É miojo? É hambúrger? É Ramen Burger ou, para quem prefere, Miojoburger!

Há uma super tendência fast food no ar. Ela já vinha dando o ar da graça há um ano, mas agora estabeleceu-se como o que há.  É o chamado Ramen Burger e tem no chef Keizo Shimamoto seu idealizador.

ramenHAMBÚRGUER DE MIOJO?
Ramen ou Lamen é aquela massinha comprida, típica da culinária japonesa e chinesa e que, aqui no Brasil, ganhou o popular nome de miojo. Sim, grosseiramente falando, o Ramen Burger é um hambúrguer de miojo.

RAMEN 2DE OUTRO ÂNGULO

Keizo Shimamoto e seu Ramen Burger andam fazendo um sucesso estrondoso em Nova York – e o sanduíche ganhou fama mundial. Recentemente, o legítimo Ramen Burger esteve em São Paulo, participando da Feirinha Gastronômica da Vila Madalena. Quem provou pagou R$ 20 e aprovou.
– Quando criei o primeiro Ramen Burger, tinha a ideia de preparar um delicioso lanche capaz de mesclar a cultura americana e japonesa, duas culturas que me representam – explica Keizo Shimamoto.

Olha o Ramen Burger aberto!

RAMEN 3SAI O PÃO, ENTRA A MASSA

Até a invenção do Ramen Burger, restaurantes especializados em ramem limitavam-se a servir a tradicional sopa japonesa com macarrão instantâneo. Agora, não param de surgir variações sobre o tema. Outros chefs nova-iorquinos arriscam-se a criar em cima da obra de Shimamoto. A última ideia lançada é o queijo quente de ramen. No lugar dos pão de forma entra o miojo, que é grelhado e recheado com queijo cheddar derretido, rúcula e cogumelos fritos levemente na manteiga.

Olha!

440_2246-ramen-houseofyummcomQUEIJO QUENTE DE RAMEN

Keizo não estudou para ser chef. Foi a paixão por mijo que o elevou ao status que desfruta hoje, após a invenção que ganhou o mundo. Há quatro anos, largou o emprego como programador de computador para embarcar neste sonho de encontrar novas possibilidades para o ramen.

–  No Japão, o ramen é considerado fast-food. Com um número cada vez maior de estabelecimentos de serviço rápido de comida nos Estados Unidos, considerei que o ramen seria um ajuste natural para quem adota este modelo de alimentação – explica.

fg20130823stbKEIZO SHIMAMOTO VESTINDO LITERALMENTE A CAMISETA

O modismo ainda não chegou a Porto Alegre, mas já se aproxima. Em São Paulo, o Astolpho Burger Gourmet & Tartares, oferece o Miojoburger (R$ 29).
– Depois de cozido, o macarrão vai para a chapa para ganhar o formato do sanduíche”, explica o chef executivo Cristóbal Carrión, que criou a novidade.
Comensais que experimentaram o Miojoburguer afirmam que ele é supercrocante, e o mix de texturas surpreende.

astolpho-miojoburger3O MIOJOBURGER DO ASTOLPHO BURGER GOURMET & TARTARES

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

Sem comentários ainda.
  1. Mari, sem querer ser chata, mas já sendo,srsrsrsr. Não pude deixar de me impressionar o quanto de trabalho que as pessoas tem para se afastar da boa alimentação. O simples é tão perfeito. Miojo não pode nem ser considerado comida. Vc que pratica yoga e conhece a alimentação ayurvédica realmente se sente tentada com este tipo de alimento?

  2. Obvio que nao dá pra fazer disto uma “alimentação”, uma filosofia.
    Mas fico curiosa pra provar. Não posso torcer o nariz pra quem tanto me acompanhou na vida de estudante!
    Quem diria que alguém conseguiu fazer outra variação do miojo além de miojo com requeijão, miojo com requeijão + orégano?
    Kkkk

  3. Oi Mariana, teu blog sempre maravilhoso, nao saio de casa sem ler teus escritos. Para minha surpresa conheci a gatinha Bruna. Claro que o Bento é a estrela da família mas gostaria de conhecer as histórias da Bruna. Beijos

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Estaremos te esperando, Chiquinho! Repost @chico_sperotto ♥️🐶🌞
  • • KARL LAGERFELD
10.09.1933 - 19.02.2019 🖤
•”Pense rosa. Mas não use".
•”Calça de moletom é sinal de fracasso. Você perdeu o controle sobre sua própria vida e comprou um moletom".
•”Eu acho tatuagem uma coisa horrorosa. É como viver o tempo todo em um vestido Pucci".
•”Meu maior luxo é não precisar me justificar para nenhuma pessoa.”
•”Gosto que tudo seja lavável. Eu mesmo, inclusive.”
•”Personalidade começa onde a comparação termina.”
•”As melhores coisas que fiz na minha vida, as vi nos meus sonhos. É por isso que tenho um caderno de rascunhos na minha cama.”
•”O politicamente correto, a preservação. Eu acho tudo isso extremamente chato.”
•”Coco Chanel jamais teria feito o que eu fiz. Ela teria odiado.”
•”Sou uma pessoa da moda e a moda não é somente sobre roupas. É sobre todos os tipos de mudança.”
•”Eu amo estar de passagem. Nasci em um porto, em Hamburgo. Então minha mãe disse: ‘É a porta do mundo, mas não é mais do que a porta. Portanto, já pra fora!’”.
#ripkarllagerfeld
  • - Dinda, entra no mar comigo?
- A dinda não gosta de mar gelado.
- Eu queria mergulhar com a dinda.
- Então a dinda vai te dar a maior prova de amor do mundo. E tu vai lembrar pra sempre, promete?
- Prometo, dinda.
E assim foi, e a lembrança eterna será de nós dois. #joaobenicio #amordadinda
  • Ensalada de Durazno: pêssego queimado, folhas verdes, queijo de cabra, pistache, cebola roxa e um molho vinagrete indescritível. Autor: @francismallmann @restaurantegarzon 👌🏻♥️🇺🇾 Detalhes no destaque do Stories
  • Leva um tempo até a gente perceber que por trás da figura de mãe existe também uma mulher como nós. Com gostos, desejos, anseios, vontades, expectativas, decepções. Não dizem que são nas viagens que a gente conhece profundamente a essência dos amores e amigos? Pois viagens também contribuem para aproximar mães e filhas no papel de duas mulheres adultas e companheiras. Em nossas viagens, mãe e eu convivemos com nossas imperfeições e fizemos mútuas descobertas – das profundas às mais comezinhas. Ela bebe pouca água; eu vivo com uma garrafa na mão. Ela critica a minha garrafa; eu critico a falta de água no organismo dela. Ela já planeja a Páscoa do ano que vem; eu ainda nem cheguei no próximo Natal. Ela não compreende a minha falta de planos; eu não entendo a ansiedade dela. Ela pensa em voz alta; eu reflito em silêncio. Ela diz pra eu falar alguma coisa; eu suplico que ela cale a boca por cinco minutos. Ela prefere o sol do meio-dia; eu prefiro o ar-condicionado. Ela diz que estou branca feito um bicho da goiaba; eu respondo que ela está laranja feito um nacho de Doritos. Agora estamos de novo aqui, juntas, em viagem, sentadas na grama da praça de José Ignacio. Que bom, né, mãe? Que bom que a vida nos concedeu este prazo para descobrir ainda a tempo o privilégio de passearmos juntas por aí e explorar como adultas esta delicada amizade — e o que existe de melhor em cada uma de nós. ♥️ #amordemãe #amordefilha #viajecomsuamãe
  • Né?! 👌🏻