O que fazer para o jantar?

– Dona Iolanda, o que eu faço amanhã para o almoço?

UUUUUAAAAAA!!!

Cresci vendo minha mãe surtar com essa pergunta. Sempre achei uma reação meio exagerada (ok, pobrezinha da minha mãe, sejamos justas: ela não chegava a surtar, surtaaaar! Mas ficava, digamos assim, um bocado aborrecida). Como estava dizendo, sempre achei uma reação meio exagerada de sua parte. Pensava, enquanto pegava minha mochila para o colégio: “Ai, o que é que tem escolher qual vai ser o almoço?”.

Tem. Tem muuuuiito. Depois que a gente casa, sai de casa e vira dona de casa é que a gente vê.

– Dona Mariana, o que eu deixo para o jantar?

UUUUUAAAAAAAAA!!!!!!!

Meu repertório composto de sopa de legumes, carreteiro, sobrecoxa com tomate e cebola,  arroz 7 cereais com linguiça, panqueca de carne com ovo e azeitona esgotou-se. Estou praticamente prevendo um pedido de divórcio logo mais ali na frente se eu voltar a colocar purê de mandioquinha com peito de frango no prato do meu marido.

Poderia abrir um livro de receitas e mudar o repertório?

Sim, poderia. Mas que horas?

QUE HOOOOOOORAS!!!!??????

As duas vezes em que parei para fazer isso o placar acusou: 5 a 0 para o livro de receitas. Deparei com ingredientes que não encontro no supermercado da esquina, onde costumo ir. Tipo o quê? Tipo “alecrim fresco para lasanha de berinjela”, ou “suco de 1/2 limão siciliano e coentro fresco” para uma simples salada verde.

E aí o que acontece? Vem a culpa, a culpa. a culpa…

Por que será que minhas costas, meus ombros e meu pescoço doem tanto, hein? Hein? CULPA!

Pois bem, como este blog não é feito apenas de lamentações, embora muitas lamentações existam neste blog, encontrei um caminho para ajudar no meu alívio com o jantar. E ele passa pela Avenida Goethe esquina com a Casemiro de Abreu. Chama-se Pastifício Italiano (há outra loja na Wenceslau Escobar).

A loja da Goethe é esta e costumo estacionar meu carro onde está esse Gol vermelho

Ok, eu sei: vai ter gente dizendo: “Ô, Mariana, tu já começou a te repetir neste blog, tu já falou do Pastifício e tal”. Sim, eu já falei, mas é que falei num momento de paixão. Agora o nosso amor virou coisa séria e deu em casamento.

Padre: “Mariana, você aceita se casar com o Pastifício Italiano?”

Mariana: “Oh, sim, aceito”

Padre: “Pastifício Italiano, você aceita se casar com a Mariana?”

Pastifício Italiano: “Oh, sim, aceito”

 

Vivemos um conto de fadas ainda maior desde que eu descobri os maravilhosos sorrentinos do Pastifício Italiano.

Ó, esses são os sorrentinos

Pois bem, cada bandeja vem com 15 sorrentinos. Dá otimamente bem para duas pessoas. Qual é o trabalho? Zero. Naqueles dias em que não estou a fim de pensar o que a Rosa tem que deixar para o jantar, eu simplesmente olho para a Rosa com essa carinha meiga…

Só love!

…. e respondo: “Nada, Rosa, não te preocupa”. E quem não se preocupa mais sou eu. Porque, voltando do trabalho, estaciono o carro no Pastifício Italiano e meu único trabalho é escolher qual o recheio que quero dos sorrentinos e qual o molho que quero para colocar por cima. Prefiro o Polpettone (almôndegas de carne ao molho italiano).

Há milhões de molhos e milhões de massas, mas vou me deter neste prato.

Na vida, é preciso ter foco!

Chego em casa, pego uma travessa que pode ir ao forno (eu prefiro usar o forno elétrico), passo uma camadinha de molho para o sorrentino não grudar no fundo, distribuo todos eles na travessa, jogo todo o molho por cima, salpico de queijo ralado (que compro fresquinho no Pastifício) e coloco 20 minutos no forno. Está pronto. E fica divino!

Olha, tirando plantão de fim de semana…

UUUUUUUAAAAAAAAAAAA!!!

Força-tarefa de eleicões….


UUUUUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!

Faz tempo que não tenho um ataque desse tipo.

Compartilhar
mariana

mariana

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é sócia-diretora de conteúdo do portal MK. É autora dos livros "Peregrina de Araque - Uma Jornada de Fé e Ataque de Nervos no Oriente Médio" (2011), "Vida Peregrina - Uma Jornada de Desequilíbrios, Tropeços e Aprendizado" (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. Dona do Bento, da Papaqui e tia da Olivia, vive em Porto Alegre ao lado do marido e dos peludos. Escreve diariamente na seção Por Aí, que funciona como uma espécie de blog e diário do site, e também nas outras seções do portal MK.

Sem comentários ainda.
  1. O Pastifício Antoniazzi também é ótimo … mas não fica tão no teu caminho. Uma hora que der experimenta. Av. Montenegro, 414, Petrópolis
    bjs

  2. O Pastifício Antoniazzi também é ótimo … mas não fica tão no teu caminho. Uma hora que der experimenta. Av. Montenegro, 414, Petrópolis
    bjs

  3. Sei ñ!…Com esta falta de criatividade culinária sua – e da gauchada em geral – acho que o divórcio ñ tarda! Seu marido ñ é carioca? Carioca está acostumado, e gosta, de variar nas refeições. O Rio permite isto! Tem centenas de restaurantes das mais diversas especialidades – principalmente as marinhas (que aqui é coisa difícil de encontrar, e desprezíveis qdo encontradas) – e, além do mais, toda família carioca tem uma cozinheira carioca, ou mineira, ou baiana, ou cearense que sabe preparar um feijão com carne-seca; uma couve mineira; uma farofa de ovo; um bifão com batatas fritas; uma rabada perfumada; um pernil de porco de calar padre; um ensopado de chuchu com camarão; um pirão na pimentinha; uma carne recheada de linguiça, assada, com batatas no molho ferrugem; um arroz de forno divino; uma pescadinha frita no capricho; uma salada de feijão fradinho sem igual; um caldo-verde digno de Eça de Queirós e outros tantos quitutes de renome e de gostosura! Por aqui, só churrasco, massas, polenta, carne de panela e outras comidas batidas e sem graça nenhuma. A prova ? Um certo cozinheito anônimo, que é famoso aqui no pedaço e tempera suas gororobas apenas com caldo de carne, cebola e tomate…cruzes!!! O mocotó que gaúcho come é feito de tripas e ñ de mocotó. E tem um cheiro e um aspecto horríveis! Bem, mas que fazer? Cada povo com suas características…Agora, Mari adorável, vc ñ criou esta historinha toda apenas para fazer uma propagandinha do tal Pastifício e levar alguma “vantagem” nisto? Não que eu tenha alguma coisa com isto – muito pelo contrário- mas, sabe?, ficou um tanto implícito…

  4. Sei ñ!…Com esta falta de criatividade culinária sua – e da gauchada em geral – acho que o divórcio ñ tarda! Seu marido ñ é carioca? Carioca está acostumado, e gosta, de variar nas refeições. O Rio permite isto! Tem centenas de restaurantes das mais diversas especialidades – principalmente as marinhas (que aqui é coisa difícil de encontrar, e desprezíveis qdo encontradas) – e, além do mais, toda família carioca tem uma cozinheira carioca, ou mineira, ou baiana, ou cearense que sabe preparar um feijão com carne-seca; uma couve mineira; uma farofa de ovo; um bifão com batatas fritas; uma rabada perfumada; um pernil de porco de calar padre; um ensopado de chuchu com camarão; um pirão na pimentinha; uma carne recheada de linguiça, assada, com batatas no molho ferrugem; um arroz de forno divino; uma pescadinha frita no capricho; uma salada de feijão fradinho sem igual; um caldo-verde digno de Eça de Queirós e outros tantos quitutes de renome e de gostosura! Por aqui, só churrasco, massas, polenta, carne de panela e outras comidas batidas e sem graça nenhuma. A prova ? Um certo cozinheito anônimo, que é famoso aqui no pedaço e tempera suas gororobas apenas com caldo de carne, cebola e tomate…cruzes!!! O mocotó que gaúcho come é feito de tripas e ñ de mocotó. E tem um cheiro e um aspecto horríveis! Bem, mas que fazer? Cada povo com suas características…Agora, Mari adorável, vc ñ criou esta historinha toda apenas para fazer uma propagandinha do tal Pastifício e levar alguma “vantagem” nisto? Não que eu tenha alguma coisa com isto – muito pelo contrário- mas, sabe?, ficou um tanto implícito…

  5. O Pastifício Carcamano é o melhor de todos! E seus preço é imbatível! E fica muito bem localizado na Av da Azenha, 1256, lojaB. Se é pra fazer propaganda de graça, eu também posso!

  6. O Pastifício Carcamano é o melhor de todos! E seus preço é imbatível! E fica muito bem localizado na Av da Azenha, 1256, lojaB. Se é pra fazer propaganda de graça, eu também posso!

  7. Evelyn, duas coisas: eu morei no Rio e entendo perfeitamente o que vc diz. É pura verdade mesmo. Outra coisa: minha ética absolutamente não permite sob hipótese nenhuma ganhar qualquer coisa em troca de posts ou notícia, ou notinha. Eu escrevo sobre aquilo que acredito, como deve ser o trabalho de um jornalista. Não sou blogueira, sou jornalista, se é que você me entende. Bjo. MK

  8. Evelyn, duas coisas: eu morei no Rio e entendo perfeitamente o que vc diz. É pura verdade mesmo. Outra coisa: minha ética absolutamente não permite sob hipótese nenhuma ganhar qualquer coisa em troca de posts ou notícia, ou notinha. Eu escrevo sobre aquilo que acredito, como deve ser o trabalho de um jornalista. Não sou blogueira, sou jornalista, se é que você me entende. Bjo. MK

  9. Claro que entendo, MK! Entendo, mas ñ compactuo…Sou, também, jornalista e jamais serei blogueira. Aqui, neste espaço, vc é blogueira, sim! E quem escreve sobre o que acredita, num blog qualquer, está procurando sarna para se coçar…se é que vc me entende! Veja o nível de comentários que vc recebe. Ou são escritos por louvadores compulsivos, ou por gente semi-analfabeta ou por vadios ressentidos e infelizes…Raras vezes vc encontra um comentário como o meu, ñ? Mas, nada tenho com o fato de vc gostar de expor suas verdades comezinhas para desconhecidos . Ñ posso deixar de acrescentar, para ser autêntica, que seu blog é um dos poucos que podem ser lidos neste site. E que vc é uma jornalista de estofo, que respeita a opinião de seu leitor, sendo democrática e isenta – coisa ainda mais rara entre seus colegas de ofício. Acho que o fato de vc ter morado no Rio abriu sua mente e a tornou cosmopolita e segura de si! Espero que vc ñ tenha visto, em meu comentário anterior, apenas uma crítica ácida e venenosa. Vc pode perceber alguma gozação, bem típica de uma carioca?

  10. Claro que entendo, MK! Entendo, mas ñ compactuo…Sou, também, jornalista e jamais serei blogueira. Aqui, neste espaço, vc é blogueira, sim! E quem escreve sobre o que acredita, num blog qualquer, está procurando sarna para se coçar…se é que vc me entende! Veja o nível de comentários que vc recebe. Ou são escritos por louvadores compulsivos, ou por gente semi-analfabeta ou por vadios ressentidos e infelizes…Raras vezes vc encontra um comentário como o meu, ñ? Mas, nada tenho com o fato de vc gostar de expor suas verdades comezinhas para desconhecidos . Ñ posso deixar de acrescentar, para ser autêntica, que seu blog é um dos poucos que podem ser lidos neste site. E que vc é uma jornalista de estofo, que respeita a opinião de seu leitor, sendo democrática e isenta – coisa ainda mais rara entre seus colegas de ofício. Acho que o fato de vc ter morado no Rio abriu sua mente e a tornou cosmopolita e segura de si! Espero que vc ñ tenha visto, em meu comentário anterior, apenas uma crítica ácida e venenosa. Vc pode perceber alguma gozação, bem típica de uma carioca?

  11. OI, Mari, mas que simpatia e leveza desta carioquinha querida, não? O que andará fazendo por estas plagas figura tão sensível e refinada? Ainda bem que ela listou os pratos preferidos dos cariocas, o que seria de nós sulistas rústicos e rudes sem estas informações. bjs

  12. OI, Mari, mas que simpatia e leveza desta carioquinha querida, não? O que andará fazendo por estas plagas figura tão sensível e refinada? Ainda bem que ela listou os pratos preferidos dos cariocas, o que seria de nós sulistas rústicos e rudes sem estas informações. bjs

  13. Oi Mariana,

    Tu ainda tem quem faça para ti, pior é quando além de tu ter que pensar o que fazer, ter que executar o dito almoço, geralmente á noite para o outro dia, porque o horário do almoço é curto.
    Mariana, não sabia que agora grosseria virou sinônimo de gozação, que coisa mais desagradável.
    Bj.

  14. Oi Mariana,

    Tu ainda tem quem faça para ti, pior é quando além de tu ter que pensar o que fazer, ter que executar o dito almoço, geralmente á noite para o outro dia, porque o horário do almoço é curto.
    Mariana, não sabia que agora grosseria virou sinônimo de gozação, que coisa mais desagradável.
    Bj.

  15. Mari graças a ti, todo viagem a Poa merece uma visitinha no Pastificio, adorroo!!! Infelizmente nunca compro o suficiente e aí fico amargando até voltar…putz é muito chato pensar em cardápio mesmo! Bjao

  16. Mari graças a ti, todo viagem a Poa merece uma visitinha no Pastificio, adorroo!!! Infelizmente nunca compro o suficiente e aí fico amargando até voltar…putz é muito chato pensar em cardápio mesmo! Bjao

  17. Mariana querida!! Passo pelo mesmo dilema!! Espera qdo tiver bebê – aí sim, tu vai ver teu tempo sumir de vez!!
    Pede para a tua funcionária fazer panquecas (carne, brócolis, frango) tudo com molho pois qdo descongeladas ficam ótimas! Filé à parmegiana, bife enroladinho, almôndegas, lasanha (frango, beringela, carne e até com massa de panqueca mesmo!) Peça para ela fazer teus molhos de preferência e deixa pronto aí e só comprar as massas fresquinhas no dia!! Pode pedir para ela deixar carne cortadinha e temperada para um strogonoff que tu mesmo faz na hora!! Aqui em casa eu faço isso e me facilita muito nesses dias sem criatividade/tempo/vontade alguma!! Espero ter ajudado um pouquinho!! Se quiseres posso te passar umas receitas fáceis com peixe por e-mail!!
    Agora – não sou nenhuma louvadora compulsiva, nem vadia ressentida e infeliz muito menos semi-analfabeta como nos acha uma simpática aí de cima!! Essas pessoas que acreditam só nas suas verdades absolutas cansam tanto que ngm aguenta!! Só quem bebe POLAR sabe!!!!!!!!!!!!!!!(não é propaganda viu?!)
    Continua assim Mari – adoro ler teus dilemas e loucuras!! Ahhhh… Vc se tornou cosmopolita só por que morou no Rio, né!!!!? Tá certo então!! Bjks!! Lov y!!
    By the way, como vai a esteira?????

  18. Mariana querida!! Passo pelo mesmo dilema!! Espera qdo tiver bebê – aí sim, tu vai ver teu tempo sumir de vez!!
    Pede para a tua funcionária fazer panquecas (carne, brócolis, frango) tudo com molho pois qdo descongeladas ficam ótimas! Filé à parmegiana, bife enroladinho, almôndegas, lasanha (frango, beringela, carne e até com massa de panqueca mesmo!) Peça para ela fazer teus molhos de preferência e deixa pronto aí e só comprar as massas fresquinhas no dia!! Pode pedir para ela deixar carne cortadinha e temperada para um strogonoff que tu mesmo faz na hora!! Aqui em casa eu faço isso e me facilita muito nesses dias sem criatividade/tempo/vontade alguma!! Espero ter ajudado um pouquinho!! Se quiseres posso te passar umas receitas fáceis com peixe por e-mail!!
    Agora – não sou nenhuma louvadora compulsiva, nem vadia ressentida e infeliz muito menos semi-analfabeta como nos acha uma simpática aí de cima!! Essas pessoas que acreditam só nas suas verdades absolutas cansam tanto que ngm aguenta!! Só quem bebe POLAR sabe!!!!!!!!!!!!!!!(não é propaganda viu?!)
    Continua assim Mari – adoro ler teus dilemas e loucuras!! Ahhhh… Vc se tornou cosmopolita só por que morou no Rio, né!!!!? Tá certo então!! Bjks!! Lov y!!
    By the way, como vai a esteira?????

  19. O comentário da Sra. Evelyn Bruce é digno de ser interpretado. Um divã cairia bem. Ela deveria aproveitar que está aqui, em meio a tanta grossura e fazer uma terapia. O nosso estado tem uma sólida e inegável tradição nos estudos psicanalíticos.
    Bjs

  20. O comentário da Sra. Evelyn Bruce é digno de ser interpretado. Um divã cairia bem. Ela deveria aproveitar que está aqui, em meio a tanta grossura e fazer uma terapia. O nosso estado tem uma sólida e inegável tradição nos estudos psicanalíticos.
    Bjs

  21. Concordo contigo, Mari! Os produtos do Pastifício Italiano são inebriantes, como a maioria das coisas que podemos experimentar na Itália. Bom para nós, gaúchos que moramos numa cidade que nos oferece sempre o melhor e nos impede de querer morar em outro lugar…

  22. Concordo contigo, Mari! Os produtos do Pastifício Italiano são inebriantes, como a maioria das coisas que podemos experimentar na Itália. Bom para nós, gaúchos que moramos numa cidade que nos oferece sempre o melhor e nos impede de querer morar em outro lugar…

  23. Acho que está” jornalista” ai de cima, Evelyn… está com algum problema… se presta a escrever tanta grosseria( por nada!), aos colegas, aos leitores, quanta falta de respeito!!! No fundo, no fundo queria mesmo um emprego…

  24. Acho que está” jornalista” ai de cima, Evelyn… está com algum problema… se presta a escrever tanta grosseria( por nada!), aos colegas, aos leitores, quanta falta de respeito!!! No fundo, no fundo queria mesmo um emprego…

  25. Olha, eu tenho tentado ser delicado nos meus comentários nos blogs gastronômicos do Clic RBS, mas acho que essa aliviada na linguagem não me deixou expressar corretamente. Apesar de nunca ter estado no RJ, minha opinião vai 100% ao encontro da carioca Evelyn. Nós gaúchos temos uma gastronomia paupérrima.
    Somos os reis do churrasco, mas nossas churrascarias, na maioria são péssimas. Se atravessarmos o RS só veremos criação de gado, mas se formos a qualquer churrascaria em que o rodízio custe entre R$ 20,00 e R$ 30,00, em dias entre segunda e quinta a carne virá de espetos requentados.
    Restaurantes muito conhecidos da cidade e caros utilizam champinhom em conserva em molhos, é preciso pagar o preço de trufa negra para comer um cogumelinho paris basicamente refogado com alho.
    Molho sugo, é molho pronto de tomate misturado com um monte de farinha e água.
    Porção de iscas de filé, é algum corte de segunda, muito duro que é sempre servida muito bem passada.
    Existe uma porção de pastéis que é desprezível, de um mesmo fornecedor que circula por todos os bares de Poa.
    Nossos lanches são péssimos.
    Nós estamos em um estado com um enorme litoral e não se encontra camarão em Porto Alegre, ou se encontra a R$ 59,00 o kg. Fala sério. Não é lagosta, é camarão.
    O nosso cozinheiro mais famoso é, realmente fraco, muito simpático, mas fraco. Existe um argumento de ensinar a cozinhar com ingredientes populares. Sal e pimenta são muito mais populares que caldo de carne industrializados e não estão impregnados de produtos químicos. E o que dizer dos conhecidíssimos pratos “às latas” verdadeiros coquetéis de sal, açúcar, corantes e aromatizantes.
    Estamos acostumados a ser mal servidos e assaltados na saída, se compararem os preços cobrados em bom restaurantes de NY ou LA, comandados por chefs reconhecidos, cheios de opções e criatividade com os daqui, ficarão surpresos. A carioca tem razão, ela não foi grosseira, só expressou uma comparação óbvia, porém foi gentil, as opções gastronômicas batidas daqui, não são somente batidas, são muito mal executadas.

  26. Olha, eu tenho tentado ser delicado nos meus comentários nos blogs gastronômicos do Clic RBS, mas acho que essa aliviada na linguagem não me deixou expressar corretamente. Apesar de nunca ter estado no RJ, minha opinião vai 100% ao encontro da carioca Evelyn. Nós gaúchos temos uma gastronomia paupérrima.
    Somos os reis do churrasco, mas nossas churrascarias, na maioria são péssimas. Se atravessarmos o RS só veremos criação de gado, mas se formos a qualquer churrascaria em que o rodízio custe entre R$ 20,00 e R$ 30,00, em dias entre segunda e quinta a carne virá de espetos requentados.
    Restaurantes muito conhecidos da cidade e caros utilizam champinhom em conserva em molhos, é preciso pagar o preço de trufa negra para comer um cogumelinho paris basicamente refogado com alho.
    Molho sugo, é molho pronto de tomate misturado com um monte de farinha e água.
    Porção de iscas de filé, é algum corte de segunda, muito duro que é sempre servida muito bem passada.
    Existe uma porção de pastéis que é desprezível, de um mesmo fornecedor que circula por todos os bares de Poa.
    Nossos lanches são péssimos.
    Nós estamos em um estado com um enorme litoral e não se encontra camarão em Porto Alegre, ou se encontra a R$ 59,00 o kg. Fala sério. Não é lagosta, é camarão.
    O nosso cozinheiro mais famoso é, realmente fraco, muito simpático, mas fraco. Existe um argumento de ensinar a cozinhar com ingredientes populares. Sal e pimenta são muito mais populares que caldo de carne industrializados e não estão impregnados de produtos químicos. E o que dizer dos conhecidíssimos pratos “às latas” verdadeiros coquetéis de sal, açúcar, corantes e aromatizantes.
    Estamos acostumados a ser mal servidos e assaltados na saída, se compararem os preços cobrados em bom restaurantes de NY ou LA, comandados por chefs reconhecidos, cheios de opções e criatividade com os daqui, ficarão surpresos. A carioca tem razão, ela não foi grosseira, só expressou uma comparação óbvia, porém foi gentil, as opções gastronômicas batidas daqui, não são somente batidas, são muito mal executadas.

  27. Mari!! Essa semana fui aí na Zero Hora tirar umas fotos pro Donna, te encontrei e disse que amava teu blog, não sei se tu vai lembrar.. O fato é que descobri ele muito recentemente, no meu período de ócio absoluto por conta das minhas férias, e desde então fui lendo todos os arquivos antigos até chegar nesse post, e posso te dar uma sugestão? Acho que já li que tu gosta de abóbora, e eu tenho uma sopa diurética de abóbora maravilhosa!! Eu descobri quando procurava receitas detox, e tomando ela por uma semana todos os dias de noite eu emagreci cinco quilos (juro), os quais eu nunca mais recuperei (por enquanto). Agora toda vez que exagero muito, como nas festas de final de ano, recorro a essa sopa que é simplesmente MARAVILHOSA, o gosto é muito bom.. tomo ela mesmo com esse calor senegalês de Porto Alegre e adoro! Se tu quiser a receita, me manda um email que eu te passo.. Porque eu adoro repassar essa receita pra todo mundo que pode aproveitar, me sinto fazendo um bem enorme pra humanidade porque todo mundo tem que provar essa maravilha de 200 calorias o prato!! Beijos

  28. Mari!! Essa semana fui aí na Zero Hora tirar umas fotos pro Donna, te encontrei e disse que amava teu blog, não sei se tu vai lembrar.. O fato é que descobri ele muito recentemente, no meu período de ócio absoluto por conta das minhas férias, e desde então fui lendo todos os arquivos antigos até chegar nesse post, e posso te dar uma sugestão? Acho que já li que tu gosta de abóbora, e eu tenho uma sopa diurética de abóbora maravilhosa!! Eu descobri quando procurava receitas detox, e tomando ela por uma semana todos os dias de noite eu emagreci cinco quilos (juro), os quais eu nunca mais recuperei (por enquanto). Agora toda vez que exagero muito, como nas festas de final de ano, recorro a essa sopa que é simplesmente MARAVILHOSA, o gosto é muito bom.. tomo ela mesmo com esse calor senegalês de Porto Alegre e adoro! Se tu quiser a receita, me manda um email que eu te passo.. Porque eu adoro repassar essa receita pra todo mundo que pode aproveitar, me sinto fazendo um bem enorme pra humanidade porque todo mundo tem que provar essa maravilha de 200 calorias o prato!! Beijos

  29. Nossa Mariana,acredita que fazem apenas duas semanas que descobri teu BLOG ?? E que semana passada ja havia lido ele todo?!!

    poiséee estou encantada com as suas “aventuras” e mais apaixonada ainda pelo Bento (L)

    Acho maravilhosas todas as suas dicas,principalmente de beleza,digamos que não me canso de ler coisas do gênero hahaha

    Passo o dia esperando um Post seu pra dar umas risadas shsuahsauhsai’

    Também sou adepta de ler o blog da Gabi Channas … e adooooooro vocês duas,
    e sobre um jardineiro,sei que voce é uma pessoa sem tempo e tudo mais,mas pelo jeito,na minha opinião,dos 3 jardineiros que você contratou,você mesma acabou se saindo melhor que eles,quem sabe conversa com seu marido e pede pra ele te dar uma mãozinha,afinal,dizem que a jardinagem é a melhor terapia para pessoas que vivem na correria como você!!!

    beijos

  30. Nossa Mariana,acredita que fazem apenas duas semanas que descobri teu BLOG ?? E que semana passada ja havia lido ele todo?!!

    poiséee estou encantada com as suas “aventuras” e mais apaixonada ainda pelo Bento (L)

    Acho maravilhosas todas as suas dicas,principalmente de beleza,digamos que não me canso de ler coisas do gênero hahaha

    Passo o dia esperando um Post seu pra dar umas risadas shsuahsauhsai’

    Também sou adepta de ler o blog da Gabi Channas … e adooooooro vocês duas,
    e sobre um jardineiro,sei que voce é uma pessoa sem tempo e tudo mais,mas pelo jeito,na minha opinião,dos 3 jardineiros que você contratou,você mesma acabou se saindo melhor que eles,quem sabe conversa com seu marido e pede pra ele te dar uma mãozinha,afinal,dizem que a jardinagem é a melhor terapia para pessoas que vivem na correria como você!!!

    beijos

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Uhu, Santa Rosa! Daqui uma semana chegaremos para o Chá das 5, que acontece dia 29! Já estamos no aquecimento entusiasmadíssimas uhuuu, né @mairafranz #mariemairaontheroad. -
-
Dale @gentenews @agitusrouparia 🙌🏻♥️
  • Amizade fiel e verdadeira pra encarar a vida de alma leve! São os nossos votos de ♥️ neste #20dejulho #diadoamigo
  • Precisando estimular a criatividade 😊 #melhordocedeleitedePOA #elchurreropoa #guardonocongelador
  • Hoje? Só com muita meia, muita polaina, muita bota... ☃️☃️ #frio #invernogaucho #frioderanguearcusco
  • Porque tem dias em que tudo que a gente quer é um pãozinho francês com presunto e queijo! #cacetinho #farroupilha #lanchedatarde
  • Com alguns meses de atraso... Bem-vindo, inverno! #fogonalareira #frio