Alpargata-espadrille: a musa do verão 2015

Sumi, desapareci, me escafedi. Passei a segunda-feira trancafiada em casa decupando a entrevista da reportagem de capa da próxima revista Donna. Doze horas encerrada no bunker. Quando me liberei, me atirei no sofá e fiquei feito morta viva olhando para o nada, de barriga pra baixo. Chico tentou me dar comida, mas eu não me mexia. Era uma moribunda zonza.

bento1ATÉ EU FIQUEI PREOCUPADO

Ontem de manhã, mesma coisa: 7h30 já estava na frente do computador, encerrada no bunker, escrevendo. Saí apenas para passear com o animal, que batia enlouquecidamente na porta. Voltei para o computador e só fui me liberar às 12h. Tomei banho, fiz minha marmita e parti rumo ao alegre e feliz convívio das Donnas na redação. Então, segui o dia inteiro, até por volta de 21h, envolvida com a reportagem de capa da edição deste fim de semana. Vim para casa, não jantei, dei comida para o animal, brincamos um pouco de “a mão é o inimigo”e “siri é o inimigo lá longe”, sentei na sacada, fiquei olhando para o nada e ouvindo a música-tema da minha reportagem, assimilando tudo o que havia escrito, tomei banho, fui deitar e agora cedo já de volta aqui estou para continuar na lida.

Por que estou contando tudo isso que, na verdade só interessa a mim?

sleepy-woman-with-hypersomniaPORQUE NÃO TENHO NADA DE NOVO PRA CONTAR A NÃO SER ISSO

Porque não esperem que eu tenha muita coisa de novo para contar ao longo do dia a não ser isso. Porque fazia muito tempo que não me envolvia tanto física e emocionalmente com uma reportagem. Ontem, a Marihá, estudante de jornalismo, esteve lá na redação de DONNA para fazer uma entrevista comigo sobre… O trabalho de fazer entrevistas! Olha que legal! Pura coincidência.

Porque a reportagem de capa deste fim de semana que estou finalizando hoje é justamente uma enorme entrevista que fiz com a Fernanda Bizzotto Costa, viúva do jogador de futebol e ídolo colorado Fernandão. Comentei sobre o assunto no dia em que fomos ao estúdio fotográfico fazer as fotos da capa da edição.

fernandaLEMBRAM?
Contei no post AMULETOS E SEUS SIGNIFICADOS.

Foi interessante parar um pouco a edição da reportagem para responder às perguntas da Marihá porque, no fim das contas, as perguntas sobre o processo de realizar uma entrevista acabaram me obrigando a fazer um checklist mental para verificar se realmente eu estava colocando em prática neste trabalho a teoria que explanava para ela (a teoria que eu acredito sobre uma entrevista, que fique claro, até porque não me julgo senhora da razão de coisa alguma).

Trocando de saco pra mala (trocando de saco pra mala mesmo!) , até porque não vou conseguir me alongar muito, quero dizer que escolhi meu sapatinho do verão: a alpargata espadrille.

Olha!

alpargata-espadrille-preta-com-biqueira-taquilla-19815-MLB7172353039_102014-ONÃO É A CARA DA ESTAÇÃO?

A verdade verdadeira é que eu me cansei de sapatilhas, ando precisando dar um tempo. Uso sapatilhas há muitos anos, bem anos antes de sapatilhas se tornarem uma febre, inclusive três delas foram minhas parceiras inseparáveis na minha jornada de peregrinação religiosa pelo Oriente Médio, como contei no livro PEREGRINA DE ARAQUE.

Alpargatas-espadrille não são alpargatas pura e simplesmente. A diferença é que elas tem parte do solado de corda, viram ali acima? Por isso eu gosto tanto, porque soa como algo artesanal que acho a cara do verão. Tenho uma da ARAGÄNA que é uma graça, listradinha de preto e branco.

Olha!

21_29_35_447_aragana_agosto_2014_4648

ESTOU SEM PHOTOSHOP, POR ISSO A LEGENDA FICA TÃO LONGE…
A minha é igualzinha, só que com preto!

Pesquisei várias maneiras legais de usar alpargatas-espadrille.
Olha!

chanel_espadrilles_1COM JEANS COLORIDO!
Eis outra peca que acho a cara do verão: jeans colorido!

esp4
JEANS, JEANS, E JEANS!
É que sou suspeita, sabe assim? Minha vida é uma calça jeans, rasgada, azul e desbotada. Vai dizer que a alpargata-espadrille não cumpre com louvor e um jeito muito mais despojado o papel da sapatilha?

Olha, eu poderia ficar aqui mais muito tempo bisbilhotando e dando exemplos. Mas preciso sair, preciso passear com o animal, preciso nem sei o que fazer primeiro. Enquanto isso, apenas pensem se não tenho razão de ter uma alpargata-espadrille no pé neste verão?

03mulher-nova-gritando-feliz-thumb89432486AMIGO SECRETO VEM AÍ!

felizHE HE HE

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Estaremos te esperando, Chiquinho! Repost @chico_sperotto ♥️🐶🌞
  • • KARL LAGERFELD
10.09.1933 - 19.02.2019 🖤
•”Pense rosa. Mas não use".
•”Calça de moletom é sinal de fracasso. Você perdeu o controle sobre sua própria vida e comprou um moletom".
•”Eu acho tatuagem uma coisa horrorosa. É como viver o tempo todo em um vestido Pucci".
•”Meu maior luxo é não precisar me justificar para nenhuma pessoa.”
•”Gosto que tudo seja lavável. Eu mesmo, inclusive.”
•”Personalidade começa onde a comparação termina.”
•”As melhores coisas que fiz na minha vida, as vi nos meus sonhos. É por isso que tenho um caderno de rascunhos na minha cama.”
•”O politicamente correto, a preservação. Eu acho tudo isso extremamente chato.”
•”Coco Chanel jamais teria feito o que eu fiz. Ela teria odiado.”
•”Sou uma pessoa da moda e a moda não é somente sobre roupas. É sobre todos os tipos de mudança.”
•”Eu amo estar de passagem. Nasci em um porto, em Hamburgo. Então minha mãe disse: ‘É a porta do mundo, mas não é mais do que a porta. Portanto, já pra fora!’”.
#ripkarllagerfeld
  • - Dinda, entra no mar comigo?
- A dinda não gosta de mar gelado.
- Eu queria mergulhar com a dinda.
- Então a dinda vai te dar a maior prova de amor do mundo. E tu vai lembrar pra sempre, promete?
- Prometo, dinda.
E assim foi, e a lembrança eterna será de nós dois. #joaobenicio #amordadinda
  • Ensalada de Durazno: pêssego queimado, folhas verdes, queijo de cabra, pistache, cebola roxa e um molho vinagrete indescritível. Autor: @francismallmann @restaurantegarzon 👌🏻♥️🇺🇾 Detalhes no destaque do Stories
  • Leva um tempo até a gente perceber que por trás da figura de mãe existe também uma mulher como nós. Com gostos, desejos, anseios, vontades, expectativas, decepções. Não dizem que são nas viagens que a gente conhece profundamente a essência dos amores e amigos? Pois viagens também contribuem para aproximar mães e filhas no papel de duas mulheres adultas e companheiras. Em nossas viagens, mãe e eu convivemos com nossas imperfeições e fizemos mútuas descobertas – das profundas às mais comezinhas. Ela bebe pouca água; eu vivo com uma garrafa na mão. Ela critica a minha garrafa; eu critico a falta de água no organismo dela. Ela já planeja a Páscoa do ano que vem; eu ainda nem cheguei no próximo Natal. Ela não compreende a minha falta de planos; eu não entendo a ansiedade dela. Ela pensa em voz alta; eu reflito em silêncio. Ela diz pra eu falar alguma coisa; eu suplico que ela cale a boca por cinco minutos. Ela prefere o sol do meio-dia; eu prefiro o ar-condicionado. Ela diz que estou branca feito um bicho da goiaba; eu respondo que ela está laranja feito um nacho de Doritos. Agora estamos de novo aqui, juntas, em viagem, sentadas na grama da praça de José Ignacio. Que bom, né, mãe? Que bom que a vida nos concedeu este prazo para descobrir ainda a tempo o privilégio de passearmos juntas por aí e explorar como adultas esta delicada amizade — e o que existe de melhor em cada uma de nós. ♥️ #amordemãe #amordefilha #viajecomsuamãe
  • Né?! 👌🏻