Supermercado da Dinamarca só vende alimentos vencidos e faz um sucesso!

Os países nórdicos são um lugar à parte em desenvolvimento, novas tendências e conscientização para questões urgentes do planeta. Para comprovar ainda mais esta realidade, a boa nova vem da Dinamarca. Acaba de ser inaugurado em Copenhagen o Wefood, primeiro supermercado destinado exclusivamente à venda de alimentos cujo destino não seria outro que não a lata do lixo. Tratam-se de produtos com prazo de validade já vencido, mas ainda considerados próprios para consumo. O objetivo é único e bem-vindo: combater o desperdício.

A iniciativa é de uma ONG dinamarquesa, que calcula que pelo menos um terço dos alimentos produzidos no mundo é jogado fora a cada ano. Disse a BBC Brasil o dinamarquês Per Bjerre, da ONG responsável pelo Wefood, a Folkekirkens Nødhjælp.

– Todos os dias, mais de 800 milhões de pessoas no mundo vão dormir com fome. Ao mesmo tempo, só na Dinamarca cerca de 700 mil toneladas de alimentos por ano vão para o lixo. Os clientes são de várias camadas da sociedade e têm em comum o desejo de comprar produtos a preços substancialmente menores e combater o desperdício de alimentos. Além, talvez, do desejo de lutar contra a pobreza, que está entre os motivos da abertura do Wefood.

wefood-630x315WEFOOD: PRIMEIRO SUPERMERCADO DO MUNDO DEDICADO A COMBATER O DESPERDÍCIO

O sucesso foi instantâneo. No dia da inauguração, já havia uma fila imensa do lado de fora do estabelecimento – e todo o estoque foi vendido no primeiro dia de funcionamento. O Wefood oferece uma ampla variedade de alimentos em 250 metros quadrados de loja – laticínios, carnes, frutas, vegetais, pães e alimentos congelados. Os preços são entre 30 a 50% por mais baixos em comparação ao que é cobrado nos supermercados tradicionais.

– Quando há frutas já em vias de apodrecer em uma caixa, é mais barato para os supermercados jogar toda a caixa fora, em vez de gastar tempo selecionando as frutas boas e ruins. Mas os voluntários do WeFood fazem esse trabalho com prazer – contou Bjerre à BBC.

wefoodVOLUNTÁRIOS GARIMPAM FRUTAS DE OUTROS ESTABELECIMENTOS E VENDEM NO WEFOOD POR ATÉ METADE DO PREÇO

Segundo a emissora, a inauguração do supermercado foi resultado de um projeto que levou um ano para ser concretizado, e que foi viabilizado através do sistema de financiamento coletivo conhecido como crowdfunding. A coleta de doações reuniu um milhão de coroas dinamarquesas (cerca de US$ 145 mil). A fim de superar obstáculos legais para a venda de produtos com prazo de validade vencido, a ONG Folkekirkens Nødhjælp trabalhou junto a políticos dinamarqueses para mudar as regras. Só depois disso, o supermercado pôde abrir as portas.

+ NUTRIÇÃO: Oito motivos que estão ligados ao fato de estarmos sempre com fome

Nos últimos cinco anos, a Dinamarca reduziu em 25% o desperdício de alimentos. A empreitada, liderada por ONGs dinamarquesas como a Stop Spild Af Mad (“Pare o Desperdício de Comida”, em tradução livre), inclui campanhas de conscientização dos consumidores e palestras em escolas para chamar a atenção para o valor – tanto financeiro como ambiental – de comprar produtos com datas de vencimento prestes a expirar. Cada vez mais, os dinamarqueses buscam nas prateleiras dos supermercados esse tipo de produto, que é vendido com desconto.

we-food-fila-consumidor-800SUCESSO DE PÚBLICO: TODO O ESTOQUE VENDIDO NO DIA DA INAUGURAÇÃO

Em tempo de crise aqui no Brasil, a Dinamarca dá outro belo exemplo que os consumidores brasileiros seguiriam com prazer: reportagem da TV dinamarquesa mostrou recentemente que produtos de preço reduzido, com data de validade a ponto de vencer, têm “voado” das prateleiras  dos supermercados tradicionais. O Dansk Supermarked, pioneiro dessa estratégia, passou a jogar fora 50% menos pães, e entre 10% e 20% por cento menos frutas e vegetais.

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

3 Comentários
  1. É só algum cliente desse supermercado consumir algum alimento vencido e ter algum problema de saúde e o supermercado já fica visado prá não dizer interditado. Eu, nas minhas andanças pela Europa, não vi nada do gênero…..mas quem tem fome e não tem dinheiro, irá comprar ali, mesmo que o alimento esteja vencido.

Deixar uma resposta Cancelar Resposta

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Penteados e escovados para a primeira de muitas noites de autógrafos de Vida Peregrina, que me levaria à lista dos livros mais vendidos do país e confirmaria Bentolino como um dos personagens mais importantes da minha existência como escritora. Seis anos hoje. Saudade, Xerife. ❤️🐶📘 #tbt #2013 #vidaperegrina #livromarikalil
  • Éramos uma família de bageenses morando no Rio e nossa família multiplicava-se com mais bageenses que chegavam no Carnaval. Tudo começava ao cair do sol com um primeiro chope para brindar a união e terminava com corpos ao mar pra curar o ressacão. Lembrança do nosso primeiro bailinho em que eu me retorci para entrar em uma fantasia de odalisca tamanho 14 comprada em uma loja infantil de Ipanema. É que ainda estava borracha da noite anterior. Borrachos entendem. 🍺
Casa da @renatabrasilvidal e do @marcelogoskes; Rio de Janeiro, Carnaval 2006. #tbt
  • Ter o privilégio de passar horas e horas conhecendo muitas das minhas perseguidoras faz a gente mais feliz. Ser recebida com carinho pelo @centrocarinaborges, que abriu suas portas para este momento tão especial de beleza e amizade faz a gente mais feliz. Poder oferecer a excelência dos produtos da @farmathuia para as amigas da Mari faz a gente mais feliz. Servir os melhores quitutes fit da @feeljoy.com.br e a delícia do capuccino proteico do @mundoverdeiguatemipoa faz a gente mais feliz. Rodopiar com um vestido de seda floral da @boutiquemariahelena capaz de traduzir com maestria meu estado de espírito faz a gente mais feliz. Felicidade é encontrar alegria na alegria dos outros; felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente. Obrigada a todas que hoje fizeram meu dia muito, muito mais feliz! ✨🙏🏻❤️
  • Quem nunca aplicou uma dessas?! 👆🏻
  • Me diga se pode existir desgraceira maior do que chegar ao vestiário de natação molhada em cima de um par de chinelos molhados, com o cabelo todo desgrenhado, com o rosto todo marcado dos óculos e ainda ter que pegar a sacola, botar a sacola em cima de um banco, abrir a sacola, retirar os saquinhos plásticos para guardar o maiô encharcado junto com a touca e o óculos, pegar a nécessaire, sair equilibrando toalha, xampu, sabonete e condicionador até o box, sempre pisando naquele chinelo nojento molhado, tomar banho na companhia de fios de cabelos de terceiros, recolher sabonete, condicionador e xampu, secar um por um com a toalha, se enrolar na tolha, voltar pingando até o armário em cima daquele chinelo nojento molhado, abrir o armário, abrir a sacola, guardar o xampu, o condicionador e o sabonete dentro da nécessaire, retirar o pente, desembaraçar o cabelo cuidando para não deixar fios caírem no chão, passar hidratante na volta dos olhos, sérum facial, creme com proteção solar, hidratante corporal, vestir a roupa toda amassada dentro da sacola, sentar no banco com o pé ainda molhado em cima daquele chinelo nojento com fio de cabelo de terceiros grudados na sola, secar dedinho por dedinho, colocar o sapato, secar o chinelo, ensacar o chinelo e terminar a maratona botando os bofes para fora do calorão que sai daquela quantidade de chuveiros quentes e secadores ligados. 
Me diga: pode existir desgraceira maior?!
  • Tenha coragem para as grandes adversidades da vida e paciência para as pequenas, e quando tiver cumprido laboriosamente sua tarefa diária vá dormir em paz. Deus está acordado. (Victor Hugo).