Cabelos limpos para começar a escrever o novo livro

Oi, voltei, lembram que mim? Sou a Mariana, aquela que jurou escrever todos os dias no blog durante a viagem ao Peru e postou uma única vez. Mas não foi culpa minha, viu? Foi culpa da minha falta de noção mesmo de acreditar que peregrinaria por todo o Peru, dormiria apenas 5 horas por noite durante os oito dias que lá estive e ainda teria tempo de escrever – a velha Mariana que enxerga o mundo com óculos cor de rosa, como bem define minha irmã.

Mas consegui me redimir um pouco pelas redes sociais, vai dizer? Pelo menos teve fotos na página do blog no Facebook, teve fotos no Instagram, teve vídeos no FB, teve vídeos no Instagram… Teve alguma coisa. Alguma coisa teve! Prometo que terá muito mais, vou contando no decorrer dos dias por aqui. A reportagem completa sairá em julho ou agosto na revista Donna. Vai ficar beeeeeem legal.

:O que uma viagem ao Peru não faz a gente fazer…

Cheguei domingo bem cedo com minha mala pesando 32,5 quilos – o máximo definido pela Avianca é 32. Sim, passei meio quilo. Não estava muito preocupada, já que uns sete quilos eram de sacos de sal. Sim, pra quem não sabe, pra quem não viu o vídeo que postei no FB sobre a arrumação caótica da minha mala, eu tive a feliz ideia de trazer trocentos sacos de sal. Não tinha nada mais leve pra trazer, sabe assim?

imbecil-large-msg-1108329028-211BAITA IMBECIL

Ontem, domingo bem cedo, já estava em casa. Chico e o animal foram me buscar no aeroporto às 6h da manhã. O animal não estava entendendo nada. Foi tirado à fórceps da cama. Só foi realizar que era eu, que eu havia voltado, quando chegamos em casa e ele fez um leve escarcéu. Digo leve porque pensei que ele fosse surtar ao me ver de volta. Que o quê? Deu umas latidinhas para eu não ficar muito chateada e já foi tocar a vida dele. Completamente independente. Fiquei chocada num primeiro momento, mas depois sabe que achei bom?

bento1ESTOU DOS AUTOSSUFICIENTES

Rosa contou agora de manhã que ele teve um comportamento exemplar. Tomou os remédios todos os dias sem cuspir, comeu a ração hepática sem reclamar, foi um lorde. “Dona Mariana, dessa vez ele ficou muito bem. Nem um pouco deprimido. Me levou para passear em uns lugares que eu nunca tinha ido”, ela disse.

bento1LEVEI A ROSA NA PADRE CHAGAS

O sem noção do animal achou que adentraria a Padre Chagas, viraria na Dinarte Ribeiro e que a Rosa pagaria almoço para ele no Puppi Baggio, podem acreditar? Prometi que neste próximo fim de semana vamos ao Puppi. Realmente faz tempo que não aparecemos. Até lá, ficaremos aqui, trancados no bunker do escritório. Começo hoje a escrever meu novo livro em uma contagem regressiva de 30 dias ininterruptos. Serão crônicas. Crônicas sobre uma série de “primeiras vezes” na minha vida – mas nada do que vocês estão pensando, por favor!

Preciso escrever entre 40 e 50 crônicas sobre primeiras vezes. Se eu sei por onde começar? Mais ou menos. Tem uma garrafa de água me olhando e uma página do Word em branco. E também tem um calendário colado na parede bem na minha frente – só pra me deixar um pouquinho mais angustiada com a corrida da escrita contra o tempo.

MULHER PANICMAS VAI DAR TUDO CERTO

Durante esse período, vou comer pouco para não ter sono. Engordar mais será impossível, visto que voltei uma pipa do Peru. O livro precisa estar pronto e revisado no último dia de julho para publicação e lançamento em outubro. E eu não paro de pensar nisso. E quanto mais eu penso nisso, mais branco me dá – e a página do Word segue me olhando, e a garrafa de água também e o calendário de contagem regressiva também.

MULHER PANICMAS VAI DAR TUDO CERTO

Não vou parar de postar no blog, chega de abstinência. Mas vocês terão que aguentar meus desabafos. A ideia é fazer vídeos no Facebook também. Continuar com essa cachaça que inventei lá no Peru. Só que agora não vai ter quarto de hotel cinco estrelas pra mostrar, viu? É minha cara lavada mesmo encerrada no bunker-escritório com o Bento roncando nos meus pés. Sim, eu preciso escrever um livro enquanto contemplo o animal “dos ladeados”na cama dele, aos meus pés, sem se preocupar com nada nessa vida.

Reparem, por favor!

6bento-exaustoSÓ ABRE UM OLHO, ME ESPIA E VOLTA A DORMIR

Antes de terminar esse post, vou falar sobre algo de utilidade pública – para que o animal não venha repetir que esse blog é um desserviço. Só preciso pensar em algum assunto, visto que cheguei ontem e passei o dia de pijama em casa, na beira da lareira, me atualizando das notícias. Minha mala está aberta e esparramada no chão do closet. Não tive tempo de desarrumar, apenas coloquei as roupas sujas para lavar. Mas isso não é um assunto de utilidade pública. Sobre o que poderia falar?

Ah, sobre lavar cabelo. Estava no aeroporto de Lima e passei por uma banca de revistas. E daí fiquei ali, folheando revistas, e achei uma que agora não lembro o nome que trazia dicas para lavar o cabelo. Bom, primeiro quero dizer que se você, querida amiga, for ao Peru, prepare-se: o cabelo fica horrível. Meu cabelo nunca ficou tão horrível em nenhum outro lugar desse mundo. Não sei se é a água, não sei se é o clima. Não sei o que é. Só sei que parecia que eu tinha uma vassoura de piaçava na cabeça.

piaçavaESTE ERA O MEU CABELO NO PERU

Não é uma queixa solitária: as gurias também tiveram a mesma percepção. Hoje de manhã, lavei o cabelo e ele voltou ao normal. Isso que ainda nem coloquei em prática as dicas da revista ao Peru. E agora chega de enrolação e vamos a elas!

kateepngDICA NÚMERO 1 – NÃO FAÇA COMO A KATE
Não enrole a toalha com força na cabeça quando for sair do banho. Eu quase torço meu cérebro. Tampouco passe horas com a toalha enrolada na cabeça. Faça um turbante frouxo e fique com ele só o tempo de passar hidratante no rosto e no corpo. No máximo 10 minutos. Por que: o couro cabeludo fica abafado e pode gerar dermatite seborreica (a famosa caspa!) em função do excesso de umidade. Outro detalhe importante:  deixar a toalha enrolada na cabeça não permite que os fios sequem e para evitar possíveis quebras na hora de pentear, o cabelo precisa secar até 95% antes de ser escovado. Assim sendo, o tempo que o cabelo fica abafado na toalha poderia ser usado para que secasse ao natural. Conclusão: faço tudo errado.

lavar-cabelos-com-shampoo-4DICA NÚMERO 2 – NÃO ENTUPA A CABEÇA DE SHAMPOO
Espuma não é sinônimo de limpeza, que fique claro! Sim, eu sei que os homens não entendem isso. Você é daquelas que tem um marido/namorado que parece comer sabonete? Sim, eles acham que espuma é sinônimo de limpeza e gastam um sabonete por banho. Não, espuma não é sinônimo de limpeza, muito menos em se tratando de shampoo.  Já tinha comentado sobre isso no post CABELO LIMPO EM QUATRO LIÇÕES. Portanto, na hora de aplicar o shampoo, parcimônia
. A dica é dividir o processo em dois tempos. No primeiro, pegar pouco shampoo e massagear o couro cabeludo (massagear não é esfregar). Só o couro cabeludo Não se preocupe em usar aquele pouco shampoo para lar o comprimento. Então, enxágue. Logo, a espuma do enxágue vai passar pelos fios – e esta já é uma forma de limpeza. Se quiser, pode repetir com uma segunda lavada no couro cabeludo e com ainda menos shampoo. Eu costumo colocar shampoo na palma da mão e diluir com um pouco de água antes de levar à cabeça. A tricologista da revista peruana diz que é bom fazer isso, assim como também é bom diluir o shampoo num potinho com água.

Receitas-caseiras-crescimento-dos-cabelosDICA NÚMERO 3 – LAVE MENOS O CABELO
Sim, eu sei que é péssima a sensação de cabelo sujinho, mas a verdade é que a gente lava o cabelo muito mais do que deveria. Sei porque sou assim e muitas vezes lavo o cabelo sem precisar. Quanto mais lavamos, mais oleosidade geramos. A ideia é lavar dia sim, dia não (essa regra não se aplica, claro, a quem tem o cabelo naturalmente oleoso. Daí não tem jeito mesmo. Tem que lavar). O abuso do uso do shampoo diariamente pode fazer com que os compostos químicos do produto se acumulem no couro cabeludo. E certifique-se de sair do banho com todo, todo todo shampoo e condicionador removido do cabelo. Fio pesado é sinal de produto mal tirado.

E agora eu me despeço do blog para me encontrar com as primeiras linhas do novo livro. Mas acho que antes vou almoçar uma sopinha de lentilha. Acho que uma sopinha leve de lentilha não vai me dar sono.

mulher-desconfiada1OU VAI?

6bento-exausto-vertALGUÉM NÃO É DOS MAIS INDICADOS PARA RESPONDER

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Penteados e escovados para a primeira de muitas noites de autógrafos de Vida Peregrina, que me levaria à lista dos livros mais vendidos do país e confirmaria Bentolino como um dos personagens mais importantes da minha existência como escritora. Seis anos hoje. Saudade, Xerife. ❤️🐶📘 #tbt #2013 #vidaperegrina #livromarikalil
  • Éramos uma família de bageenses morando no Rio e nossa família multiplicava-se com mais bageenses que chegavam no Carnaval. Tudo começava ao cair do sol com um primeiro chope para brindar a união e terminava com corpos ao mar pra curar o ressacão. Lembrança do nosso primeiro bailinho em que eu me retorci para entrar em uma fantasia de odalisca tamanho 14 comprada em uma loja infantil de Ipanema. É que ainda estava borracha da noite anterior. Borrachos entendem. 🍺
Casa da @renatabrasilvidal e do @marcelogoskes; Rio de Janeiro, Carnaval 2006. #tbt
  • Ter o privilégio de passar horas e horas conhecendo muitas das minhas perseguidoras faz a gente mais feliz. Ser recebida com carinho pelo @centrocarinaborges, que abriu suas portas para este momento tão especial de beleza e amizade faz a gente mais feliz. Poder oferecer a excelência dos produtos da @farmathuia para as amigas da Mari faz a gente mais feliz. Servir os melhores quitutes fit da @feeljoy.com.br e a delícia do capuccino proteico do @mundoverdeiguatemipoa faz a gente mais feliz. Rodopiar com um vestido de seda floral da @boutiquemariahelena capaz de traduzir com maestria meu estado de espírito faz a gente mais feliz. Felicidade é encontrar alegria na alegria dos outros; felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente. Obrigada a todas que hoje fizeram meu dia muito, muito mais feliz! ✨🙏🏻❤️
  • Quem nunca aplicou uma dessas?! 👆🏻
  • Me diga se pode existir desgraceira maior do que chegar ao vestiário de natação molhada em cima de um par de chinelos molhados, com o cabelo todo desgrenhado, com o rosto todo marcado dos óculos e ainda ter que pegar a sacola, botar a sacola em cima de um banco, abrir a sacola, retirar os saquinhos plásticos para guardar o maiô encharcado junto com a touca e o óculos, pegar a nécessaire, sair equilibrando toalha, xampu, sabonete e condicionador até o box, sempre pisando naquele chinelo nojento molhado, tomar banho na companhia de fios de cabelos de terceiros, recolher sabonete, condicionador e xampu, secar um por um com a toalha, se enrolar na tolha, voltar pingando até o armário em cima daquele chinelo nojento molhado, abrir o armário, abrir a sacola, guardar o xampu, o condicionador e o sabonete dentro da nécessaire, retirar o pente, desembaraçar o cabelo cuidando para não deixar fios caírem no chão, passar hidratante na volta dos olhos, sérum facial, creme com proteção solar, hidratante corporal, vestir a roupa toda amassada dentro da sacola, sentar no banco com o pé ainda molhado em cima daquele chinelo nojento com fio de cabelo de terceiros grudados na sola, secar dedinho por dedinho, colocar o sapato, secar o chinelo, ensacar o chinelo e terminar a maratona botando os bofes para fora do calorão que sai daquela quantidade de chuveiros quentes e secadores ligados. 
Me diga: pode existir desgraceira maior?!
  • Tenha coragem para as grandes adversidades da vida e paciência para as pequenas, e quando tiver cumprido laboriosamente sua tarefa diária vá dormir em paz. Deus está acordado. (Victor Hugo).