Esse cara sabe das coisas

A mudança para a nova casa Donna trouxe a reboque uma série dos mais novos e variados projetos. O tempo, que já era curto, ficou ainda menor. De repente, 15 dias se passaram e eu me dei conta que havia perdido completamente o controle sobre a minha vida pessoal. Mudanças despertam doses de entusiamo, mas também algumas ansiedades. Quando vi, não dormia mais direito, havia abandonado meu pilates e o pobre do Bento estava prestes a se tornar um objeto decorativo dentro de casa.

ELA MAL FALAVA COMIGO

Dores começaram a aparecer. Não apenas dores físicas (dor de cabeça, dor nas costas, dor nos ombros, dor no pescoço), mas dores psíquicas (ansiedade, estresse, palpitações no peito). Na sexta-feira passada, após duas semanas enfiada nesse turbilhão maluco, eu percebi que havia chegado a hora de dar um basta e retomar o curso da minha vida. É preciso trabalhar? Sim. Com prazer, de preferência. Mas também é preciso passear com o cachorro, ter tempo de ver a família, fazer exercício, comer direito. Já não sabia mais o que havia deixado de fazer primeiro.

ELA ANDAVA FALANDO SOZINHA PELA RUA

PIOR É QUE É VERDADE

Terminei o expediente na sexta-feira com a convicção de que, a partir desta semana, tudo seria diferente. E está sendo. Recomecei meu pilates, passeei com meu cachorro, almocei. E neste fim de tarde de segunda-feira faço minhas todas as respostas de Jason Fried.

ESSE MOÇO BONITO

É um alento topar com pessoas bem-sucedidas que pensam como a gente, e Jason pensa exatamente como eu. Ele é um empresário americano, fundador da 37 Signals, especializada em desenvolver aplicativos para a internet. É formado em finanças pela Universidade do Arizona, foi diretor criativo de empresas de web design antes de fundar a 37 Signals e é autor de dois livros sobre negócios: Getting real, de 2007, e Rework, que está lançando agora. Além disso, mantém o blog sobre estratégias de negócios (37signals.com/svn).

Agora, preciso que prestem ainda mais atenção.

TENHO UM PEDIDO A FAZER DE JOELHOS

Leiam, por favor, a entrevista que Jason Fried concedeu à revista ÉPOCA.

ESTÁ AQUI

Leiam com atenção e reparem na última resposta, completamente em sintonia com a minha retomada de vida esta semana. Ensina o mundo e as pessoas, Jason!

POR FAVOR!!

CLARO, MARYANNA!

ENTÃO FALA LOGO!!

“Meu lema é: menos é menos. Detesto a frase batida “menos é mais” porque tem embutida nela a filosofia de que mais é melhor. Nem sempre mais é melhor. Menos sempre é uma opção para melhorar sua vida. Trabalhar menos dá tempo livre para viver e trabalhar melhor. Ter menos empregados permite ter empregados melhores e mais comprometidos. Hoje, a filosofia nos negócios tem como única opção o mais: você precisa crescer rápido, vender mais, produzir mais, lucrar mais. Claro que é importante crescer, vender e lucrar. Mas muitas vezes perdemos o foco e somos desonestos com nossos projetos de vida por causa disso. O melhor exemplo são os viciados em trabalho. Todos admiram os workaholics como se eles fossem heróis. Estão errados: eles não são heróis. O verdadeiro herói está em casa, porque arranjou um jeito rápido e prático de resolver seus problemas e fazer seu trabalho.”



Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Bravo Mariana!!!! Exatamente assim que eu penso desde que comecei a trabalhar com gestão de competência e resultados. Maravilhosa sacada!!!!

  2. É isso mesmo Mariana, não podemos abrir mão dos prazeres da vida e apenas trabalhar e trabalhar, claro minha amiga que o trabalho é importante, principalmente quando fazemos aquilo que gostamos, mas não abra mão das coisas que você ama por ele, seja feliz e viva mais, o teu bem estar é o que conta, isso também a ajudará em seu trabalho. Bjs

  3. Bom dia Mari, Impressionante esse cara se os Gestores de hoje em dia tivessem um pouquinho dessa inteligência de saber liderar, com certeza acordaríamos nas Segundas-feiras com um sorrisão para trabalhar. Forte Abraço!

  4. Sensacional, Mariana!
    Copiei essa resposta dele e vou postar no facebook com os devidos créditos.
    É de escrever num cartaz e colocar na parede.
    bj e espero q teu dia tenha começado bem.

  5. Bom dia Mary! Tu e o Jason também me representam! Eu demorei muito para aprender. Mas depois de ter o meu nome como pauta de uma reunião de gestores, onde fui classificada como “problemática” por ser a funcionária que mais horas ficava na empresa, entendi que o meu caso era de muito comprometimento com a empresa e nenhum comigo mesma! beijos

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.