Food Detective: você vai querer tirar sangue

Semana passada, tirei sangue para exatamente 15 exames. Sabe aqueles frasquinhos ajustados à agulha que vão enchendo e enchendo – e daí o enfermeiro tira um e coloca o outro, tira um e coloca o outro, tira um e coloca o outro,  enquanto a agulha segue enfiada na veia? Pois é. Eu vi ele tirar um e colocar o outro 15 vezes.

Minha sorte é que não tenho problema com isso. Eu vejo o técnico de enfermagem espetar a agulha, eu vejo a agulha ir chegando até a veia, eu vejo o sangue começar a aparecer e encher o frasquinho e fico vendo ele tirar um frasquinho e colocar o outro, tirar um e colocar o outro.

No meio do processo, perguntei ao enfermeiro:
– Quantos mililitros tem em cada frasco?
– Dois – ele respondeu.
– Hum.. Então, estou tirando 30ml de sangue.
– Exatamente

jeanne-coutureEQUIVALENTE AO CONTEÚDO DO FRASCO DA LANVIN

Tirei 30ml de sangue para 15 exames e não tirei uma mísera gota para um exame em especial que está dando o que falar – e que necessita exatamente desta quantidade: uma gota de sangue. Chama-se Food Detective e aponta, por meio de uma gota de sangue, 59 alimentos associados a intolerância alimentar, originando mais de 150 sintomas descritos na literatura médica que podem atrapalhar seus resultados.

O relatório de resultados é entregue em apenas 40 minutos. Com o novo recurso, é possível realizar uma dieta ainda mais personalizada. A partir do exame, que apresenta resultados imediatos, dá para  saber o que o organismo não tolera, com o objetivo de construir um plano alimentar único.

scared-woman2-267x300QUERO FAZER AGORA!

O exame foi desenvolvido em Cambridge, na Inglaterra, e a tecnologia chegou ao Brasil em outubro do ano passado. No Rio e em São Paulo já anda virando febre – principalmente entre elas, sempre elas, as celebridades. Ou seja: está instalado um novo modismo desencadeado pelo showbiz.

A carioca Andréa Santa Rosa Garcia, nutricionista funcional, foi a primeira a utilizar esse recurso no Brasil, em sua clínica no Leblon.

Fala, Andrea!

andrea-santa-rosa“Cada organismo tem uma individualidade bioquímica. Uma pessoa ansiosa, por exemplo, precisa ingerir mais zinco; já outra, com carência de selênio, pode desenvolver problemas na tireóide.  O Food Detective é fundamental nesse processo porque indica quais alimentos devem ser retirados da dieta e quais devem ser incluídos a fim de acelerar o metabolismo”

Obviamente, a novidade causou frenesi aqui na redação. Vi que um zum zum zum se formava em torno da mesa da Mel e da Mari Scholze e quis saber o que acontecia.
– É um exame novo que a gente precisa fazer agora – disse a Mari.
– Descobri um lugar que faz em Porto Alegre – avisou a Mel. – Custa R$ 650.

Screaming woman-time urgencyQUAL???!!!!

Foi então que a Mel falou a palavrinha mágica: Carina Borges – Centro Dermatofuncional e Nutrição.

bento1IMAGINA SE ELA JÁ NÃO ESTÁ LÁ NA PORTA

felizHE HE HE

Compartilhar
Sem comentários ainda.
  1. Oi Mari,
    Adorei a notícia! Estou suspeitando que tenho intolerância a alguns alimentos mas é difícil descobrir quais. Tu sabe quanto custa o exame?
    Abraços

    1. Existem exames que avaliam se tu tem intolerância a algum alimento e outros mais específicos para saber se é certo alimento como por exemplo amendoim ou corante vermelho.

  2. Adorei o exame, pena que ainda está meio caro.
    E corrigindo a correção (hahah)
    Para coletar sangue não precisa ser técnico em enfermagem, basta ter um curso (muitos coletadores nem isso tem) ou ser estagiário de cursos na área da saúde. Trabalhei em um laboratório como estagiária de biologia e coletava (mesmo sem poder) e a maioria dos coletadores eram só contratados e ensinados pelos antigos profissionais do laboratório. Infelizmente nem sempre as pessoas são preparadas para trabalhar na área da saúde.

    Parabéns pela matéria

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Estaremos te esperando, Chiquinho! Repost @chico_sperotto ♥️🐶🌞
  • • KARL LAGERFELD
10.09.1933 - 19.02.2019 🖤
•”Pense rosa. Mas não use".
•”Calça de moletom é sinal de fracasso. Você perdeu o controle sobre sua própria vida e comprou um moletom".
•”Eu acho tatuagem uma coisa horrorosa. É como viver o tempo todo em um vestido Pucci".
•”Meu maior luxo é não precisar me justificar para nenhuma pessoa.”
•”Gosto que tudo seja lavável. Eu mesmo, inclusive.”
•”Personalidade começa onde a comparação termina.”
•”As melhores coisas que fiz na minha vida, as vi nos meus sonhos. É por isso que tenho um caderno de rascunhos na minha cama.”
•”O politicamente correto, a preservação. Eu acho tudo isso extremamente chato.”
•”Coco Chanel jamais teria feito o que eu fiz. Ela teria odiado.”
•”Sou uma pessoa da moda e a moda não é somente sobre roupas. É sobre todos os tipos de mudança.”
•”Eu amo estar de passagem. Nasci em um porto, em Hamburgo. Então minha mãe disse: ‘É a porta do mundo, mas não é mais do que a porta. Portanto, já pra fora!’”.
#ripkarllagerfeld
  • - Dinda, entra no mar comigo?
- A dinda não gosta de mar gelado.
- Eu queria mergulhar com a dinda.
- Então a dinda vai te dar a maior prova de amor do mundo. E tu vai lembrar pra sempre, promete?
- Prometo, dinda.
E assim foi, e a lembrança eterna será de nós dois. #joaobenicio #amordadinda
  • Ensalada de Durazno: pêssego queimado, folhas verdes, queijo de cabra, pistache, cebola roxa e um molho vinagrete indescritível. Autor: @francismallmann @restaurantegarzon 👌🏻♥️🇺🇾 Detalhes no destaque do Stories
  • Leva um tempo até a gente perceber que por trás da figura de mãe existe também uma mulher como nós. Com gostos, desejos, anseios, vontades, expectativas, decepções. Não dizem que são nas viagens que a gente conhece profundamente a essência dos amores e amigos? Pois viagens também contribuem para aproximar mães e filhas no papel de duas mulheres adultas e companheiras. Em nossas viagens, mãe e eu convivemos com nossas imperfeições e fizemos mútuas descobertas – das profundas às mais comezinhas. Ela bebe pouca água; eu vivo com uma garrafa na mão. Ela critica a minha garrafa; eu critico a falta de água no organismo dela. Ela já planeja a Páscoa do ano que vem; eu ainda nem cheguei no próximo Natal. Ela não compreende a minha falta de planos; eu não entendo a ansiedade dela. Ela pensa em voz alta; eu reflito em silêncio. Ela diz pra eu falar alguma coisa; eu suplico que ela cale a boca por cinco minutos. Ela prefere o sol do meio-dia; eu prefiro o ar-condicionado. Ela diz que estou branca feito um bicho da goiaba; eu respondo que ela está laranja feito um nacho de Doritos. Agora estamos de novo aqui, juntas, em viagem, sentadas na grama da praça de José Ignacio. Que bom, né, mãe? Que bom que a vida nos concedeu este prazo para descobrir ainda a tempo o privilégio de passearmos juntas por aí e explorar como adultas esta delicada amizade — e o que existe de melhor em cada uma de nós. ♥️ #amordemãe #amordefilha #viajecomsuamãe
  • Né?! 👌🏻