MARI KALIL: A moda repensa seus valores e cede passagem a duas “Anti-It-Bags”

Sempre acreditei que a roupa que escolhemos vestir precisa comunicar algo. Do contrário, entramos para a turma das fashion victims – termo em inglês para “vítimas da moda” e que serve para designar aqueles que seguem religiosamente todas as tendências sem pensar na própria personalidade. A marca Vetements ganhou e consolidou espaço no cenário mundial por conta do cérebro por trás da label, o designer Demna Gvasalia.

vetementsDEMNA GVASALIA: O NOME EM VOGA NO CIRCUITO DA MODA INTERNACIONAL

Nascido na Geórgia, ex-República Soviética, e formado na Academia Real de Belas-Artes da Antuérpia, na Bélgica, Gvasalia trouxe para a moda elementos e histórias de sua biografia – e vem daí grande parte o seu sucesso: moda que comunica, que gera identificação, que tem memória. Uma prova disso? A camiseta com o logo da DHL, apresentada há cerca de dois anos durante desfile da Vetements.

dhlDHL, A EMPRESA DE ENTREGA ALEMÃ VIROU ÍCONE FASHION EM SEGUNDOS NAS MÃOS DE DEMNA GVASALIA E GANHOU AS RUAS. PREÇO: R$ 800

Ao jornal britânico Telegraph, ele explicou naquela ocasião:

– DHL era um tópico recorrente na minha vida. Os pacotes que não chegavam, a vontade de parar usar os serviços deles. A DHL parecia ser uma parte enorme da minha biografia, então por que não colocá-la no desfile? Nós nunca imaginamos uma reação como essa. Nós vivemos em mundo em que as roupas não importam realmente. Mas elas passam a importar quando você consegue comunicar algo, falar com as pessoas.

MARI KALIL: Muito prazer, Vetements! As criações revolucionárias da marca que agrada geral!

Atual diretor criativo da Balenciaga, Gvasalia levou seu conceito para a casa de luxo e novamente fez história. Desta vez, com a versão de couro que a Balenciaga criou da FLAKTA, a sacola da IKEA (loja de origem sueca especializada na venda de móveis e objetos para casa de baixo custo).

Quem já morou na Europa e precisou mobiliar a casa conhece bem esta sacola da IKEA. Eu tinha a minha em Barcelona e andava com ela para todos os lados. Lamento muito, muito mesmo não tê-la trazido de volta comigo para o Brasil, já que deixei com ela parte da minha história.

Olha!

anti-it-bag2PREÇO DA SACOLA IKEA: US$ 1anti-it-bag-1VERSÃO EM COURO DA BALENCIAGA E O PREÇO DA RELEITURA CHIQUE: US$ 2145

Percebe como o sentimento, a memória, a roupa e o acessório que “comunicam” podem valer milhões? Enquanto a sacola original da IKEA custa tão só US$ 1, a versão de Gvasalia para a Balenciaga sai pela bagatela de US$ 2145. E por que ele conseguiu emplacar esta bolsa como uma legítima it-bag amada pelas fashionistas? Porque novamente trouxe a sua história para a frente dos holofotes. Escuta só o que ele conta ao site especializado em moda Vestoj:

– Durante os meus quatro anos de faculdade na Antuérpia, eu usei a Flakta todos os dias. Muitos outros estudantes também faziam isso por causa do preço, da durabilidade e do tamanho dela. Para pessoas que, como eu, viveram uma infância soviética e viram o mundo ocidental se abrir aos poucos, ideias como esta são homenagens à memória e à trajetória que percorremos.

Robin Givhan, uma das maiores críticas de moda do mundo e premiada com o Pulitzer em suas análises no jornal  The Washington Post, observa sobre o trabalho de Gvasalia: “Ele não somente eleva as coisas ordinárias a um novo patamar, mas faz com que a moda repense todo o seu sistema de valores”.

+ MARI KALIL: Abandonaremos definitivamente o salto alto? Entenda este momento da moda

Outras grifes gigantes parecem também repensar esse sistema de valores. A Céline é uma delas ao criar a bolsa de plástico que circula nas mãos de 10 entre 10 fashionistas dispostas a pagar US$ 600, cerca de R$ 2,4 mil.

Espia só!

celineA ANTI-IT-BAG NA PASSARELA DA GRIFE….

celine1… PARA AS RUAS DO MUNDO: DESGLAMOURIZAÇÃO DA MODA

Mas será que essas pessoas que circulam com bolsas de plástico da Céline e versão chique da IKEA para Balenciaga sabem mesmo o que significa passear por aí com elas a tiracolo? Me parece que não, e aí de novo eu volto para o excepcional trabalho de Demna Gvasalia: questionar valores, buscar personalidade e história naquilo que escolhemos vestir. É dele outra “anti-it-bag” do momento, a Net Bag.

Olha! (e deixo o convite pra me seguir no Instagram: @mari_kalil)

net-bagLEMBRA AS BOLSAS DE REDE DE FEIRA, VAI DIZER?

00000003361SE TIVER UMA EM CASA, JÁ SABE! ELA TEM CIRCULADO MUITO ALÉM DA FEIRA!

Espia só em algumas versões que passeiam por aí!

net-bag2net-bag4netbag1netbag3

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Hoje teve até chuca no alto da cabeça! Coisas de @thaylacollingduarte ♥️ #transformaçãododia #bandmulher #porai
  • A gente era uma turma que naquela época já comia sushi e sashimi no único restaurante japonês da Capital. A gente era feliz e sabia ♥️ Porto Alegre, 1988 #trintaanosatras #tbt #quintafeiradoretorno
  • Né?! 👌🏻 #nãosejaumadelas
  • O melhor pai que esses peludinhos poderiam ter 🐶♥️🐶
  • Feliz Dia dos Pais ♥️ Faltou tu @luciakalil
  • #blackisbeautiful 🖤 #porai #bandmulher #transformaçãododia #twentyfoursevenpoa