Mari Kalil: o alívio de um closet arrumado e ideias para um guarda-roupa organizado

Tive um esgotamento físico e mental no primeiro dia de horário de verão. Por sorte, escureceu mais tarde, e eu não tive a impressão de perder a tarde trancada entre as quatro paredes do meu closet que mais parecia a Síria devastada pela guerra. Havia muito tempo meu guarda-roupa não estava tão desorganizado – e eu já não conseguia mais olhar para toda aquela esculhambação. Não sou virginiana, mas se tem algo do qual me orgulho é da minha organização e disciplina. Portanto, ver aquele cenário de tornado que assolou as prateleiras de roupas estava me provocando quase uma síndrome do pânico.

Duas sacolas saíram lá de dentro para doação – e duas toneladas foram tiradas de cima dos meus ombros. Arrumar o guarda-roupa funciona como uma espécie de terapia. Vou organizando os cabides e colocando ordem na vida. Estava lendo sobre essa relação entre a arrumação de roupas e a sensação de paz interior e está cientificamente comprovado que as duas coisas têm relação. Para a psicologia, um ambiente organizado ajuda o cérebro a receber mensagens organizadamente.

manaTALVEZ AGORA ELA MELHORE

bento1124ANDAVA COMPLETAMENTE LELÉ

Psicólogos e psiquiatras têm o hábito de associar a desorganização sazonal com problemas de saúde e depressão, pois o desorganizado costuma não ter vontade de realizar as tarefas e vai deixando acumular até tudo virar um caos – reflexo, segundo eles, dos sentimentos. Eu não andava com depressão (a menos que saiba), tampouco com problemas de saúde. Mas pensando alto agora, estive recentemente na fase de check up trimestral que faço há três anos por conta do câncer de pele que tive. E sempre que passo por esse período, minha vida meio que faz uma pausa, eu me desorganizo um pouco mentalmente. Culminou esta vez de aparecer um troço do meu ovário direito e um dos exames de sangue dar uma variação completamente fora da curva – e o pesadelo voltou.

mulher-hysteria3EU VOU MORRER

Com o pesadelo, vieram mais e mais exames para me revirar do avesso, e o guarda-roupa foi ficando igual à minha cabeça: transtornado. Enfim, ecografias, raios X, ressonância magnética, milhares de exames de sangue depois, não é nada grave. Vida que segue, com ordem, progresso e agora com guarda-roupa nos trinques.

+MARI KALIL: Biquínis que adquiri para o projeto #correndodebiquínibranconapraia

Pesquisas mostram que postergar a arrumação pode ser uma forma de fazer o mesmo com os outros compromissos da vida. Por outro lado, quem vive diariamente com mania de arrumação e limpeza, conforme os especialistas, indica problemas internos enraizados. A quem interessar possa, a quem estiver precisando colocar um pouco de ordem na cabeça e no closet, enumero abaixo minha experiência com arrumação de guarda-roupa.

Olha!

dfa-funds-numberone1-300x300Nunca tiro tudo de dentro do armário de uma vez só. Isso causa crise de ansiedade e mais: lá pelo meio da faxina a gente começa a ficar cansada, a fazer as coisas mal e porcamente e coloca tudo a perder. O ideal é separar por itens. Domingo, por exemplo, arrumei calças, blusas, camisas e roupa de academia. Deixei para outro dia as gavetas de meias e lingeries. Se tivesse atirado tudo no meio do closet, teria saído correndo do quarto sem terminar o que havia começado. Se dividimos as arrumação em temas, podemos continuá-la por várias dias e tudo estará sempre em ordem.

dois-dedos-acima-16285003Costumo experimentar tudo de novo e ver se realmente vou usar ou me desfazer. Há peças que estão inteirinhas após anos de uso. Dá pena de dar adeus. O problema é que não combinam mais com o momento em que vivo, são peças que tinham minha cara quando eu tinha 20/30 anos e agora a realidade é outra. Então, elas vão para a sacola da doação.

tresErrei ao mandar fazer meu sapateiro, pois deveria tê-lo feito com mais profundidade. Certa feita, minha xará, Gloria Kalil, me deu uma dica preciosa sobre arrumação de sapatos: guardar um pé na frente do outro. Daí poupa-se mais espaço no sapateiro. Sim, eu ouvi a dica, registrei a dica, mandei fazer meu sapateiro sem aproveitar a dica e agora estou dando a dica. Sim, sou uma imbecil.

numero-4-letras-e-numeros-numeros-pintado-por-giovannaol-1021494Abandonei por completo a ideia de pendurar mais de uma peça em um cabide – investir em cabides é investir em organização e em visibilidade. Pode ter certeza que aquela camiseta por baixo da outra será para sempre esquecida. Na pressa do dia a dia, a gente só enxerga o que está diante dos olhos.

cinco-300x3001Separo tudo por cores e coloco os cabides todos virados para a mesma direção e com os ganchos voltados para dentro. Se tenho TOC? Acho que não. Então, meu armário começa com tudo o que é branco, depois amarelo, depois verde, depois azul, depois vermelho, depois nude… E assim vai indo até o preto. São peças de tecidos variados, apenas unidas pela cor.

seisNão sou adepta de baixar roupas de inverno e subir roupas de verão e vice-versa a cada mudança de estação. Prefiro ter tudo à vista e por isso mesmo costumo manter apenas o que cabe à vista no guarda-roupa. Já faz algum tempo que as estações não são assim tão bem definidas e não iniciam pontualmente em suas datas oficiais. No inverno, posso precisar de uma blusa fresquinha e no verão posso querer um casaquinho. É por isso que sou adepta do menos é mais: tudo à vista. O que tenho está ao alcance dos olhos e ponto.

seteMeu ideal de vida é conseguir padronizar meus cabides. Ainda não consegui. Mas indico. Tudo parece muito mais bonito e em ordem com cabides de uma mesma cor. Algo que abominei de vez é manter aqueles cabides de lavanderia, sabe? Antes, trazia a roupa da lavanderia e deixava naquele cabide desmilinguido. Mas foi me dando uma sensação de desleixo.

oitoPenduro todas as peças que costumam ser passadas, como camisas, calças, vestidos e saias. Pra conservar as camisas passadas, aprendi a dica de abotoar o primeiro botão. Quanto aos casacos, mantenho sempre fechados para evitar que caiam do cabide e ocupem ainda mais espaço.

Por fim, uma galeria com inspirações muito legais para organizar acessórios, sapatos, o guarda-roupa e a vida!

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

4 Comentários
  1. Ótimas dicas! Te sigo e te curto Mas não compare seu closet bagunçado a Síria (ou qualquer outro lugar), devastada pela guerra. E não me leve a mal não…

  2. Realmente, arrumar o closet faz um bem danado!!! Outro dia arrumei o meu e fiquei bem!!! Arrumei a despensa também e fiquei melhor ainda!!! Agora tenho que arrumar o quintal!!! Organização faz bem, sem exageros, é claro!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • “Hello, doctor Renato! Good morning and good news! Doctor Guy can receive us the coming monday at Sheba Medical Center. The cells grew very well, they are approved for protocol in Israel”. ✨✨✨
Não perca, nunca perca, jamais perca tua força, tua coragem, tua fé.
  • O amor e o carinho de todos vocês, perseguidoras e perseguidores, me impulsiona como uma malabarista que voa pelo céu encantado em seu trapézio mágico. O amor e o carinho da minha família e amigos é o que me mantém firme e forte até aqui, com desequilíbrios e tropeços, sim. Mas com muito aprendizado. Não foram dias fáceis, não tem sido nada fácil e tampouco será daqui por diante. Mas, com fé, força e coragem, chegará o dia em que vamos emergir juntos lá do fundo desta tempestade - e então bastarão algumas braçadas e já estaremos do outro lado da margem deste mar revolto. O lado da cura. Amanhã, já posso voltar a comer batatinha em casa. E vamos em frente. 💪🏻 #bepositive
  • A dinda vai cair e levantar quantas vezes forem necessárias para te ver crescer e florescer em um mundo lindo de rosas amarelas, meu pequeno Johnny. 💛
  • Mais uma etapa vencida; mais três corações explodindo de felicidade de voltar pra casa. Em frente. 👊🏻 #bepositive
  • Uma ideia criativa de servir pão (vou imitar) y otras delícias do Bell Café: couve-flor, kebab e húmus (sempre ele!). #telavivfood 😋
  • Se você não vem comigo, nada disso tem valor. De que vale o paraíso sem amor? Se você não vem comigo, tudo isso vai ficar. No horizonte esperando por nós dois.