Moda de criança que adulto também quer!

Tenho um cansaço mental que me deixa burra neste momento. Burrinha, burrinha. A revista Donna acaba de ser finalizada em um dia em que pensei que não chegaria viva ao final para contar. Nem eu, nem Mari Scholze (acometida por uma virose horrível). Na lida com a revista impressa, só restaram sãs e salvas a Mel e a Mommy, que adora fazer uma dancinha da vitória na passarela das páginas finalizadas.

Olha!

passarelaNo final de todas as quartas-feiras, passeamos sobre a passarela de páginas buscando ter uma ideia da edição como um todo e buscando evitar títulos com palavras repetidas e páginas fora de contexto

No meio da tarde, com os olhos vermelhos do computador que não viam a luz no final do túnel da edição, recebi a visita de Ary Filgueiras. Ele entrou aqui na redação e apresentou-se perguntando por mim. Veio mostrar uma novidade que eu achei fascinante: o lançamento, feito na Couromoda, em São Paulo, da Ortopé Estica & Puxa, com borrachinhas coloridas, resistentes e colecionáveis no lugar de cadarços.

Olha!

09JAN15_Ortope_014-400x300NÃO É GENIAL?
Sabe quando tu tem a certeza de estar diante de um novo fenômeno? Eu tive essa certeza

Ary me contou que, na Europa, a mania já está disseminada inclusive nas marcas adultas. Aqui no Brasil, a Ortopé é a primeira importadora. Uma das vantagens é que não desamarra, e as crianças podem montar as borrachinhas nos tênis como bem entenderem. A empresa estima que a novidade deverá responder pela venda de 100 mil pares infantis da marca e faturamento de R$ 6,5 milhões só no primeiro semestre.

Segundo Fabio Schmitz, gerente de comunicação da Ortopé, o lançamento segue a tendência dos produtos customizáveis que estão fazendo o maior sucesso entre as crianças lá fora, como o “Rainbowloom”. Diz Fábio: “Acreditamos que este lançamento de abertura da coleção vai ser um sucesso e vender dez vezes mais tênis por linha da marca em 2015 do que em 2014”.

Estica e Puxa, da Ortopé © Jefferson Bernardes 09JAN15MAIS UMA FORMA DE VESTIR AS BORRACHINHAS!

Unissex, em numeração do 25 ao 36, com seis opções de cores e uma cartela com oito borrachinhas coloridas, além das que já vem no tênis, o Ortopé Estica & Puxa traz também uma palmilha esportiva exclusiva “Gravidade Zero”. É produzida em malha especial com tramas que permitem uma maior absorção do impacto, possui uma espuma viscoelástica baseada em uma tecnologia criada por cientistas americanos, muito mais leve e que se molda totalmente ao pé da criança e depois recupera a forma original, preservando sua curvatura natural e proporcionando uma agradável sensação de conforto e maciez no caminhar.

Chorando-4EU QUERO

bento1TU NÃO É MAIS CRIANÇA

chorando-4MAS EU QUERO

bento1CALA A BOCA E VEM LOGO ME DAR A JANTA

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Muito havia ouvido falar de que filhos de nossas irmãs são nossos filhos também. Mas a teoria sempre só faz sentido quando a realidade se confirma. Quando João Benício nasceu, me tornei tia – e ser tia é o maior presente que um irmão e uma irmã podem nos dar. Ser tia é descobrir a maternidade de outra forma, é descobrir um amor que não sabíamos que existia. Quando me tornei tia, passei a enxergar as crianças sob outra ótica, com mais ternura e paciência. Passei a entender também a falta de paciência das mães em muitos momentos. Quando me tornei tia, passei a sentir mais saudade, passei a beijar e a abraçar mais. Passei a me preocupar mais com a humanidade, com o futuro, com o legado das pessoas e das coisas. Quando João nasceu, me tornei um ser humano melhor. Ser tia é amar profundamente uma pessoa que parece ter saído de dentro de nós. É encontrar tempo onde antes só havia falta de tempo. É segurar no colo, é não sentir dor no braço, é aguentar sem reclamar a dor nas costas. É deixar a garrafa de vinho e o Netflix de lado numa sexta-feira à noite para deitar ao lado de quem insiste em se manter acordado. Tias também são mães, são capazes de amar como mães. Tias são a segurança das mães de que, em qualquer ausência delas, amor é o que jamais faltará. Porto Alegre, agosto de 2015. #joãobenicio #amordatia #amordadinda
  • Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida. Pecado capital, viu Gorda?
  • Abdominal, substantivo masculino. Preguiça, substantivo feminino. #chico #gorda
  • Observe os seus pensamentos, eles se transformam em palavras. Observe suas palavras, elas se transformam em ações. Observe suas ações, elas viram seus hábitos. Observe seus hábitos, pois eles se transformam em seu caráter. Observe seu caráter, pois ele se torna o seu destino. 🙌🏻♥️🙏🏻 Lao Tzu, filósofo e escritor da Antiga China, fundador do taoismo filosófico e religioso.
  • “Nunca estou mais acompanhado do que quando estou sozinho.” Carlos Drummond de Andrade. 🙌🏻
  • Durante anos e anos e anos que somam mais de uma década, essa foi nossa história: de aeroportos em aeroportos, nos mudamos 12 vezes de casa. Cruzamos estados, fronteiras, oceanos. Como escreveu Machado de Assis, “felizes os cães, que pelo faro descobrem os amigos”. Feliz de mim, que pelo faro também te descobri, Bentolino. E lá se vão 18 anos de jornada. 🙌🏻🐶♥️ Rio de Janeiro, 2012. #tbt #bento #xerife #companheirodejornada