Quando as férias permitem tempo para aprender a fazer ceviche!

Então chegou o momento do último final de semana dessas pseudo férias (que não sei se tem hífen, se não tem hífen, não sei quem inventou a bobagem de fazer aquela reforma gramatical que mudou tudo, embaralhou as ideias de todo mundo, enfim, a ordem do hífen não vai alterar o produto). Restam-me dois dias de pseudo férias antes de regressar 100% ao batente.

Estava conversando com o Chico sobre essa história de férias, de como está cada vez mais difícil a gente se desconectar. Conseguimos unir o útil ao agradável – trabalhar e descansar aqui em Punta del Este – porque, graças a Deus, estamos no mesmo ritmo. Ele também tem que pegar no batente e combinamos de pegar sempre no mesmo horário: entre 11h30min e 14h. Às vezes, um pouco antes; às vezes, um pouco depois.

httpwpclicrbscombrporaifiles201211sacougifFLEXIBILIDADE, SABE ASSIM?

Quando a gente é funcionário de carteira assinada, com direito a férias remuneradas, décimo terceiro salário, auxílio-creche, plano de saúde e essas coisas todas, é possível bater a porta e deixar tudo para trás. Quem ficou que trate de cuidar da lojinha. Já trabalhei muitos anos assim em muitos lugares – e não vou dizer que era ruim porque não era. Agora, a coisa é diferente. Sócia da minha empresa, com um site que leva meu nome, sem carteira assinada, sem décimo terceiro, sem direito a férias remuneradas, não dá para bater a porta e fingir que nada está acontecendo. Um olho fica aqui e outro fica lá, pois as contas continuam chegando do mesmo jeito.

mulher-chorandoELAS SÃO IMPLACÁVEIS

Não sei se algum dia, dentro deste novo modelo de negócio que escolhi para mim, conseguirei sair de férias sem olhar para trás. Talvez não. Mas quer saber? Estou adorando este momento, a liberdade que ele me proporciona – tanto de tempo, como de ideias, de pensamento, de criatividade. Trabalhar com a escrita requer instantes de inspiração e expiração. A gente precisa estar informado e precisa informar – e isso requer leitura, requer contemplação, requer observação. Não é algo mecânico como sentar na frente do computador e elaborar uma planilha Excel (que, aliás, preciso aprender a fazer).

enxaqueca21ESTOU ADIANDO AO MÁXIMO ESTE MOMENTO

Já teve um tempo em que saía de férias num dia e no outro já estava de malas prontas embarcando para algum lugar. Deus me livre ficar em casa! Estou mudando, e bastante. Não que não goste de sair correndo para algum destino a desbravar, mas esses 40 anos de idade, que andam mudando tantas coisas fisicamente em mim, também estão transformando minha concepção de férias e descanso.

Não sou mais a mesma depois dos 40

Tenho considerado que as melhores coisas da vida residem na oportunidade de fazer coisas banais e para as quais nunca temos tempo. Por exemplo: levantar sem pressa da cama, descer as escadas do prédio para passear com os cachorros, passar na La Coruñesa para comprar duas medialunas dulces para o café da manhã, voltar calmamente para casa, preparar o café, sentar na varanda de frente para o mar, dar uma dentada naquela medialuna fofinha recheada com presunto e queijo, mais um gole no café com leite, mais uma dentada na medialuna, mais outro gole no café com leite….

De Mariana para Mariana: uma carta para lembrar dos reais valores da vida

Então, cruzar os talheres e não sair correndo para lavar a louça, tomar banho, se vestir e ir trabalhar quase vomitando tudo o que comeu. Não!! Então, levar a louça para a pia, lavar quando quiser, sentar para ler o jornal, ter tempo de ler todo o jornal, admirar a vista mais um pouco e saber que há um dia inteiro para ser pensado no presente.

Woman-Asking-Question-20-749x4991PODE EXISTIR FELICIDADE MAIOR?

Foi em mais um dia assim, de vida no momento presente, que, ontem, resolvemos colocar em prática a ideia de fazer um ceviche em casa. Fomos à Banca da Maria, da qual somos clientes, no Porto, e escolhemos dois filés de linguado + 250 gramas de camarão. Eu havia encontrado no site do GNT uma receita que me pareceu bastante descomplicada e resolvi investir nela. Para quem quiser ver, o link está aqui abaixo.

apontando_para_baixo_0111Clica AQUI!

Resolvemos usar 200 gramas das 250 que compramos de camarão para fazer uma entradinha com direito à pôr do sol. Como o camarão era pré-cozido, bastou marinar ele dois minutinhos no limão, cortar uma salsinha, misturar e servir. Entradinha fácil e deliciosa de preparar.

Olha!

camarao 8070_1997826758_nOOOOOOOOOHHHHHHHH!!!!!!
Colocamos junto duas pedras de gelo para manter a temperatura

Para acompanhar, terminamos a garrafa de vinho verde Casal Garcia que estava aberta na geladeira e nos deliciamos vivendo o presente, minuto a minuto, da puesta del sol regada a vinho e camarões marinados.

As modas e modismos que fazem o verano 2016 em Punta del Este

Então, fomos para a cozinha preparar o ceviche. Enquanto o Chico cortava em cubos os dois filés de linguado, eu espremia em um bowl o suco de 7 limões e reservava no congelador. Depois, peguei meia cebola roxa (deixei na água gelada um tempo para tirar a ardência) e cortei em tiras finas (sem utilizar o miolo). Cortei um punhado de salsinha, triturei um dente de alho, uma colher de sobremesa de gengibre e deixei tudo à disposição dele.

Com o dólar a peso de ouro, o negócio em Punta é usar o bom senso

Quando o Chico terminou de cortar o linguado, colocou o peixe em um prato fundo e redondo junto com umas três pedras de gelo (ceviche requer que a gente preserve sempre a baixa temperatura do prato). Então, ele jogou ali dentro, junto com o peixe, gengibre + alho + salsinha + sal a gosto (utilizamos sal rosa) + pimenta do reino + pimenta calabresa em grãos (que substitui o famoso ají peruano) + as 50 gramas restantes do camarão (que ele encasquetou de botar na receita, mas não precisa). Mexeu, mexeu, mexeu e deixou dois minutos toda a turma se conhecendo melhor.

Então, passados esses dois minutos, joguei as tiras de cebola na mistura e o suco dos limões. Chico mexeu mais um pouco e…. Finito!

Olha!

ceviche1OOOOOOOOOHHHHHHH!!!!!
Não ficou digno de restaurante cinco estrelas?

Olha, nenhum reparo a fazer. Estava delicioso, refrescante, temperado na medida certa. Barbadinha de fazer em casa!

woman-question21E O MILHO, MARIANA?

Ai, esqueci de falar do milho. Mas nada de especial. Tínhamos uma espiga de milho em casa, cozinhamos e pronto. Mas a receita do GNT diz que pode ser milho em conserva também. Outra coisa que a receita do GNT diz é para colocar batata doce. Fica bom, claro. Nas receitas típicas peruanas, vai batata. Mas não acho fundamental e não tínhamos batata em casa. Portanto, deletei a batata. A última coisa que a receita do GNT indica – e que isso, sim, acho importante e não tivemos – é a utilização de coentro. A questão foi que não encontramos coentro (cilantro, em espanhol).

Coentro-Cultivo-Dicas-3FICA PRA PRÓXIMA, BONITÃO!

Hoje, assim que terminarmos nossa labuta, vamos arrumar a geleira do nosso piquenique + happy hour e vamos partir rumo a José Inacio. Será um dia inteiro de praia. Estou rezando um mantra para suportar, uma vez que passar um dia inteiro na praia é quase uma sessão de tortura para mim. Mas preciso pensar no lado bom: geleira, drinques, piquenique, happy hour.

nham-nhamNHAM NHAM

mulher-blusa-vermelha-nao-quero-ver2NO SOL, A GENTE DÁ UM JEITO

bento1123ELA PROMETEU MILANESAS

Sim, há duas milanesas na geladeira. Promessa é dívida.

bento1123ESSAS PSEUDO FÉRIAS ESTÃO DAS INESQUECÍVEIS

Compartilhar
mariana

mariana

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é sócia-diretora de conteúdo do portal MK. É autora dos livros "Peregrina de Araque - Uma Jornada de Fé e Ataque de Nervos no Oriente Médio" (2011), "Vida Peregrina - Uma Jornada de Desequilíbrios, Tropeços e Aprendizado" (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. Dona do Bento, da Papaqui e tia da Olivia, vive em Porto Alegre ao lado do marido e dos peludos. Escreve diariamente na seção Por Aí, que funciona como uma espécie de blog e diário do site, e também nas outras seções do portal MK.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • "Foi a melhor palestra que já assistimos". Tem coisas que o dinheiro não compra. Para todas as outras existe o testemunho da @tatilaschuk e do @betofabbrin de que ouvimos esta frase ao final da palestra na @uniritterdesignweek, né @mairafranz? ♥️🙏🏻🙌🏻 Gratas pela confiança @uniritter
  • É amanhã nossa palestra na @uniritterdesignweek! O tema: como construir uma marca com conteúdo, transparência e verdade. Obrigada pelo convite @uniritter! Dormindo cedo hoje, hein sócia @mairafranz 😜#implicandocomaloira #uniritter #uniritterdesignweek #9h #CampusdaFAPA
  • Kale Chips: folha de couve crespa, desidratada e temperada com pasta de castanha de caju, pimentão vermelho, suco de limão siciliano e pimenta caiena) 🌶Pensa numa coisa ardida e croc! #semfiltro #urbanfarmcy
  • Pipoca e altos papos ♥️#joãobenício #amordosdindos
  • Muito honrada com o convite da @uniritterdesignweek para ministrar a palestra "Conectando Marcas e Pessoas por meio de Conteúdo com Transparência e Verdade". É na próxima terça 17, às 9h, no Campus da FAPA que subo ao palco com a @mairafranz pra um papo sem fórmula mágica. Todos convidados!!! #uniritterdesignweek #uniritter
  • Então você foi a aluna eleita de hoje para posar no paredão anti-fashion. Motivo? Seu Crocs verde tartaruga 🐢🐢#yoga #sattvashala #aulaonoferiado