O dia em que encontrei o amor nas lindas criações da Horta de Algodão

Minha irmã e eu temos sete anos de diferença. Sou a mais velha. Fui eu que ensinei minha querida maninha a ler. Ela tinha cinco anos. Armava um quadro negro no pátio, no fundo da casa dos meus pais, sentava ela com lápis e caderno em uma escadinha que servia simultaneamente de banco e mesa e passava e repassava as letras e sílabas até ela conseguir começar a juntar as palavras e frases inteiras. Lulu aprendeu a ler antes de toda sua classe. Nas aulas de leitura, a professora a dispensava das lições e mandava Lulu para a biblioteca escolher o livro que quisesse.

Eu havia lido todos os livros da coleção A Inspetora e aconselhei que fizesse o mesmo. Lulu seguia todos os meus conselhos – e me imitava também. Lia o que eu lia, fazia aula de violão porque eu fazia. Até hoje imita a minha letra. Somos duas grandes amigas. Natural, portanto, que me escolhesse para madrinha de seu primeiro filho, João Benício, nascido no último dia 23. Eu engravidei junto com ela – e me tornei mãe também. Como a segunda mãe de João, me preocupei que ele não tivesse roupinhas mais quentinhas e confortáveis de ficar em casa. Lulu evitou fazer enxovais e ganhou praticamente roupinhas mais arrumadinhas de presente. Mas aquelas roupinhas mais fofinhas, confortáveis e quentinhas ficaram faltado. Então, na última sexta-feira, a madrinha saiu a campo.

wonder-woman-1DEIXA PRA MIM

Peguei o rumo do shopping Iguatemi, estacionei o carro no terceiro andar e entrei ali pela portaria que dá de cara nas lojas Cori e Le Lis Blanc. O dia estava lindo, eu estava absurdamente feliz com a perspectiva de buscar roupinhas quentinhas sem nenhuma pressa para meu querido afilhado. Dei meia dúzia de passos para dentro do shopping e pimba! Um quiosque materializou-se na minha frente. Um quiosque de roupas infantis. “Mas já?”, pensei. Ponderei se já parava ali para ver ou se iniciava meu passeio. Vá que já compre algo de cara e depois encontre coisas mais bacanas? Mas resolvi parar para olhar. E qual não foi a surpresa!

bento1GASTOU TODO O DINHEIRO DELA ANTES DE ENTRAR NO SHOPPING

Gastei mesmo. Gastei com gosto, sabe assim? Gastei com a certeza de que não encontraria nada parecido, como de fato não encontrei. Depois de gastar todo meu dinheiro, ainda fui dar uma conferida em todo o shopping Iguatemi e também no Bourbon Country, do outro lado da rua, para ter a certeza absoluta de que havia feito um bom negócio. Fiz um ótimo negócio. Gastei todo meu dinheiro em uma das grifes de criança e recém-nascido mais lindas e comprometidas que já conheci. O nome dela? Horta de Algodão.

Olha!

horta-de-algodãoLINDO, LINDO DEMAIS!

Todas as roupinhas e acessórios da marca são feitos com algodão 100% orgânico e tudo tem uma carinha de handmade, sabe assim? Cada peça que a gente pega na mão transmite uma sensação de carinho e aconchego. É óbvio que fiquei um pouco perdida sem saber o que levar – até porque tenho experiência nula com compras para um recém-nascido. Mas logo a vendedora, muito querida, me deu uma baita mão. Escolhidas as roupinhas, enviadas para pacotinho de presente, pedi a ela se podia tirar algumas fotos para o blog. “Claro”, ela respondeu. “Me dá só um minutinho que eu vou arrumar a bagunça que fizemos”, disse. “Imagina, não te preocupa! Meu blog mostra a vida como ela é”, respondi, rindo. Então, selecionei algumas coisinhas para mostrar.

Olha!

baby1A ARARA DA PERDIÇÃO
Imagine eu, Mariana, de frente para essa arara querendo levar tudo. Comecei a ficar bem perdida. Mas logo me foquei e achei um abriguinho quentinho e um macacãozinho de duplo algodão. Reparem, por favor, nos ratinhos de madeira que decoram os cabides. É esse tipo de amor que tem a grife, me entendem?

baby2FOFURA DE MASCOTE
O que é a graça desse ursinho preso a essas mantinhas, me diz? Não, ele não foi para a sacola. Eu precisava manter o foco. E o pai do João me mataria se levasse um ursinho rosa para o guri! Quando cheguei na casa da Lulu, vi que o João tinha ganhado de presente um mascote exatamente igual, só que na cor crua

baby3AMOR DE BABEIRO
João estava bastante necessitado de babeirinhos. Eu havia comprado um muito bacana na Panvel, mas era o único que ele tinha – e a Lulu dizia que lavava e já usava de novo. Daí encontrei esses de puro algodão orgânico. É um kit com dois: um estampado e outro liso. Comprei com estampas marronzinhas. As tiaras de flores deixei, claro!

baby4TRAJE COMPLETO
Olha a graça da roupinha na vitrine de plantas! Vestidinho com barra de babados e casaquinho de lã para as meninas! A vendedora me contou que na Horta de Algodão não tem essa história de azul para guris e rosa para gurias. Achei óóóóótimo!

baby5PÉS QUENTINHOS
Me explica o grau de fofura dessa meia, por favor?!!!

baby6FOI PRA SACOLA!
Uma das peças que eu procurava: casaquinho quentinho. Comprei com estampas marrom e comprei também a calça do conjunto. Ele é reversível!

baby7PRONTO PRO VERÃO
Esta camisetinha a Dinda só quis mostrar para as amigas leitoras. A Dinda promete que volta para te dar de presente quando esquentar e tu crescer um pouquinho, viu, João?

baby8SANTA ORAÇÃO
Essa é uma almofadinha de ervas que eu achei linda demais e um baita presente para quem procura algo para um recém-nascido!

Cheguei na casa da Lulu feliz da vida com minhas aquisições. Quando ela enxergou a sacola da loja quase não se conteve:
– Não acredito! – disse.
– O que foi?
– Eu amo essa loja!
– Tu conhece?
– Ganhei um conjuntinho de lá da Cris que poupo, poupo e não tenho coragem de usar.
– Não vai me dizer que comprei algo igual?
– Não, é diferente. Olha! – me mostrou.

Então, abriu a sacolinha e ficou encantada. Sabe aqueles momentos que enchem o coração da gente de amor? Pois é.

bento1PERGUNTA SE COMPROU ALGO PRA MIM

olivia10BENTO ESTÁ ROXO DE CIÚMES

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.