário e nos traga o suficiente. ♥️🐶🙌🏻 #bento #xerife #companheirodejornada
  • Figos de Elsa! 👌🏻
• Seleciona lindos figos
• Corta a tampa rente ao talo
• Retira um pouco da polpa, coloca em um pratinho fundo, acrescenta queijo gorgonzola, amassa e mistura bem os dois
• Retorna com esse recheio para dentro do figo
• Pouco antes de servir, leva ao forno para gratinar rapidinho
• Na hora de levar à mesa, escolhe um prato bonito, faz algumas ranhuras com mel, polvilha flor de sal e voilà! Bon appétit! #entradinhadofindi #dicadamari #coisasdeelsa
  • Patricia foi minha boxer dos cinco meses de vida aos 12 anos de idade. Ganhei a Patricia de presente e fiquei muito incomodada. Cachorros têm sentimento, coração, pulmão. Cachorros não são vasos, lustres, sabonetes. Cachorros não são presentes que devemos ganhar sem o nosso consentimento. E a Patricia entrou na minha vida sem o meu consentimento. Eu não estava disponível para cuidar da Patricia naquele momento, eu estava com passagem comprada para São Paulo, contratada para um novo emprego, para um outro estilo de vida que exigia demais da minha capacidade profissional. Então, curti a Patricia por alguns meses, mas precisei ir embora. Durante anos, ela viveu na casa dos meus pais, e eu pedia notícias diárias por telefone. Voltava a Porto Alegre sempre que podia para que ela soubesse que meu comportamento não significava abandono, apenas nos encontramos em circunstâncias desfavoráveis. Pra mim; pra ti; pra nós duas, Patricia. Quando regressei definitivamente a Porto Alegre, Patricia havia acabado de completar 12 anos de idade. Ela sabia desde sempre, por mais de uma década, que pertencia a mim, e eu a ela. Aproveitamos nosso último ano com passeios em ritmo lento, com suas bochechas esbranquiçadas, com a fidelidade rara que só os animais conhecem. Ela partiu pouco tempo depois. Comemos um cheeseburger juntas no nosso último dia sentadas na grama do parque - e o bafo do queijo com mollho de catchup com maionese naquele pão ela sopra de quando em vez no meu nariz, durante a madrugada. Patricia desapareceu dos meus olhos, mas segue onipresente em cada minuto da minha vida. E eu tenho certeza que quando for a minha hora de cruzar a porta que leva para o outro lado da vida, ela estará lá, abanando o rabo e com o focinho rosinha para me buscar. #tbt. Porto Alegre, março de 1999
  • Minha irmã que criou. Minha irmã que me deu. Chato ter uma irmã assim, vai dizer?! 😜#convexoshoes #lojaconvexo #convexopoa #slipon #trendalert #animalprint