Paris vai pagar às grávidas que não fumarem durante a gestação

Francesas em geral e parisienses em particular são bastante conhecidas pelo cigarro à tiracolo – nas ruas, nos cafés e bistrôs ao ar livre. Essa fama tanto é notória que a capa do livro Como Ser uma Parisiense em Qualquer Lugar do Mundo, escrito por quatro francesas, traz a ilustração de uma mulher segurando em uma mesma mão uma xícara de café e um cigarro aceso. Só que esse hábito tem se estendido durante a gestação – e acendeu o sinal de alerta do governo.

Na França, 17% das fumantes que se descobrem grávidas continuam fumando durante a gestação – percentual considerado alto pela prefeitura parisiense, que resolveu tomar uma providência que toca no bolso de cada uma delas. De que forma: o departamento de saúde de Paris lançou uma iniciativa que busca incentivar as mulheres que esperam um filho pagando 20 euros (cerca de R$ 81) com cheques em compras após cada visita médica. Se a gestante não fumar durante todo seu período de gestação pode conseguir até 300 euros (R$ 1,2 mil) em cheques-bebê.

capaetorre cópiaCOMO SER UMA PARISIENSE EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO
O hábito é tão tradicional entre as francesas que o bet-seller mundial traz a ilustração de uma mulher segurando o cigarro aceso

O projeto é financiado pelo Instituto Nacional do Câncer e conta com participação de 16 hospitais em Paris e Ile-de-France. Para fazer parte do programa as mulheres devem cumprir com alguns requisitos, como estar grávida de menos de quatro meses e meio, ser maior de 18 anos, fumar pelo menos três cigarros por dia e não utilizar cigarros eletrônicos e outros substitutos da nicotina. A previsão é que pelo menos 400 mulheres com motivação suficiente para se comprometerem a deixar de fumar sejam beneficiadas.

+ SAÚDE: Por que você deve parar (hoje) de lavar a lingerie na hora do banho

Com esta iniciativa, o governo de Paris espelha-se na Escócia, que fez experiência semelhante – e com ótimos resultados em 2015. Seiscentas e doze grávidas foram recompensadas com cheques-bebe, e o resultado positivo estendeu-se pela vida delas após o nascimento dos filhos: 22% delas abandonaram o vício.

A maioria das mulheres que participou do estudo vinha de ambientes pobres, mas a ideia de um incentivo financeiro “parece funcionar” em todas as categorias sociais, segundo o coautor do estudo David Tappin em entrevista à agência France Presse.

Compartilhar
mariana kalil

mariana kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do portal MK. É autora dos livros "Peregrina de Araque - Uma Jornada de Fé e Ataque de Nervos no Oriente Médio" (2011), "Vida Peregrina - Uma Jornada de Desequilíbrios, Tropeços e Aprendizado" (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. Dona do Bento, da Papaqui e tia da Olivia, vive em Porto Alegre ao lado do marido e dos peludos. Escreve diariamente na seção Por Aí, que funciona como uma espécie de blog e diário do site, e também nas outras seções do portal MK.

1 Comentário
  1. Mari, nunca fumei mas fui fumante passiva durante muitos anos por conta dos meus pais, irmãs, várias amigas e até um ex-namorado… me preocupo muito com o que esse vício horrivel traz e causa à saúde das pessoas… acabo de saber da morte de um conhecido que fumava muito, era lindo com 2 filhinhas, teve uma parada cardíaca e não resistiu… meu sogro fumou por muitos anos e agora está com câncer no pulmão, toda a família sofrendo muito… enfim não consigo entender como as pessoas podem manter esse vício nos dias de hoje . E como um país culto e civilizado como a França ter de pagar para grávidas não fumarem???? Achei o fim do mundo. Isso deve estar na conciência das mães q estão gerando seus filhos…o que será desses fumantes ativos, passivos no futuro? Me preocupo e muito com esse assunto, acredito que esse mal deve acabar mas como???

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram has returned invalid data.