Bistrô Garni, um lugar querido e 100% glúten free

Assim que eu tiver um tempinho sobrando, provavelmente no sábado de manhã, pretendo pegar minha bicicleta e pedalar em direção ao número 265 da Rua Felipe Camarão, no Bom Fim. É lá que encontra-se o Bistrô Garni, um lugarzinho muito charmoso (que eu ainda não conheço, estou parecendo o Silvio Santos que diz que o filme é ótimo, mas que ele não assistiu) e 100% glúten free.

Só cego não percebe o crescimento de consumidores por produtos sem glúten – sejam eles celíacos ou adeptos do modismo.Eu mesma faço parte da segunda turma, a adepta do modismo. É que fiz um exame chamado Food Detective, como contei no post DA SÉRIE EU TESTEI: FUI TIRAR SANGUE E… TCHAN, TCHAN, TCHAN, TCHAN! e foi detectado minha intolerância ao glúten. Não sofro da doença celíaca, mas pertenço à parcela da população que fica inchada e sente certo desconforto comendo glúten. Daí minha iniciativa de evitá-lo quando posso.

O Bistrô Garni abriu no ano passado e foi iniciativa da Viviane Fogaça, celíaca – daí a certeza de nada, nada, nada conter glúten por lá. Na hora do almoço, oferece o prato do dia, sempre com aparência deliciosa.

Olha!

garni_nOOOOOHHHHHH!
As fotos são da página do Facebook do Bistrô Garni, viu gente? Se alguém é o fotógrafo da imagem e por acaso eu não vi o crédito, por favor: pode enviar um e-mail que agente sempre repara. Será um prazer! Só não vale ficar fazendo estardalhaço em rede social porque ninguém (a começar por mim) aguenta mais esse tipo de coisa

garni6NHAM NHAM!!!!

GARNINNnJESUS, ME ABANA!

garniFEIJOADINHA DE SÁBADO QUE INCLUI ATÉ CERVEJA SEM GLÚTEN!

bento1POSSO IR JUNTO DE BICI?

Claro!!!!

nTEMOS CESTINHA PRA QUÊ?

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Mais uma etapa vencida; mais três corações explodindo de felicidade de voltar pra casa. Em frente. 👊🏻 #bepositive
  • Uma ideia criativa de servir pão (vou imitar) y otras delícias do Bell Café: couve-flor, kebab e húmus (sempre ele!). #telavivfood 😋
  • Se você não vem comigo, nada disso tem valor. De que vale o paraíso sem amor? Se você não vem comigo, tudo isso vai ficar. No horizonte esperando por nós dois.
  • Meu maior e mais soberano amor. ❤️
  • Juntos somos mais fortes. 💪🏻❤️🙏🏻
  • “Minha amiga Mariana Kalil está com câncer. Não é novidade, ela conta tudo a respeito nas redes sociais, e com pormenores, mas eu a acompanho mais de perto, nós conversamos sempre, estamos em permanente contato. Por dois motivos: por gostar muito da Mariana e para tentar ajudá-la com minha experiência no assunto. Mariana, agora, felizmente superou uma das etapas mais dolorosas desse processo de enfrentamento do chamado “imperador de todos os males”. É a fase das más surpresas, quando você recebe uma notícia tão ruim, que parece inverossímil. O homem é o único animal que sente medo do futuro desconhecido, algo terrível. Mas, ante o perigo real, ante o presente concretamente ameaçador, a mente protege o ser humano lançando-o para fora de si mesmo. É como se a dor não fosse dele.” Linda coluna, @david.coimbra2018 . 
Que nossa experiência sirva sempre pra ajudar mais e mais pessoas a compreender nossa complexidade, mas também toda a nossa força, coragem e determinação de ir em frente. Obrigada, amigo querido. ❤️🙏🏻