Mari Kalil: A torta de maçã com stroopwafel da Elis é daquelas delícias para a vida!

Foi lançado o desafio, e desafio dado é desafio aceito:
– Mariana, você seria capaz de criar uma receita de torta contendo o biscoito Stroopwafel para oferecer a suas leitoras como opção de sobremesa de Natal? – perguntou o simpático Willem Vos, sócio-proprietário do Moinho Wafers, que fabrica o Stroopwafel Moinho.
– Óbvio! – respondi, de bate pronto, esquecendo momentaneamente que nem brigadeiro eu consigo fazer sem queimar o fundo da panela.

bento1123ELA É MUITO SEM NOÇÃO

Saí correndo sem olhar para trás e sem escalas até a casa da minha sogra. Precisava urgentemente pedir ajuda para a Elis. A Elis é funcionária da casa dos meus sogros há quase duas décadas e uma cozinheira de mão cheia. Pode dar um pedaço de aipo pra Elis que ela preparará algo de comer de joelhos.

Bati na porta de serviço, a Elis abriu.
– Elis, pelo amor de Deus – fui entrando. – Preciso dos teus dotes culinários e da tua criatividade.
– O que foi, Mariana? – Elis quis saber.
– Temos que criar a receita de uma torta contendo Stroopwafel para oferecer como opção de sobremesa às leitoras do site.
– O que é Stroopwafel? – Elis quis saber.

wafersAQUI Ó!
E fui tirando de dentro da bolsa três pacotes iguais a este!

Expliquei a Elis:
– Este é um biscoito típico holandês, com recheio de caramelo. Eu amo comer com chá, café, com sorvete, puro… Tem um sabor bastante doce, por isso eu acho que a ideia seria criarmos uma receita que equilibre um pouco. Agora, que receita é essa eu deixo pra ti – respondi. – Mas uma coisa importante: tem que ser algo fácil de fazer. Pensa na Mariana tendo que preparar esta receita! Daí tu vai ter uma ideia do grau de dificuldade: zero.
– Já sei o que vou fazer – respondeu de bate-pronto a Elis.

+ MARI KALIL: Delícia de verão tem nome: stroopwafel com sorvete! Resista se for capaz!

Vinte e quatro horas depois, apita meu celular. Mensagem da Elis por WhatsApp
“Olha como está ficando!”, ela escreveu.

E mandou a foto!

img_2147OOOOOOOOHHHHHHH

Os acontecimentos ocorridos na sequência do envio desta imagem demonstram um descontrole total por parte de Mariana. De posse da torta, Mariana, obviamente, experimentou a torta.

Olha!

img_2148ERA DADA A LARGADA NO COMEÇO DO DESCONTROLE

Dei uma garfada ainda no prato mesmo para provar. “Não acredito”, pensei, enquanto mastigava. Ficou muito, muito maravilhosa. Fui dando outra garfada, mais outra garfada, mais outra garfada até que criei um buraco na torta. Apenas o buraco em si não seria nada se eu tivesse lembrado de fazer a fotografia da torta inteira antes para garantir a imagem deste post.

olivia10-350x4992ELA COMEU ANTES DE FOTOGRAFAR

bento1123ELA É MUITO SEM NOÇÃO

manaDEPOIS FALA DE MIM

O que aconteceu então? Depois de devorar a metade da torta, e seu respectivo marido Carlos Eduardo devorar a outra metade, Mariana pediu a Elis que enviasse a receita para que ela não apenas publicasse para as queridas leitoras, mas colocasse em prática em sua própria cozinha a fim de não apenas garantir a imagem, mas assegurar-se da facilidade de execução. Tenho a dizer que é barbada e mais: que vocês vão querer preparar não apenas no Natal, mas pelo resto de suas vidas. Sabe aquelas receitas que passam gerações? Pois é! Bem-vinda a um delas.

Chega de papo, então, e vamos à maravilhosa torta de maçã com stroopwafel da Elis!

stroop-torta1TORTA DE STROOPWAFEL COM MAÇÃ, CANELA E CASTANHAS DO PARÁ

Ingredientes
3 pacotes de biscoito Stroopwafel Moinho Wafers
3 maçãs
Castanhas-do-Pará
Canela
Manteiga ou Ghee para untar

Modo de preparo
Cortar as maçãs em fatias bem fininhas. Triturar os biscoitos Stroopwafel ou cortar com as mãos em pedaços bem pequenos. Untar um prato refratário com manteiga ou Ghee e dispor uma camada de maçãs. Em seguida, colocar uma camada de biscoitos triturados. Misturar a canela com as castanhas do Pará trituradas e dispor como terceira camada. Repetir a camada de maçãs, a camada de biscoitos triturados e a camada de canela com castanhas e assim sucessivamente até chegar na borda do prato. Levar ao forno em fogo baixo para assar durante 20 minutos. Voilà!

+MARI KALIL: Sete maneiras de comer e servir stroopwafel, este divino e tradicional biscoito holandês

Por fim, quero deixar uma boa dica e uma novidade: além do Stroopwafel, a Moinho Wafers também passou a produzir farelos do biscoito.

Olha!

farelosPACOTE DE 300 GRAMAS DE FARELO DE STROOPWAFEL
Em Porto Alegre, à venda com exclusividade no Armazém dos Importados ( Rua Padre Chagas, 171, Moinhos de Vento) e no Armazém do Queijo (Rua Murilo Furtado, 254, Petrópolis)

Portanto, se você tiver preguiça, falta de tempo ou mesmo apenas quiser experimentar a novidade, pode substituir os biscoitos da receita da Elis pelos farelos, que já vêm triturados.

Olha!

lata-fareloEU TENHO, ÓBVIO!
#alouquinhadostroopwafel 🙂

lata-stroppGUARDO OS MEUS FARELOS NA PRÓPRIA LATA DOS BISCOITOS
E gosto de manter na geladeira pra beliscar com chá e cafezinho!

lata1E POR FALAR EM LATA DE BISCOITOS…
Se eu puder deixar uma última dica, pense a respeito de presentear com esta fofíssima lata com biscoitos Stroopwafel neste fim de ano. Uma linda lembrança que não termina na última dentada, já que a lata torna-se objeto de decoração e tem mil e uma utilidades. Um jeito criativo e bem longe do lugar comum para adocicar a vida de quem queremos bem! No Zaffari, em Porto Alegre, eu sei que tem!

apontando_para_baixo_0111ONDE ENCONTRAR STROOPWAFEL NA SUA CIDADE!

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

1 Comentário

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Né?!👌🏻#simplesassim #bekind
  • “Nunca mais me convida pra pegar praia em José Ignacio.” #gorda #reportergorducha
  • Dia de praia no @lachozademarparador. Viaja até José Ignacio, caminha na areia quente, procura guarda-sol, carrega geleira, sacola, mochila, faz reportagem para o Band Mulher e sorri pra foto! 🤣🐶
  • Bento envelheceu. Não foi do dia para a noite. Trata-se de um envelhecimento gradativo. Uma enfermidade aqui, uma coisinha crônica acolá – e há uns bons cinco anos vamos levando esses percalços da velhice com acompanhamento veterinário, exames de rotina, troca de medicações, mas sobretudo, com amor, cuidado, amizade, lealdade e fé. Neste último ano, mais precisamente nos últimos meses, Bento deixou de ser um cachorrinho vivaz, de olhos espertos e comportamento ágil para se transformar em um senhor de seus lá 95 anos (equivalente à idade humana) que requer uma série de cuidados e a minha presença e atenção 24 horas por dia. O diagnóstico complicou, como costumam complicar os diagnósticos à medida que a idade avança, e através do olhar do Bento eu enxergo diariamente o reflexo da finitude da vida. Não pode existir sofrimento maior para um dono de cachorro do que essa despedida diária. A cada dia, menos um dia. A cada dia, também uma surpresa. Um dia feliz, caminhando melhor, disposto, com apetite e sorrisos. No dia seguinte, sono, muito sono, xixi nas calças, olhar distante, cabecinha para o lado e alheio ao mundo ao redor. Um dia vivaz; noutro, senil. Deveria ser proibido pela natureza vivermos tal experiência. Bento significa para mim muito mais do que um dos meus grandes melhores amigos.
É meu companheiro de jornada por uma vida de altos e baixos, cheia de mudanças e reinvenções – e da qual foi testemunha ocular e grande conselheiro. Nos conhecemos quando ele tinha 30 dias de vida e desde então cruzamos oceanos até. O que eu quero que ele saiba – e o que eu sei que ele sabe – é que estarei sempre aqui. E hoje estamos aqui. E assim seguiremos juntos. Com sorrisos e mãos dadas. Até o fim. Porque a única certeza que temos é a de que o fim chega para todos nós. E com ele um novo renascer.🐶♥️🙏🏻 #bento #xerife #18anos #companheirodejornada
  • Muito havia ouvido falar de que filhos de nossas irmãs são nossos filhos também. Mas a teoria sempre só faz sentido quando a realidade se confirma. Quando João Benício nasceu, me tornei tia – e ser tia é o maior presente que um irmão e uma irmã podem nos dar. Ser tia é descobrir a maternidade de outra forma, é descobrir um amor que não sabíamos que existia. Quando me tornei tia, passei a enxergar as crianças sob outra ótica, com mais ternura e paciência. Passei a entender também a falta de paciência das mães em muitos momentos. Quando me tornei tia, passei a sentir mais saudade, passei a beijar e a abraçar mais. Passei a me preocupar mais com a humanidade, com o futuro, com o legado das pessoas e das coisas. Quando João nasceu, me tornei um ser humano melhor. Ser tia é amar profundamente uma pessoa que parece ter saído de dentro de nós. É encontrar tempo onde antes só havia falta de tempo. É segurar no colo, é não sentir dor no braço, é aguentar sem reclamar a dor nas costas. É deixar a garrafa de vinho e o Netflix de lado numa sexta-feira à noite para deitar ao lado de quem insiste em se manter acordado. Tias também são mães, são capazes de amar como mães. Tias são a segurança das mães de que, em qualquer ausência delas, amor é o que jamais faltará. Porto Alegre, agosto de 2015. #joãobenicio #amordatia #amordadinda
  • Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida. Pecado capital, viu Gorda?