Etiqueta do Chapéu: AMIGA MARI explica como, quando e onde usar (e evitar!) o acessório

Recentemente, reunimos 200 mulheres em Santa Rosa, no interior do Rio Grande do Sul, para o Chá das 5, evento sobre moda, estilo e comportamento. O Chá das 5 acabou estendendo-se 8h da noite adentro – e nem vimos o tempo passar porque o bate papo estava pra lá de descontraído. Na plateia, uma das participantes levantou a mão e direcionou a mim a seguinte pergunta:

– Quando eu vou a um restaurante de chapéu, preciso retirá-lo na hora de sentar à mesa? Pergunto isso porque o cabelo fica todo desarrumado e nunca sei como agir.

Sim, precisa. Chapéus só estão permitidos se você estiver ao ar livre. Chapéu é um acessório funcional, que serve para proteger a cabeça do frio ou o rosto do sol. Em lugares onde não há serviço de chapelaria (na Europa este serviço é bastante comum), o ideal é que você acomode o acessório no colo ou pendurado na cadeira. Jamais em cima da mesa. Ah, mas e o cabelo? Uma passadinha antes no toilette para arrumá-lo é sempre uma boa dica.

A partir desta pergunta em Santa Rosa, percebi o quanto este tema ainda gera dúvida em muitas mulheres. Preparei então um Amiga Mari com um guia de Etiqueta do Chapéu. Espia só!

chapeuCHAPÉU EM CASAMENTOS
É correto apenas se a cerimônia for durante o dia – e tirá-lo não faz o menor sentido, uma vez que o chapéu foi pensado como parte integrante do figurino. Em cerimônias pela manhã, indica-se modelos de abas pequenas. A partir do meio dia e no final de tarde, está permitida a aba mais larga. Em cerimônias à noite, invista em fascinators, tão popularizados por Kate Middleton.

hatCHAPÉU NO AMBIENTE PROFISSIONAL
Depende muito do ambiente e da atividade profissional. Em lugares mais formais, como escritórios de advocacia, por exemplo, o melhor é evitar o uso, pois pode passar uma impressão de descontração que não combina com o lugar. Já em uma produtora de vídeo, agência de publicidade ou outro ambiente mais informal, está permitido. Mas lembro: vale sempre o bom senso e a observação de como funciona o dress code ao redor. Neste caso, não vejo nenhum problema de suar na rua, mas não indicaria dentro do escritório, pois pede a funcionalidade.

Mari, se eu for convidada para um almoço ao ar livre? Posso sentar à mesa de chapéu?
Sim, mas só se estiver ao ar livre e o acessório for imprescindível na produção.

Mari, posso usar chapéu dentro da igreja?
Até os casamentos de Kate Middleton e Meghan Markle, eu diria “nem pensar!”. Porém, o que se viu dentro da igreja foram mulheres e seus chapéus de todos os formatos e tamanhos. Até onde havia aprendido em matéria de etiqueta, com exceção dos modelos pequenos, tipo fascinator, todos os chapéus devem ser retirados em ambientes fechados. Sobretudo, na igreja, ambiente de máximo respeito. Portanto, em cerimônias que incluam a igreja, prefira arranjos de cabelo ou fascinator. Mas agora, confesso que já não sei mais nada. Sim, Amiga Mari também tem dúvidas e estudará mais a respeito.

+MODA: Qual é o estilo de chapéu que combina com você? Amiga Mari responde

Mari, se eu for jantar na casa de uma amiga íntima, ainda assim preciso tirar o chapéu ou a boina?
Chapéu e boina são acessórios de proteção que você utilizou para locomover-se até a casa de sua amiga, certo? Assim como você vai tirar o casaco quando chegar, faça o mesmo com o chapéu ou a boina. Por falar em boinas, elas podem ser mantidas em shows, exposições e festas.

Mari, mulheres de todas as idades podem usar chapéu?
Sim, todas as mulheres podem usar chapéu, independentemente da idade. Depende do estilo de cada uma e de sentir-se bem com o acessório. Se a ideia é começar a usar, indico sempre  chapéus e boinas de cores neutras para familiarizar-se com a peça.

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

4 Comentários
  1. Bruno Astuto foi ao programa da Ana Maria Braga de chapéu, sentou-se á mesa e assim ficou até o final do programa.
    Achei o fim, logo ele que fala inclusive de etiqueta.

  2. Olá, Mariana.
    Acabo de ler seu post sobre chapéus e, como chapeleira há mais de 20 anos, gostaria de fazer algumas correções:
    Mulheres não tiram os chapéus em nenhuma situação. Elas permanecem de chapéu nas igrejas, nas recepções e nos almoços, ao ar livre ou “indoor”.
    Procure fotos dos casamentos das monarquias, nas catedrais e abadias, e veja que as mulheres estão com seus chapéus durante as celebrações.
    Somente os homens devem retirar os chapéus nas igrejas e recintos fechados.
    As brasileiras têm muitas dúvidas e inseguranças qto ao uso do chapéu e precisam receber informações corretas.
    Um abraço.
    Angélica – Marry Chapéus.

  3. Mariana, Bom dia!
    Sou o pai da noiva. Irei de terno e gravata, claro.
    A cerimônia será realizada em ambiente fechado, numa
    capela, à noite.
    Como sou habituado a usar boné, ajude-me:
    Posso usar algo adequado, como por exemplo uma boina?
    Obrigado pela resposta.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Penteados e escovados para a primeira de muitas noites de autógrafos de Vida Peregrina, que me levaria à lista dos livros mais vendidos do país e confirmaria Bentolino como um dos personagens mais importantes da minha existência como escritora. Seis anos hoje. Saudade, Xerife. ❤️🐶📘 #tbt #2013 #vidaperegrina #livromarikalil
  • Éramos uma família de bageenses morando no Rio e nossa família multiplicava-se com mais bageenses que chegavam no Carnaval. Tudo começava ao cair do sol com um primeiro chope para brindar a união e terminava com corpos ao mar pra curar o ressacão. Lembrança do nosso primeiro bailinho em que eu me retorci para entrar em uma fantasia de odalisca tamanho 14 comprada em uma loja infantil de Ipanema. É que ainda estava borracha da noite anterior. Borrachos entendem. 🍺
Casa da @renatabrasilvidal e do @marcelogoskes; Rio de Janeiro, Carnaval 2006. #tbt
  • Ter o privilégio de passar horas e horas conhecendo muitas das minhas perseguidoras faz a gente mais feliz. Ser recebida com carinho pelo @centrocarinaborges, que abriu suas portas para este momento tão especial de beleza e amizade faz a gente mais feliz. Poder oferecer a excelência dos produtos da @farmathuia para as amigas da Mari faz a gente mais feliz. Servir os melhores quitutes fit da @feeljoy.com.br e a delícia do capuccino proteico do @mundoverdeiguatemipoa faz a gente mais feliz. Rodopiar com um vestido de seda floral da @boutiquemariahelena capaz de traduzir com maestria meu estado de espírito faz a gente mais feliz. Felicidade é encontrar alegria na alegria dos outros; felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente. Obrigada a todas que hoje fizeram meu dia muito, muito mais feliz! ✨🙏🏻❤️
  • Quem nunca aplicou uma dessas?! 👆🏻
  • Me diga se pode existir desgraceira maior do que chegar ao vestiário de natação molhada em cima de um par de chinelos molhados, com o cabelo todo desgrenhado, com o rosto todo marcado dos óculos e ainda ter que pegar a sacola, botar a sacola em cima de um banco, abrir a sacola, retirar os saquinhos plásticos para guardar o maiô encharcado junto com a touca e o óculos, pegar a nécessaire, sair equilibrando toalha, xampu, sabonete e condicionador até o box, sempre pisando naquele chinelo nojento molhado, tomar banho na companhia de fios de cabelos de terceiros, recolher sabonete, condicionador e xampu, secar um por um com a toalha, se enrolar na tolha, voltar pingando até o armário em cima daquele chinelo nojento molhado, abrir o armário, abrir a sacola, guardar o xampu, o condicionador e o sabonete dentro da nécessaire, retirar o pente, desembaraçar o cabelo cuidando para não deixar fios caírem no chão, passar hidratante na volta dos olhos, sérum facial, creme com proteção solar, hidratante corporal, vestir a roupa toda amassada dentro da sacola, sentar no banco com o pé ainda molhado em cima daquele chinelo nojento com fio de cabelo de terceiros grudados na sola, secar dedinho por dedinho, colocar o sapato, secar o chinelo, ensacar o chinelo e terminar a maratona botando os bofes para fora do calorão que sai daquela quantidade de chuveiros quentes e secadores ligados. 
Me diga: pode existir desgraceira maior?!
  • Tenha coragem para as grandes adversidades da vida e paciência para as pequenas, e quando tiver cumprido laboriosamente sua tarefa diária vá dormir em paz. Deus está acordado. (Victor Hugo).