Muju Restobar, enfim um restaurante peruano para chamar de meu!

Fazia hoooras que queria conhecer o Muju Restobar, um restaurante peruano que abriu na Rua Coronel Bordini bem em frente ao meu querido Markt705. Desde que a cevicheria Japesca fechou as portas na Nilo Peçanha para se transformar em temakeria, estávamos órfãos, Chico e eu, de um lugarzinho bom e honesto para comer um de nossos pratos preferidos: ceviche!

nham-nhamNHAM NHAM!

A noite de sábado foi a escolhida para o grande momento -agora com o know how de ter ido ao Peru e saber direitinho o sabor de um ceviche original. Liguei para fazer reserva, mas a atendente informou que as reservas para a noite de sábado já estavam esgotadas. Eu imaginava. Como a Coronel Bordini é uma rua em que circulo muito, sempre que passo ali na frente percebo o movimento constante no Muju – tanto no almoço como no jantar.
– A metade das mesas está reservada, mas a outra metade fica disponível por ordem de chegada – disse a hostess.

papa-leguas-250508PERNAS PRA QUE TE QUERO

Saímos de casa às 20h para conseguir mesa. Paulinha e Georginho chegariam um pouco depois. Foi tranquilo. Sentamos no andar de cima em uma mesa redonda e fomos recebidos por um garçom que ofereceu um tablet no lugar do cardápio tradicional de papel.

Olha!

muju4ADOREI A IDEIA!

mujuMOMENTO ADORANDO A IDEIA!
Chico resolveu fazer um flagrante das minhas bisbilhotadas no cardápio.
Adoooro bisbilhotar cardápios!

Eu estava a fim de beber um Chilcano, drinque típico peruano que experimentei em Lima e gostei muito. Mas daí o Chico começou a dizer que eu ia acordar com dor de cabeça, que eu tenho mania de ficar pedindo drinques e reclamando no dia seguinte e bla bla blá. Então, pedimos um baldinho com Heineken geladas – e uma caipira de pisco. Caipira de pisco não tem no cardápio. É invenção do Chico. Ele pede para fazer uma caipira com pisco no lugar de vodka. Só isso. Pedimos também o couvert, que, detalhe, é cortesia da casa.

Olha!

muju2OOOOOOOHHHHHH!!!
Vem quentinho empacotadinho nesse pacotinho. Tão bonitinho!
Aquela coisica verde ali à direita é apenas a casca do limão com manteiga temperada!

Havia várias entradinhas para escolher enquanto esperávamos Georginho e Paulinha, mas eu sugeri que pedíssemos o trio degustação de ceviches. Escolhemos Misto (peixe branco, lula, camarão), Clássico (peixe branco) e Chifa (atum).

Olha!

muju1OOOOOOHHHHH!!!!
Serviu super bem como entradinha para nós dois. Recomendo essa dica!

Então, Georginho e Paulinha chegaram loucos de fome. Decidimos pedir os pratos – e daí me deu um pequeno nó na cabeça. Eu amo ceviche, mas já havia comido uma degustação. Pediria um prato de… ceviche? De novo? Chico, Paulinha e Georginho nem pensaram: pediram o clássico. Eu tive vontade de pedir Ají de gallina. Trata-se de outro prato típico peruano que gostei muito quando fui ao Peru.

Olha!

nuostro-aji-gallinaOOOOOOOHHHHHHH!!!!
Este é o prato Nuestro Ají de Gallina do Muju que eu não comi. É frango desfiado com molho à base de pimenta amarela, batatinha e arroz branco.

Acabei não comendo meu ají de gallina. Sofri bullying. Só porque eu amo galinha, meu marido e minha família fazem bullying comigo. Já contei essa história em Um dia a gente volta. Paulinha, Chico e Georginho começaram a rir que eu ia pedir galinha. Daí Chico já começou a contar que, de tarde, eu havia ligado para a mãe para pedir que ela fizesse galinha no meu almoço de aniversário. E começou o bullying forte.

bebechorando2NÃO POSSO NEM COMER MINHA GALINHA EM PAZ

Daí eu ponderei que era noite e eu não precisava comer arroz e batata com a galinha mesmo – que mais sensato seria continuar no ceviche. E me juntei ao coro do Clássico.

Olha!

muju3OOOOOOHHHHHH!!!!!
Estava muito bom! Eu apenas tiraria o milho de lata da receita. não precisa!

Pensei em comer uma sobremesa, mas desisti. Paulinha pediu Suspiro Limeño, uma sobremesa que eu havia comido de joelhos no Peru.

Olha!

suspiroNUNCA MAIS ESQUECEREI DESTE DIA….
Marshmallow em cima do doce de leite!

muju5 ESTE FOI O SUSPIRO LIMEÑO QUE A PAULINHA PEDIU

suspiro-limenoAQUI, A SOBREMESA NA FOTO OFICIAL DO RESTAURANTE

Moral da história: encontrei um restaurante peruano para chamar de meu em Porto Alegre, graças a Deus – e ao chef Carlos Paredes, um peruano da gema que veio parar por aqui. Aliás, a cozinha do Muju conta com 10 integrantes peruanos. Não estava suportando a ideia de viver em uma cidade sem ceviches e afins. Os preços são bem honestos e dentro da média da cidade.

A degustação de ceviches custa R$ 48 e serve perfeitamente como prato principal para uma pessoa ou como entradinha para duas, como fizemos. O Suspiro Limeño custa R$ 16 e os pratos quentes variam de R$ 30 e pouco a R$ 50 e pouco. Achei também uma ótima opção para almoço – fica aberto de segunda a sexta-feira, das 11h45min às 15h; sábado e domingo das 12h às 16h. À noite, funciona a partir das 19h, menos aos domingos.

bento1123PODEMOS IR?

Infelizmente, não. O Muju não tem mesinhas na rua e não é pet-friendly. Mas como tu é um cachorro e não um gato e não come peixe cru, acho que não precisa ficar muito dos chateados.

bento1123QUERIA TE FAZER COMPANHIA NO AJÍ DE GALLINA

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

4 Comentários
  1. Me identifiquei muito com o primeiro parágrafo. Estava órfã de ceviches e adorei o Muju! Mas recentemente descobri que o Japesca incorporou o cardápio da cevicheria às lojas normais, ou seja, tem ceviche em todas elas! Não é tão bom quanto ter a cevicheria, porque achava o ambiente de lá bem legal, melhor que o das temakerias, mas se a vontade é só de comer um ceviche, acho válido!
    Beijos!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.