O morno que não mata me fortalece

Venho por meio desta, na manhã da segunda-feira em que acordei mais solar em razão do meu querido segundo livro, Vida Peregrina, que acaba de sair do forno, informar que está dada a largada para a pré-venda online no site da Dublinense!!

palmas-1UHUUUUU!!!

palmas-1MARIANA, MARIANA, MARIANA!!

Dance Pinto 1BEST-SELLER, BEST-SELLER, BEST-SELLER!!

bento clássicaMENOS

O talento estraga-prazeres do animal é algo a ser estudado pela ciência. Justo em uma segunda-feira em que acordo de bom humor, ele chega para me destruir. Mas não me deixarei abater. Como havia dito, hoje começa a pré-venda online de Vida Peregrina no site da Dublinense.

Apontando pra baixoAQUI, Ó!

bento clássicaELA SÓ VAI FALAR DISSO AGORA

Não, eu não vou falar só disso porque, ao contrário do que tu vive pregando, Bentinho meu amor, eu sou uma pessoa de noção. Mas é claro que eu farei todos os dias a contagem regressiva para o lançamento e a sessão de autógrafos no fim da tarde de 17 de outubro, na Saraiva do Moinhos Shopping.

03-por-ai-mulher-gritando5FALTAM 17 DIAS!!!


Ainda não sei qual será meu modelito. Mas o certo é que estarei usando um sapato da Louloux. Decidirei o que vestir a partir do sapato que ainda vou comprar lá na loja do Iguatemi. Se eu já era fã assumida da marca do designer Cristiano Bronzato, depois da entrevista que fiz com ele na sexta-feira para a capa do dia 27/10 da revista Donna, agora virei uma Loulouxzete de carteirinha. Cristiano é o máximo! Eu tenho certeza que vocês vão amar a reportagem com ele. Já não digo o mesmo do Izakaya Danjou.

Mulher chocada classicaHÃ!??

mulher-duvidaIZAKA O QUÊ, MARIANA?

Izakaya Danjou, um boteco japonês que conheci na noite de sábado. Verdade seja dita: não gostei muito…. Não foi ideia minha. Pela primeira vez na história desse país, Georginho não pediu sugestões para nossa incursão gastronômica em casais por Porto Alegre. Eu teria sugerido K Thai Bar, o boteco tailandês que acabou de inaugurar ali na Padre Chagas. Mas acabamos no Japão.

foto-571AQUI ADENTRAMOS
(Não encontrei o dono da caminhonete pra pedir pra tirar ela da frente)

Até que eu estava empolgada, pois havia lido que botecos japoneses começam a pipocar em São Paulo e são a mania da hora. Pensei: “Porto Alegre está a frente do seu tempo”. Mas me decepcionei um pouco. Vários foram os motivos.
1) Não havia quase nada de opções de sushis ou sashimis. Se havia, era de salmão – e minha religião não permite comer salmão cru sob pena de colocar tudo pra fora.
2) O que havia de opções levava muita fritura e eu não sou de fritura, tirando uma batata brava de vez em quando.
3) A variedade de cerveja é bacana, mas eu não ando na fase da cerveja, uma vez que estou empenhada na minha alimentação sem glúten. O que restava pra mim era saquê ou saquerinha. Eu pensei em pedir uma saquerinha de lima com gengibre, mas a Paulinha estava tomando uma e disse que não era boa. Experimentei e realmente não era. Tinha gosto de Limpol de limão.
4) Resolvi tomar um saquê, mas eu só tomo saquê importado, e o saquê importado era servido à temperatura ambiente. Mesmo assim, tentei.

Olha!

foto-572ESTAVA MORNO

Por que eu só tomo saquê importado? Não, eu não sou fresca, mas minha cabeça é bastante. Se eu tomo saquê nacional, é ba-ta-ta. Acordo querendo arrancar o pescoço e a cabeça fora na manhã do dia seguinte.

xu_header_back_1TUDO ISSO DÓI

Pedi ao garçom se ele podia me servir o saquê importado gelado. Não, não podia. Se eu preferisse gelado, teria que beber o nacional. Pedi uma água com gás. Poderia ter tomado vinho tinto, mas não acho que combine muito com boteco japonês. Assim sendo, matei a vontade de beber algo gelado com a água e encarei outro saquê morno.

woman screaming2URGH

Hora de escolher o que petiscar. Depois de muito olhar o cardápio, achei que os rolinhos com alga de arroz, legumes e camarão pareciam simpáticos. Pedimos uma porção.

Olha!

foto-574ESTAVA BEM BOM, MAS A OBRA DE ARTE COM MAIONESE NO PRATO É BEM DISPENSÁVEL

Em seguida, escolhi o que me era um tanto familiar: Guioza.
Olha!

foto-575ESTAVA BOM, MAS TINHA UM POUCO DE ALHO DEMAIS….

Já o animal não tem do que reclamar do fim de semana dele. Almoçou no Puppi Baggio, passeou por todo o Moinhos de Vento, foi na sessão de autógrafos da Martha Medeiros no Moinhos Shopping, me acompanhou ao Sexton para fazer a milagrosa hidratação com Joico da Bê e terminou o domingo ganhando um saco de ossinhos de costela do Barranco.

bento clássicaDOS INESQUECÍVEIS

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Marta querida! Entrei no site da Dublinense e, confesso, não consegui achar teu livro novo….manda as instruções de como fazer a pré-compra da pré-venda? Da sua admiradora amadora na pré-compra….hehehehe…Beeeejoooo.

  2. Oi Mariana!
    No sábado fui à Fnac do barra shopping para comprar o Peregrina de Araque e estava em falta. Dá um puxão nas orelhas daquele povo… :-)
    Grande beijo!

  3. Oie! Parabéns pelo livro! Pelo jeito vai liderar a lista dos mais vendidos!!! hehehehe
    Quero reforçar o convite da minha amiga Ana: – VEM PRA CAXIASS!! Está acontecendo a nossa Feira do Livro… Tenho certeza de que tens muitas fãs na Serra ;) bjss

  4. To achando que o Eduardo é um dos sócios do boteco japonês hehe

    Eu acho que deveria rolar uma galeria de fotos de nós, queridas leitoras, com o livro novo nas mãos, assim que começarem a chegar em nossas casas :D
    Boas vendas, Mari!

  5. Oi Mari, sabe dizer se o Vida Peregrina vai ser lançado em Epub também? Sou adepta da leitura digital, e como vou ler o Peregrina de Araque assim, gostaria de ter o novo também na minha biblioteca digital! Beijão!

  6. Quanto aos comentários sobre o Izakaya, fiquei muito surpreso com as tuas críticas. Acredito que foram desmerecidos. Não sou sócio nem amigo dos responsáveis pelo local, mas fiquei muito feliz em encontrar em POA um bar japonês autêntico e muito similar aos encontrados no Japão. Vamos por partes:
    1. Sushi e sashimi. O Danjou é um izakaya, um bar; não um restaurante de sushi. Em botecos se come comida de boteco, seja no Brasil, seja no Japão. Faz parte da cultura do povo japonês se especializar em um tipo de comida e só servir aquilo; Se você quiser comer sushi ou sashimi se procura uma casa de sushi;

    2) Muitos pensam que comida japonesa se baseia em peixe cru, o que é um equívoco. A gastronomia japonês utiliza muita fritura, e comida de boteco ainda mais. Nunca vi ninguém reclamar de muita fritura nos Natalícios da vida…

    3) Assim como vinho, os sakes, dependendo do tipo, possuem uma recomendação de temperatura para ser servidos. Acredito que por isso o nacional estava gelado e o importado não. Dentro do universo de sakes, existem vários tipos, assim como o vinho.

    Fonte: Adega do SAKE (ref. nacional em comercialização de sakes no país)
    TEMPERATURA

    55º TOBIKIRI KAN
    Fortalece o aroma e torna-se mais seco. Não é tão quente a ponto de não conseguir segurar o Choco, mas vale o aviso de cuidado, para não derrubar e nem queimar a língua. O significado da palavra “TOBIKIRI” quer dizer “Máximo”. Não apenas um sinônimo de extremo, mas de “O Melhor”. Os japoneses quando se exaltam, dão um pulo e depois um pouso forte. Daí vem o termo.

    50ºC ATSU KAN
    Aroma bem encorpado e seco ao ponto. Pode se observar uma fumaça leve saindo do Choco. A palavra “ATSU”, significa “QUENTE”.

    45ºC JOU KAN
    Aroma ao ponto, e trazendo maciez ao sabor. Quando se despeja o saquê, pode se observar a fumaça, e o aroma contagiando quem está em volta. A palavra “JOU”, quer dizer, “ACIMA”.

    40ºC NURUMA KAN
    Forte aroma, porém o sabor fica bem mais suave. Temperatura morna, e não dá a sensação de quente. A palavra “NURUMA”, deriva de “NURUI” ou “NURUME”, que significa “MORNO”

    35ºC HITOHADA KAN
    O sabor do arroz e do koji é bem mais diferenciado, tornando o aroma mais suave. Um pouco abaixo da temperatura corporal. A palavra “HITOHADA”, “HITO”, quer dizer, “CORPO” ou “PESSOA”. “HADA”, pele. Ou seja, na temperatura do corpo.

    30ºC HINATA KAN
    Aroma crescente e o sabor bem mais suave. A palavra “HINATA”, quer dizer “BANHO DE SOL”. Nós tomamos banho de sol, mas não significa que estamos colocando o nosso corpo para ser assado ao sol. É a temperatura que nem é quente, mas também não é frio.

    20ºC? JOU ON
    ?Temperatura ambiente, faz sentir o real gosto, o aroma verdadeiro e soft. A palavra “JO ON”, significa, temperatura ambiente.
    ?
    15ºC SUZU HIE
    Aroma de frutas e um sabor mais macio. Sensação de frieza na hora de segurar o copo ou Choco. Os japoneses, colocaram esse nome de “SUZU BIE”, pois o “SUZU”, significa “SINO”, e o tinir de um sininho, para alguns é audível, e para outros não. “BIE”, de “FRIO”

    10ºC HANA BIE
    Aroma mais fechado, e o sabor mais reservado. Após segurar o copo ou o Choco, sente-se o gelado. “HANA BIE”, foi nomeado assim, em homenagem à flor da cerejeira, o “SAKURA”, pois ela é a primeira flor que floresce, no final do inverno. Ou seja “HANA”, significa “FLOR”.

    5ºC YUKI BIE
    Aroma se torna mais resguardado, e um sabor se torna mais refrescante. “YUKI”, é a “NEVE”. Daí, já dá para ter uma idéia

    Outra coisinha. Quanto a entrada de camarão que você pediu. Aquilo não é “alga de arroz”. Algas vem do mar. Arroz vem da terra. Aquilo se chama Harumaki, ou folha de arroz.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.