Antenas ligadas na Jane

A perspectiva da chegada dos 40 anos (sim, eu sei que estou sendo repetitiva, mas falar sobre isso me ajuda a assimilar) trouxe novidades de véspera. Tipo o quê? Tipo cabelos brancos aos 39.

ELA RI PORQUE NÃO É COM ELA

Esse tipo de assunto ainda não chegou na Serena Williams porque a Serena Williams (e as mulheres negras em geral) foram abençoadas pela natureza. Além de ter menos rugas, pele mais bonita e zero de celulite, as negras só vão chorar os cabelos brancos depois dos 55 anos.

TÁ FALANDO SÉRIO?

Sim. E não é invenção da minha cabeça, não. Quem afirma é o médico dermatologista Valcinir Bedin, presidente da Sociedade Brasileira do Cabelo. Conta pra elas, doutor Bedin.

“Os brancos ficam com os cabelos brancos entre 35 e 45 anos, os orientais entre os 45 e 55 e os negros após os 55″.

TÁ FALANDO SÉRIO?

Muito, muito sério. Tão sério quanto os fios brancos que resolveram surgir do nada no topo da minha cabeça e que parecem antenas de radiofrequência.

TÓÓÓIIINN!!

As minhas antenas escolheram o dia certo pra aparecer: na véspera da entrevista com a Jane Fonda. O maior ícone da beleza mundial, a mulher que simboliza o frescor da vida aos 74 anos, estará na minha frente amanhã, linda leve e solta, possivelmente toda produzida, esbelta, com o cabelo todo arrumado. E eu?

TENHO ANTENAS BRANCAS APONTANDO PARA O TETO!

O doutor Bedin garante que eu posso arrancar todas as antenas, que os fios não dobram de quantidade na medida em que são arrancados. Não é, doutor Bedin?

“Se isso fosse verdade, seria um bom tratamento para queda de cabelo”

TÁ FALANDO SÉRIO?

Duas inglesas, duas Kates, assumiram os fios brancos.

A PRINCESA…

… E A TOP MODEL

Para Kate, a princesa morena, os cabeleireiros sugerem fazer luzes para disfarçar.
Para Kate, a top model loira, a dica é colorir mesmo, ou fazer mechas invertidas.

HÃ?!
MECHAS INVERTIDAS?
NUNCA TINHA OUVIDO FALAR…

Foi uma tendência forte neste último inverno e é ótimo recurso para as loiras tratarem os fios e esconderem os brancos.
Se eu posso explicar?
Sim, mas depois que o avião decolar, aterrissar e eu voltar a conseguir pensar.

CHEGA MAIS, BONITÃO!

 

 


Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

Sem comentários ainda.
  1. Oi Mari! Me identifiquei muito com as antenas de radiofrequência! hahaha… Se te serve de consolo, elas me perseguem desde os 25 anos. Faço luzes para disfarcar. Ahh quero me desculpar por não ter ido na confraria, aconteceram alguns imprevistos, mas imprevistos do bem! Assinei o contrato de compra do meu apartamento! :) Mega feliz! Beijo!

  2. Oi Mari! Me identifiquei muito com as antenas de radiofrequência! hahaha… Se te serve de consolo, elas me perseguem desde os 25 anos. Faço luzes para disfarcar. Ahh quero me desculpar por não ter ido na confraria, aconteceram alguns imprevistos, mas imprevistos do bem! Assinei o contrato de compra do meu apartamento! :) Mega feliz! Beijo!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Estaremos te esperando, Chiquinho! Repost @chico_sperotto ♥️🐶🌞
  • • KARL LAGERFELD
10.09.1933 - 19.02.2019 🖤
•”Pense rosa. Mas não use".
•”Calça de moletom é sinal de fracasso. Você perdeu o controle sobre sua própria vida e comprou um moletom".
•”Eu acho tatuagem uma coisa horrorosa. É como viver o tempo todo em um vestido Pucci".
•”Meu maior luxo é não precisar me justificar para nenhuma pessoa.”
•”Gosto que tudo seja lavável. Eu mesmo, inclusive.”
•”Personalidade começa onde a comparação termina.”
•”As melhores coisas que fiz na minha vida, as vi nos meus sonhos. É por isso que tenho um caderno de rascunhos na minha cama.”
•”O politicamente correto, a preservação. Eu acho tudo isso extremamente chato.”
•”Coco Chanel jamais teria feito o que eu fiz. Ela teria odiado.”
•”Sou uma pessoa da moda e a moda não é somente sobre roupas. É sobre todos os tipos de mudança.”
•”Eu amo estar de passagem. Nasci em um porto, em Hamburgo. Então minha mãe disse: ‘É a porta do mundo, mas não é mais do que a porta. Portanto, já pra fora!’”.
#ripkarllagerfeld
  • - Dinda, entra no mar comigo?
- A dinda não gosta de mar gelado.
- Eu queria mergulhar com a dinda.
- Então a dinda vai te dar a maior prova de amor do mundo. E tu vai lembrar pra sempre, promete?
- Prometo, dinda.
E assim foi, e a lembrança eterna será de nós dois. #joaobenicio #amordadinda
  • Ensalada de Durazno: pêssego queimado, folhas verdes, queijo de cabra, pistache, cebola roxa e um molho vinagrete indescritível. Autor: @francismallmann @restaurantegarzon 👌🏻♥️🇺🇾 Detalhes no destaque do Stories
  • Leva um tempo até a gente perceber que por trás da figura de mãe existe também uma mulher como nós. Com gostos, desejos, anseios, vontades, expectativas, decepções. Não dizem que são nas viagens que a gente conhece profundamente a essência dos amores e amigos? Pois viagens também contribuem para aproximar mães e filhas no papel de duas mulheres adultas e companheiras. Em nossas viagens, mãe e eu convivemos com nossas imperfeições e fizemos mútuas descobertas – das profundas às mais comezinhas. Ela bebe pouca água; eu vivo com uma garrafa na mão. Ela critica a minha garrafa; eu critico a falta de água no organismo dela. Ela já planeja a Páscoa do ano que vem; eu ainda nem cheguei no próximo Natal. Ela não compreende a minha falta de planos; eu não entendo a ansiedade dela. Ela pensa em voz alta; eu reflito em silêncio. Ela diz pra eu falar alguma coisa; eu suplico que ela cale a boca por cinco minutos. Ela prefere o sol do meio-dia; eu prefiro o ar-condicionado. Ela diz que estou branca feito um bicho da goiaba; eu respondo que ela está laranja feito um nacho de Doritos. Agora estamos de novo aqui, juntas, em viagem, sentadas na grama da praça de José Ignacio. Que bom, né, mãe? Que bom que a vida nos concedeu este prazo para descobrir ainda a tempo o privilégio de passearmos juntas por aí e explorar como adultas esta delicada amizade — e o que existe de melhor em cada uma de nós. ♥️ #amordemãe #amordefilha #viajecomsuamãe
  • Né?! 👌🏻