Quase metade das mães do Brasil passa menos de 10h por semana com os filhos

Até chegar à idade adulta, normalmente os pais são os principais responsáveis pela criação dos filhos. Precisam tomar uma série de decisões que impactam diretamente na formação das crianças e adolescentes. Pois, agora, uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e do portal Meu Bolso Feliz mapeou como os valores estabelecidos pelas mães e o período de convivência incentivam e delimitam o consumo dos filhos. Os dados não são animadores: 42,1% das mães passam menos de 10 horas por semana com seus filhos, desconsiderando as horas de sono.

tv-filhos-principalASSISTIR TELEVISÃO É O QUE ELAS MAIS FAZEM COM ELES

Ainda que quantidade não signifique qualidade, a principal atividade compartilhada entre mães e filhos é assistir televisão (83,8% das entrevistadas) seguida de passear em parques e praças (50,8%) e brincar (50,4%). Comenta o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli:

– Não há como afirmar que essa quantidade seja insuficiente, mas o fato é que muitas mães se sentem angustiadas por não conviverem mais com suas crianças.

MARI KALIL: Banheiro, o novo escritório feminino?

Segundo o levantamento, 35,8% das mães acreditam que passam pouco tempo com os filhos, e a culpa por não estarem tão presentes na vida deles é um sentimento vivenciado por quase um terço das mães (32,7%). Ainda que 67,4% das entrevistadas tenham seus filhos como prioridade, 27,6% priorizam a vida profissional. Outros 12,1% admitem não ter paciência para educar seus filhos.

paxil-for-anxietyPARA 12%, FALTA PACIÊNCIA PARA EDUCAR

Para o educador financeiro, é recomendável que as mães reflitam mais sobre o tempo dedicado à tarefa de educar, transmitindo valores e ensinamentos inclusive ligados aos hábitos de consumo, pois esse é um esforço que pode repercutir consideravelmente mais tarde, tornando os filhos mais confiantes e melhor preparados para enfrentar os desafios da vida.

cofre-porquinho1APENAS 10,7% DAS MÃES CONVERSAM SOBRE PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Outra questão levantada na pesquisa do SPC Brasil é sobre os ensinamentos das mães sobre educação financeira aos seus filhos. Conversar sobre a vida financeira da família com as crianças e adolescentes é uma prática recorrente para 60,6% das entrevistadas.

Porém, embora seja expressivo o percentual de mães que falam com seus filhos sobre o dia a dia das finanças da casa, observa-se que realizar o planejamento financeiro e falar sobre planos para o futuro ainda é um tema pouco abordado com eles (10,7%). Segundo Vignoli, debater sobre as questões práticas e cotidianas relacionadas ao dinheiro é muito importante:

– Não se deve esquecer que as crianças estão em constante formação, e que os hábitos aprendidos agora serão fundamentais para definir o comportamento de consumo futuro – alerta o educador.

caderno-financ3a7as-pessoais-2ANOTAR OS GASTOS DEVERIA SER PRÁTICA RECORRENTE

O conteúdo do que se é conversado varia em função da idade e maturidade dos filhos. Entre seis e onze anos a conversa sobre planos, sonhos e os motivos para economizar é mais comum do que nas demais faixas etárias. Já entre os adolescentes, as questões sobre a situação financeira da casa, os gastos e prioridades é mais recorrente do que nas demais idades. De acordo com José Vignoli, os ensinamentos relacionados à educação financeira devem ser sobre a importância de valorizar o que cada pessoa possui e o quanto custa ganhar dinheiro.

– Outras ações muito importantes para ensinar desde cedo, e que não foram muito mencionados na pesquisa, é o hábito de anotar tudo o que for gasto e também pedir descontos – acrescenta. – Se desde cedo os filhos aprenderem a poupar e estabelecer metas, é mais provável que se tornem adultos aptos a concretizarem seus planos e sonhos de consumo, mantendo uma vida financeira saudável – avisa.

crianca-febre-cuidados-saude-10391SEGURANÇA E SAÚDE: PRIORIDADE DOS PAIS EM RELAÇÃO AOS FILHOS

De forma geral, a segurança e a saúde são as maiores preocupações das mães entrevistadas em todo o Brasil, seguidas pela convivência com pessoas do mesmo nível social – esta inclusive à frente de questões como formação moral e ética, educação e alimentação saudável.

Entre os itens mais citados como importantes para propiciar aos filhos estão as atividades relacionadas a esportes, como natação, futebol, judô, ballet (63,2%); os cursos de línguas estrangeiras (51,9%) e os planos de saúde (47,1%).

© Copyright 2010 CorbisCorporationCASTIGO VERSUS RECOMPENSA PARA O CUMPRIMENTO DE RESPONSABILIDADES

O estudo também avaliou se os filhos desempenham algum papel no contexto familiar e na escola. A maior parte das mães entrevistadas (54,1%) acredita que a principal função dos filhos deve ser a de tirar boas notas no colégio, mas também são citados os trabalhos de colocar as roupas sujas em local adequado (53,7%), de arrumar a própria cama (53,0%) e de recolher os brinquedos depois de brincar (52,4%).

– Todas essas tarefas podem indicar que as mães pensam ser necessário, no processo de formação dos filhos, atribuir a eles pequenos papeis na organização da casa, de modo que possam aprender, desde cedo, a ter responsabilidades –  explica o educador financeiro.

MARI KALIL: Pelo direito de não ter filhos

Três em cada quatro respondentes (75,0%) garantem que não há premiação ou recompensa para os filhos quando as responsabilidades são cumpridas. Por outro lado, 42,9% aplicam algum tipo de castigo e 35,1% não adotam punição quando não são cumpridas pelas crianças.

De acordo com Vignoli, não é aconselhável condicionar o cumprimento das tarefas a qualquer tipo de recompensa, sobretudo financeira, pois as crianças podem entender que suas responsabilidades em casa são uma oportunidade de ganho, quando a tarefa deveria ser encarada como responsabilidade. Diz ele:

– Assim como a mãe e o pai, os filhos precisam entender que também têm um papel a desempenhar para o bom andamento da vida familiar. O ideal é considerar que o cumprimento das tarefas é um dever e não exige ganho extra de qualquer natureza – observa. – Ao mesmo tempo, deixar de cumprir as punições estabelecidas pode ser perigoso, pois os filhos podem ter a impressão de que não há consequências por seus erros, repetindo esse padrão de comportamento ao longo da vida.

mothersgroupQUASE 900 MÃES FORAM OUVIDAS NAS 27 CAPITAIS

A pesquisa entrevistou 843 mães das 27 capitais que possuem filhos com idade entre dois e 18 anos. A opção por entrevistar apenas as mães se justifica porque as crianças e adolescentes, dependendo da idade, não possuem fonte de renda. Outro motivo foi para manter um padrão, neutralizando as diferenças que um pai e uma mãe podem ter na relação com seus filhos. A margem de erro é de no máximo 3,4 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%.

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

1 Comentário
  1. Essa pesquisa está certa? Tenho uma carga de 40h semanais de trabalho, ou seja, não “me mato trabalhando” mas tenho horário fixo e, desconsiderando o final de semana, fico em média 20h com meu filho. Como pode de segunda a domingo dar apenas 10H???!!!! Isso é menos de uma hora e meia por dia. Não dá para nada. Não sou uma super mãe, mas isso já parece um pouco de descaso. Por isso que a educação da população está como está…

Deixar uma resposta Cancelar Resposta

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • “Hello, doctor Renato! Good morning and good news! Doctor Guy can receive us the coming monday at Sheba Medical Center. The cells grew very well, they are approved for protocol in Israel”. ✨✨✨
Não perca, nunca perca, jamais perca tua força, tua coragem, tua fé.
  • O amor e o carinho de todos vocês, perseguidoras e perseguidores, me impulsiona como uma malabarista que voa pelo céu encantado em seu trapézio mágico. O amor e o carinho da minha família e amigos é o que me mantém firme e forte até aqui, com desequilíbrios e tropeços, sim. Mas com muito aprendizado. Não foram dias fáceis, não tem sido nada fácil e tampouco será daqui por diante. Mas, com fé, força e coragem, chegará o dia em que vamos emergir juntos lá do fundo desta tempestade - e então bastarão algumas braçadas e já estaremos do outro lado da margem deste mar revolto. O lado da cura. Amanhã, já posso voltar a comer batatinha em casa. E vamos em frente. 💪🏻 #bepositive
  • A dinda vai cair e levantar quantas vezes forem necessárias para te ver crescer e florescer em um mundo lindo de rosas amarelas, meu pequeno Johnny. 💛
  • Mais uma etapa vencida; mais três corações explodindo de felicidade de voltar pra casa. Em frente. 👊🏻 #bepositive
  • Uma ideia criativa de servir pão (vou imitar) y otras delícias do Bell Café: couve-flor, kebab e húmus (sempre ele!). #telavivfood 😋
  • Se você não vem comigo, nada disso tem valor. De que vale o paraíso sem amor? Se você não vem comigo, tudo isso vai ficar. No horizonte esperando por nós dois.