Mari Kalil: “Todas as razões (e emoções) do mundo me fazem preferir viajar na janela”

Qual é a sua preferência ao escolher um assento para viajar de ônibus ou de avião? A minha é uma só: janela. Seja o assento que for, bem na frente ou quase sentada na privada do banheiro, preciso desesperadamente sentar na janela.

woman-feel-irritatedQUESTÃO DE VIDA OU MORTE

Amo viajar de ônibus; odeio viajar de avião. No ônibus, passo horas e horas admirando a paisagem pela janela. Absolutamente muda, perdida nos mais diversos pensamentos.

onibus-mariBEM ASSIM

No avião, permaneço horas e horas em estado de choque, com o nariz colado naquele vidro que não é vidro, olhando fixamente para baixo. Se o trambolho ameaçar cair, quero ser a primeira a saber. É uma tortura psicológica horrorosa que antes dava uma certa amenizada com um comprimido de Rivotril sublingual. Ultimamente, tenho precisado de dois.

mulher-doidissima5-594x4992AINDA ASSIM É POUCO

Piora ainda mais quando sou obrigada a ouvir que “o assento da sua poltrona é flutuante e, em caso de pouco na água, retire-o e leve para fora da aeronave”. Sempre que estou trancafiada naquela geringonça e amarrada no maldito assento da poltrona, fico me imaginando levantando linda e calma, como quem vai dar um mergulho no mar do Caribe, removendo o assento, como quem pega o colchão d’água e um drink no bar da piscina, e dando uma barrigada em algum oceano por aí.

3917-woman-swimsuit-poolÀ ESPERA DA EQUIPE DE RESGATE

Quem neste mundo acredita no conto de fadas de que vai desembarcar do avião em caso de pouso na água e flutuar no assento da poltrona?

mulher-arrancando-os-cabelosME DIZ??

Há também uma sorte grande de passageiros inconvenientes. Há não muito tempo, viajei de ônibus durante sete horas ao lado de uma adolescente com cara de Pokemón que comia chiclete de boca aberta. Aquilo ativou em mim os instintos mais primitivos.

fd176064ed004f1464fbbcd92d0a604cFECHA A BOCA

A questão não era apenas o chiclete em si e aquela boca aberta fazendo balão explodindo em cuspe a cada 10 segundos. A perturbação maior era o sabor do chiclete: melancia. Quer desenvolver uma enxaqueca? Cheira um chiclete de melancia – e em seguida lembre-se de mim durante nove horas trancada em um ônibus fedendo a melancia, desenvolvendo uma enxaqueca dos infernos que só podia resultar no pior dos desfechos.

bento1124ELA VOMITOU NA POKÉMON

olivia10-350x4991FOI UMA CENA HORRÍVEL

Cena horrível vivenciei semana passada na viagem de volta de Bagé, no ônibus da meia noite. Não tenho o menor problema de dormir em ônibus à noite. Sento, reclino o banco e só acordo no destino. Isso acontece, claro, quando a senhora que comprou o assento da poltrona ao seu lado não é uma viciada em estourar plásticos bolha.

Woman looking crazy.BOLHA POR BOLHA

Pois a viciada em estourar plásticos bolha era minha vizinha. Passada uma hora de estouros ininterruptos de bolhas, resolvi dar uma espiada para ver o tamanho do plástico, fiz as contas e concluí que ela levaria mais uns 40 minutos para terminar de estourar o resto. Eu teria, então, pouco mais de três horas de sono. Meu cálculo foi certeiro. Voltei a reclinar o banco achando que dormiria quando percebi que ela mexia em alguma coisa dentro de uma sacola também de plástico. Adivinha?

scared-womanUM ROLO DE PLÁSTICOS BOLHA

A senhora ao meu lado era uma viciada em explosões de bolhas de plásticos bolha. Sim, ela passou as cinco horas da viagem de madrugada explodindo as abomináveis bolhas daquela desgraceira de plástico bolha.

olivia10-350x4994SOBROU PRA GENTE

manaCHEGOU EM CASA COM UM HUMOR HORRÍVEL

bento1124QUE NOVIDADE

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Sobre amar e ser amada. ❤️
  • Ontem um menino que brincava me falou: hoje é semente do amanhã. Para não ter medo que este tempo vai passar; não se desespere e nem pare de sonhar. Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs. Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar. Fé na vida, fé no homem, fé no que virá. Nós podemos tudo, nós podemos mais. Vamos lá fazer o que será. #timetogohome #gonzaguinha
  • “Aqui, no entanto, nós não olhamos para trás por muito tempo. Nós continuamos seguindo em frente, abrindo novas portas e fazendo coisas novas. Porque somos curiosos - e a curiosidade continua nos conduzindo por novos caminhos. Siga em frente”. (Walt Disney)
  • Quem me conhece de toda uma vida sabe que palavrão é algo que não sai da minha boca de lady. Mas, né? Vamos combinar! 😂😂😂 #humor #bepositive
  • Baba, mami e meu bolinho de aniversário de 1 ano. Sempre com a certeza de ainda muitos e muitos outros de vida. ✨ Londres, 19/12/1973. #tbt❤️
  • Meu pai, meu norte, minha serenidade, minha calmaria, meu aconchego, meu alicerce, minha certeza, minha paz, minha alma. Meu baba, minha estrutura, minha vida. ❤️