Uma semana de paz em Dubrovnik

Eu morava no Rio quando tirei 20 dias de férias para fazer uma daquelas viagens sem compromisso algum. Apenas com uma pequena mala e uma mochila nas costas. Comecei por Berlim, passei por Praga,  pela Hungria e resolvi seguir o conselho de uns colegas e conhecer a Croácia. Comprei uma passagem de trem no terminal de Budapeste rumo a Split. Achei que o trem teria o mínimo de infraestrutura e não levei nem uma garrafa d’água. Fazia um calor dos diabos, perto dos 45 graus, e só fui me dar conta da encrenca em que estava metida quando o trem arrancou, entreguei a passagem ao funcionário da companhia e perguntei onde era o bar.
– No bar – ele respondeu.

NO BAR??!!!

I NEED SOME WATER!

Não tinha some water nenhuma dentro do trem, não tinha bar, não tinha nada. E eu tinha seis horas de viagem de Budapeste a Zagreb e mais cinco horas de Zagreb a Split. Um dia conto da vaquinha de bebidas e alimentos que uma turma de amigas tchecas fez para eu não morrer de sede e inanição dentro do trem. Agora o foco é outro: Dubrovnik, Croácia.

OOOOOHHHHHHH!!!!

Cheguei de trem a Split e ainda foi preciso pegar um ônibus rumo a Dubrovnik. Mais cinco horas de viagem em uma estrada sinuosa.

COM ESSA PAISAGEM NA JANELA…

… E EU SENTADA NA JANELA!

Cheguei à “rodoviária” de Dubrovnik sem ter onde me hospedar. Tinha lido que moradores da cidade, senhoras e seus maridos, costumam esperar os turistas no terminal com álbuns de fotos dos quartos que possuem em casa para alugar. Cheguei, desci do ônibus, peguei minha mochila e logo vi vários casais mostrando álbuns de fotografias para vários estrangeiros. Simpatizei com um casal que devia ter cerca de 70 anos e perguntei da possibilidade de ser sua hóspede. Eles me mostraram um quarto com ventilador (muito importante, fazia um calor dos diabos) e o banheiro que teria que dividir com mais um senhor italiano e uma moça alemã. A hospedagem de uma semana me custaria 350 euros . Estava de ótimo tamanho, até porque minha ideia era sair de manhã e voltar à noite. Entrei no carro com eles, fui apresentada ao meu quarto e recebi um copo de suco de uva bem geladinho de boas vindas. O casal era adorável.

ESTE ERA O CAMINHO QUE EU FAZIA DIARIAMENTE PARA IR À PRAIA

Terminava de descer aquela ruazinha que mal dá pra ver ali à direita na foto (comprei um suporte para bater fotos, me perdoem a qualidade de algumas delas….) e pegava o ônibus, bem neste ponto, até o centro de Dubrovnik. Às vezes, ia caminhando, mas era uma longa pernada.

VOLTANDO DE MAIS UM DIA DE PRAIA

E assim vivi uma semana de paz em Dubrovnik, em junho de 2006, numa época em que a Croácia recém começava a ser descoberta por europeus como destino turístico alternativo a jovens que não tinham dinheiro para gastar nas ilhas gregas. Dubrovnik não deixa a desejar.

UPS, A MÁQUINA BATEU ANTES DA HORA!

AGORA SIM!!
Este foi um dos dias em que resolvi ir caminhando e descendo morro abaixo até chegar lá embaixo no centro da cidade antiga

AQUI, Ó!

VISTA DO RESTAURANTE ONDE SENTEI PARA ALMOÇAR NO CENTRO

PROCURANDO UM PRESENTINHO PARA A FAMÍLIA!

Conheci várias praias em Dubrovnik até me apaixonar por uma em especial. Então, passei o resto dos dias indo sempre ao mesmo lugar.

DESCIA ESSA ESCADARIA DE MANHÃ…

…. E AQUI FICAVA ATÉ O SOL IR EMBORA

Aproveitava cada momento da boa energia que emanava daquele pedacinho de terra para agradecer do meu jeito: fazendo ioga na beira do mar.

OBRIGADA…

… OBRIGADA…

… MUITO, MUITO OBRIGADA

OBRIGADA PELO ESPETÁCULO DE CADA DIA DE UMA SEMANA MUITO ESPECIAL

Compartilhar
mariana kalil

mariana kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do portal MK. É autora dos livros "Peregrina de Araque - Uma Jornada de Fé e Ataque de Nervos no Oriente Médio" (2011), "Vida Peregrina - Uma Jornada de Desequilíbrios, Tropeços e Aprendizado" (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. Dona do Bento, da Papaqui e tia da Olivia, vive em Porto Alegre ao lado do marido e dos peludos. Escreve diariamente na seção Por Aí, que funciona como uma espécie de blog e diário do site, e também nas outras seções do portal MK.

Sem comentários ainda.
  1. Oi Mariana, lindo este lugar! Com este sábado cinzento foi ótimo ver este lugar c/ muito sol e energia positiva. Antes, li sobre o plantão no jornal c/ enxaqueca. Tenho duas coisa p/ dizer sobre: uma é boa: eu tinha enxaqueca como tu e nunca mais tive, há solução..; a ruim: para não ter mais é necessário abolir, ou reduzir consideravelmente, o café e o chocolate (principalmente essa combinação que é maravilhosa, mas causa danos). Tenta substituir o café puro pelo pingado (com mais leite), fica muito bom…quanto ao chocolate vair reduzindo aos poucos, quando tu perceberes a enxaqueca será coisa rara. Bjs.

  2. Oi Mariana! Tive a felicidade de conhecer Dubrovnik no ano passado e realmente é um lugar lindo e especial. Adorei ver as fotos e matar um pouco a saudade! E sensacional as fotos da ioga na praia, o biquini branco (lembrei das tuas colunas almejando o biquini branco, o sonho de consumo de qualquer mulher. Me divirto muito!!! Hehehe)… um dia, quem sabe, chego lá! Bjs

  3. Mariana, que bárbaro o teu post.
    Me diz, é tu naquela posição de ponta cabeça?
    não sabia que tu eras tão avançada nas posições de yoga.
    bj e adorei

  4. oi mari!!!
    morri c esse post de hj…
    lugar lindo viagem de sonho queria ter pila pra fzr uma assim, dai ñ sei se a coragem ia dar pra ir assim no peito e na raça sou mto cagona …
    mandou mto bem na ioga nem se eu viver 200 anos faço aquilo kkkk
    bjs de lambjokas no bento e na olivia
    *a proposito onde estava o bento nesta época??????????????

  5. Oi Mariana!
    Obrigada por publicar esta matéria sobre “Dubrovnik” neste dia tão cinzento!
    Tive a oportunidade de conhecer Dubrovnick em abril deste ano! Me apaxonei!
    Hoje vendo tuas fotos recordei desta cidade cheia de encantos, história e beleza!!
    Quero retornar!!!!
    Um abraço, Lúcia

  6. Oi Mariana, que lugar lindo!!! E as tuas fotos fazendo yoga, maravilhosas!!!
    Hoje eu tirei o dia pra ficar igual ao Bento e também estou exausta…
    Mas sabe que to sentindo muita falta da Marta Medeiros, chegar ao final do Donna e não encontrar as cronicas dela me deixa tão triste…
    Que bom que mesmo nesse dia cinza tu apareceu por aqui pra nos alegrar.
    Bjs

  7. Há tempos estou louca para ir a Croácia! depois das tuas fotos, fiquei ainda mais entusiasmada, mas acho que vou preferir uma viagem aérea em vez desse trem aí…E o biquíni branco, hein? Que sucesso!

  8. Oi Mari! Lindo esse lugar, nem passaria pela minha cabeça ir pra lá… Pelo visto vc foi sozinha né? Posso dar uma sugestão para a lista “Elas mandam em mim”? (heheh): Viajando sozinha. Dicas, roubadas, experiências… Adoro teu blog, moro na Inglaterra e leio praticamente todos os dias! Me faz sentir um pouquinho mais perto de Porto Alegre ;-)

  9. Mari…que lindo amei a Croácia….sabe o que mais…bem que tu podia ( outra dica ) fazer um post / Matéria sobre : MULHERES QUE VIAJAM SOZINHAS…Queria tanto, mas morro de medo ! Conta pra gente tuas ” aventuras “. Beijo ..boa semana pra nós !!!

  10. Mari que lugar lindo!! Amei ler este post, deu vontade de fugir pra lá agora mesmo…mas acho que uma semana não seria suficiente :-)
    As fotos ficaram lindas! Até me senti melhor, lembrei como é maravilhoso estar em um outro lugar pra conhece-lo e viver aquele momento, e só!! Bjs!!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram has returned invalid data.