De Mariana para Mariana: uma carta para lembrar dos reais valores da vida

Querida Mariana,

Sei que esses finais de ano mexem um pouco com você. Talvez a junção de mudança de idade, sentimento natalino e novo ano que se aproxima revirem seus sentimentos e emoções de uma forma meio turbilhonática – sim, esta palavra eu inventei para tentar decifrar o que acontece dentro do seu peito. Saiba que faz parte. Consciência e reflexão levam ao crescimento, e o importante é mirar sempre adiante e andar sempre em frente.

Tenho te percebido um pouco mais silenciosa nesses últimos dias do ano. Pensando demais na vida? Analisando o passado e projetando o futuro? Sentindo algumas dores e outros alentos? Faz parte também, apesar de não ser fácil. Infeliz daquele que passa por aqui sem se questionar, sem sofrer, sem lamentar – sem coragem, clareza e lucidez para compreender que portas estreitas sempre levam a grandes salões.

Foi um lindo ano, tenha certeza disso – e não olhe apenas para aquilo que não pôde ser feito. Você não conseguiu começar as aulas de violão, as aulas de canto. Não conseguiu encontrar uma escola de ioga para chamar de sua, ler um livro por mês, viajar mais. Mas olhe o quanto realizou! Você escreveu um livro, reinventou-se como profissional, inaugurou seu próprio portal, ganhou independência profissional. Você lançou um produto com seu nome, que se esgotou em tempo recorde.

Você ganhou um afilhado lindo e com saúde, sua mãe renasceu de um grave acidente. Sua família continua perto, intacta, cada vez maior e mais unida. Seu cachorro vai fazer 15 anos com saúde, você conheceu o Peru, experimentou todos os sabores que queria havia anos – e como se tudo isso ainda não bastasse, os deuses incas enviaram uma Alpaca para encantar ainda mais os seus dias. Uma cachorrinha adorável, dócil, amiga, fiel caiu no seu colo como a expressão máxima de um presente divino.

Portanto, minha melhor amiga, relaxe. Respire. Olhe mais para o horizonte e menos para onde pisa. Agradeça, comemore. Um ano se foi; outro está por vir – e será sempre assim até que se chegue ao fim. Com algumas curvas, incertezas, pisadas de freio ao longo do percurso, isto é certo. Mas sempre com a consciência e o silêncio de quem busca dia a dia crescer naquilo que tem de melhor. Passinho por passinho. Sem pânico nem correria, mas evoluindo, dia após dia.

Afinal de contas, nada mais neste mundo é necessário. Nada se leva além de si próprio na hora de partir.

Feliz 43 anos, Feliz Natal, Feliz 2016.
Um beijo com o carinho de quem te ama e estará sempre aqui,
Mariana

 

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

5 Comentários
  1. Mari, minha nossa! Que coisa linda!
    Pode ter certeza que a tua carta não foi endereçada somente para você, mas para todos que nessa época (ou outras) param um pouco e avaliam o que poderia ser e não foi e não o que foi e foi maravilhoso!
    Excelente ponto de vista sobre o que somos e o que ainda queremos ser!

    Um Beijo!
    Feliz aniversário, Feliz Natal e Feliz Ano Novo

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Penteados e escovados para a primeira de muitas noites de autógrafos de Vida Peregrina, que me levaria à lista dos livros mais vendidos do país e confirmaria Bentolino como um dos personagens mais importantes da minha existência como escritora. Seis anos hoje. Saudade, Xerife. ❤️🐶📘 #tbt #2013 #vidaperegrina #livromarikalil
  • Éramos uma família de bageenses morando no Rio e nossa família multiplicava-se com mais bageenses que chegavam no Carnaval. Tudo começava ao cair do sol com um primeiro chope para brindar a união e terminava com corpos ao mar pra curar o ressacão. Lembrança do nosso primeiro bailinho em que eu me retorci para entrar em uma fantasia de odalisca tamanho 14 comprada em uma loja infantil de Ipanema. É que ainda estava borracha da noite anterior. Borrachos entendem. 🍺
Casa da @renatabrasilvidal e do @marcelogoskes; Rio de Janeiro, Carnaval 2006. #tbt
  • Ter o privilégio de passar horas e horas conhecendo muitas das minhas perseguidoras faz a gente mais feliz. Ser recebida com carinho pelo @centrocarinaborges, que abriu suas portas para este momento tão especial de beleza e amizade faz a gente mais feliz. Poder oferecer a excelência dos produtos da @farmathuia para as amigas da Mari faz a gente mais feliz. Servir os melhores quitutes fit da @feeljoy.com.br e a delícia do capuccino proteico do @mundoverdeiguatemipoa faz a gente mais feliz. Rodopiar com um vestido de seda floral da @boutiquemariahelena capaz de traduzir com maestria meu estado de espírito faz a gente mais feliz. Felicidade é encontrar alegria na alegria dos outros; felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente. Obrigada a todas que hoje fizeram meu dia muito, muito mais feliz! ✨🙏🏻❤️
  • Quem nunca aplicou uma dessas?! 👆🏻
  • Me diga se pode existir desgraceira maior do que chegar ao vestiário de natação molhada em cima de um par de chinelos molhados, com o cabelo todo desgrenhado, com o rosto todo marcado dos óculos e ainda ter que pegar a sacola, botar a sacola em cima de um banco, abrir a sacola, retirar os saquinhos plásticos para guardar o maiô encharcado junto com a touca e o óculos, pegar a nécessaire, sair equilibrando toalha, xampu, sabonete e condicionador até o box, sempre pisando naquele chinelo nojento molhado, tomar banho na companhia de fios de cabelos de terceiros, recolher sabonete, condicionador e xampu, secar um por um com a toalha, se enrolar na tolha, voltar pingando até o armário em cima daquele chinelo nojento molhado, abrir o armário, abrir a sacola, guardar o xampu, o condicionador e o sabonete dentro da nécessaire, retirar o pente, desembaraçar o cabelo cuidando para não deixar fios caírem no chão, passar hidratante na volta dos olhos, sérum facial, creme com proteção solar, hidratante corporal, vestir a roupa toda amassada dentro da sacola, sentar no banco com o pé ainda molhado em cima daquele chinelo nojento com fio de cabelo de terceiros grudados na sola, secar dedinho por dedinho, colocar o sapato, secar o chinelo, ensacar o chinelo e terminar a maratona botando os bofes para fora do calorão que sai daquela quantidade de chuveiros quentes e secadores ligados. 
Me diga: pode existir desgraceira maior?!
  • Tenha coragem para as grandes adversidades da vida e paciência para as pequenas, e quando tiver cumprido laboriosamente sua tarefa diária vá dormir em paz. Deus está acordado. (Victor Hugo).