Emmanuelle Alt: o charme descomplicado da editora de moda da Vogue Paris

Sempre que preciso arrumar uma mala funcional, seja para um bate volta, para uma semana de trabalho ou mesmo férias cosmopolitas (não estou falando de viagens para praia ou montanha, mas para asfalto), busco inspiração em uma mulher que poderia ter a palavra “descomplicada” no sobrenome: Emmanuelle Alt.

MUITO PRAZER, SOU EMMANUELLE ALT!

Emmanuelle Alt é a editora de moda da Vogue Paris. Uma das raras mulheres que consegue ser tão básica, tão elegante e tão funcional. A equação de Emmanuelle não pode ser mais simples: skinny + blusinha/camiseta básica + blazer/jaqueta. Às vezes bota; às vezes scarpin. E pronto. Olha!

O scarpin e a skinny aparecem de novo. Agora ela troca a jaqueta perfecto pelo blazer de couro; e a camiseta branca pela cinza

Mesmo scarpin da foto acima, mas agora com skinny de couro, cinto e camisa. That’s it!

Repare que o duo camiseta + jaqueta aparece de novo. Agora, ela troca a skinny por short + meia bem fechada e bota na altura do joelho. O efeito da perna preta, seja com skinny ou short + meia permanece

Mesma bota e mesma meia. Agora com o toque navy da camiseta de listras e o blazer branco com ombreira estruturada

É exatamente essa repetição de roupa sem medo de ser feliz que mais me encanta em Emmanuelle Alt. Outra coisa que mais me encanta é ver que ela é editora da Vogue Paris – quero dizer editora de moda de uma das revistas mais influentes do mundo – e não tem nenhum sinal de afetação na hora de se vestir.

Selecionei mais algumas imagens que ajudam a ilustrar o estilo de Emmanuelle. Algumas características se repetem, como a barra da calça quase sempre encurtada, a preferência por variar os casacos e manter-se básica no restante do figurino, a presença forte da bota e do scarpin.

Espia!

alt1alt2alt3alt4alt5alt6alt7alt8alt9_valealt9alt10alt11alt12alt13alt14alt15alt16alt17alt18alt19alt20

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

12 Comentários
  1. Oi Mari, esses dias estava na Cultura e encontrei um livro super interessante sobre o estilo das parisienses, que segue exatamente essa linha da Emmanuelle Alt, se chama A Parisiense – de Ines de La Fressange.
    Fala justamente nesse estilo “nem ligo pro que visto, mas consigo chamar a atenção de qualquer forma”. Eu adorei o livro e as dicas de peças básicas de guarda roupa para estar sempre bem vestida.
    Adoro teu blog, e não posso negar que estou enlouquecendo meu marido para ter um Bento também… Rsrs..
    Bjo

  2. É, cada uma lidera no seu estilo.
    Concordo em repetir roupas, ter criatividade e talz.
    Mas o básico as vezes me passa acomodação ou preocupação em não destoar, sei lá…
    Bjs

  3. Mariana, mt bom o post!

    Sou muito mais o estilo acessível e atemporal da voguette francesa do que da colega da Vogue Japão Anna Dello Russo.
    Acho as duas belíssimas, mas sinceramente, quem consegue viver naquela montação diária?
    #teamemmanuelle

  4. Boa tarde! Sou de Novo Hamburgo e sou sua fã.. Comecei a seguir você desde uma matéria q você fez sobre as mulheres Francesas.Você deu dicas sobre um livro, mulheres Francesas não engordam. comprei o livro e comecei a acompanhar tudo q você posta. Amei essa matéria sobre a diretora da Vogue Paris. parabéns continue colocando mulheres inspiradoras em nossas vidas. Bjo

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Ensalada de Durazno: pêssego queimado, folhas verdes, queijo de cabra, pistache, cebola roxa e um molho vinagrete indescritível. Autor: @francismallmann @restaurantegarzon 👌🏻♥️🇺🇾
  • Leva um tempo até a gente perceber que por trás da figura de mãe existe também uma mulher como nós. Com gostos, desejos, anseios, vontades, expectativas, decepções. Não dizem que são nas viagens que a gente conhece profundamente a essência dos amores e amigos? Pois viagens também contribuem para aproximar mães e filhas no papel de duas mulheres adultas e companheiras. Em nossas viagens, mãe e eu convivemos com nossas imperfeições e fizemos mútuas descobertas – das profundas às mais comezinhas. Ela bebe pouca água; eu vivo com uma garrafa na mão. Ela critica a minha garrafa; eu critico a falta de água no organismo dela. Ela já planeja a Páscoa do ano que vem; eu ainda nem cheguei no próximo Natal. Ela não compreende a minha falta de planos; eu não entendo a ansiedade dela. Ela pensa em voz alta; eu reflito em silêncio. Ela diz pra eu falar alguma coisa; eu suplico que ela cale a boca por cinco minutos. Ela prefere o sol do meio-dia; eu prefiro o ar-condicionado. Ela diz que estou branca feito um bicho da goiaba; eu respondo que ela está laranja feito um nacho de Doritos. Agora estamos de novo aqui, juntas, em viagem, sentadas na grama da praça de José Ignacio. Que bom, né, mãe? Que bom que a vida nos concedeu este prazo para descobrir ainda a tempo o privilégio de passearmos juntas por aí e explorar como adultas esta delicada amizade — e o que existe de melhor em cada uma de nós. ♥️ #amordemãe #amordefilha #viajecomsuamãe
  • Né?! 👌🏻
  • Início de namoro no balanço. Fazenda Tapera, Santo Augusto, RS. Junho 2007. #tbt #valentinesday2019 ♥️
  • Uma tarde em família descobrindo @pueblogarzon e as maravilhas da cozinha do @restaurantegarzon do super chef @francismallmann 👌🏻🇺🇾🐶 #uruguay #poraí #francismallmann
  • “Não existe uma raça superior. Tem tanto valor um porteiro quanto um médico, porque cada um desempenha o seu trabalho com dignidade e cada um é importante para toda a sociedade. Nós não vamos acabar com os problemas sociais enquanto não mudarmos nossas cabeças e exigirmos dos que estão acima de nós o respeito que o povo tem que ter e merece ter. Tem que nos dar respeito, e não caridade pública, mas respeito”. Dona Mercedes, mãe de Ricardo Boechat. A fruta não cai longe do pé. 🖤 #rip #ricardoboechat