Receita de lasanha de berinjela light e calorias de verduras e legumes

Você sabe quais são as diferenças entre as verduras e os legumes? As plantinhas, ou parte delas, que servem para o nosso consumo, podem ser divididas entre essas denominações. Conceitualmente, chamamos de verdura todos vegetais que possuem partes consumíveis compostas por folhas, flores, botões ou as hastes. Alguns exemplos são o espinafre, acelga, alface, agrião e brócolis. Podemos chamar de legumes quando as partes comestíveis são os frutos, sementes ou as partes que se desenvolvem na terra. A abobrinha, batata, berinjela, cenoura e aipim são apenas alguns exemplos deste grupo alimentar.

Todo mundo está cansado de saber, mas a nutri aqui volta a dizer: é muito importante o valor nutritivo dos vegetais, pois são fontes de vitaminas, minerais e fibras. Entre as principais, destacam-se a vitamina C, as vitaminas do complexo B e a pró-vitamina A (betacaroteno). Além disso, os vegetais são abundantes em ferro, cálcio, potássio e magnésio.

A dúvida mais comum é: “posso comer esses vegetais à vontade?” Poder, pode. Entretanto, entenda que mesmo sendo saudáveis e nutritivos, alguns vegetais em excesso podem aumentar o ponteiro da balança. Por isso, quero ajudar a entender um pouco mais sobre isso e a diferenciar um do outro.

Balança-com-Vegetais-e-fitaALERTA VERMELHO: DETERMINADOS VEGETAIS EM EXCESSO ENGORDAM

Antes de tudo, é necessário entender qual é a principal função do carboidrato. Trata-se da fonte essencial de energia para nossas células. Cada grama de carboidrato possui quatro calorias. A glicose proveniente dele é a fonte de energia mais utilizável, quando comparada à energia gerada pelas proteínas e lipídios, pois a substância originada do carboidrato não gera o que chamamos de catabólicos tóxicos, que precisam ser eliminados do organismo.

+CARINA BORGES: Receitas simples de pastinhas e patês saudáveis (e cheios de nutrientes!)

Assim, podemos concluir que é fundamental a ingestão diária de carboidrato diariamente para manter nosso organismo em perfeito funcionamento. Então, nada dessa “carbofobia” que está na moda. Pode ingerir carboidrato, desde que seja na quantidade certa.

CARBOCARBOIDRATO FAZ BEM À SAÚDE E À DIETA, MAS NA QUANTIDADE CERTA

Para saber qual é a quantidade adequada, precisamos classificar os vegetais de acordo com a quantidade de carboidratos que cada um possui. Vamos lá?

Grupo A (aproximadamente 5% de carboidratos)
Abobrinha, acelga, agrião, aipo, alcachofra, alface, alfafa, almeirão, aspargo, azedinha, berinjela, bertalha, bredo, brócolis, broto de bambu, caruru, cebolinha, coentro, couve, couve-flor, dente de leão, espinafre, funcho, jambu, jiló, maxixe, nabiça, ora-pro-nobis, palmito, pepino, pimentão, rabanete, repolho, serralha, salsa, taioba e tomate .

GRUPO B (aproximandamente 10% de carboidratos)
Beterraba, calabura, cenoura, chuchu, ervilha verde, fava, jurubeba, nabo, quiabo , repolho-de-bruxelas, tupinambo, vagem, abóbora e bardana.

GRUPO C (aproximadamente 20% de carboidratos)
Aipim, araruta, batata-baroa, batata doce, cará, mandioca, milho verde, pinhão, semente de gergelim, girassol, batata-doce branca e roxa, batata-inglesa, inhame.

+CARINA BORGES: Sopa de vegetal termogênica e alimentos para um inverno sem culpa

A classificação das verduras e legumes em A, B e C permite que você tenha maior flexibilidade do cardápio, podendo substituir as mesmas dentro do mesmo grupo sem alterar o valor calórico da dieta.

Quem tem o objetivo de manter o peso deve cuidar a quantidade dos vegetais que tem mais carboidrato em sua composição, pois, em excesso, aumenta consideravelmente o aporte calórico da dieta. E, claro, deve-se levar em conta a individualidade de cada indivíduo e organismo. Por isso, o acompanhamento nutricional é fundamental.

Por fim, para inspirar preparei a receita de uma lasanha com um vegetal com baixo percentual de carboidrato: lasanha de berinjela.

eggplant-parmesanLASANHA DE BERINJELA LIGHT

Ingredientes
1 berinjela cortada em fatias
200g de peito de frango desfiado

Para o molho
4 colheres de sopa de queijo cottage
1 colher de sopa de pimenta rosa
2 colheres de sopa de pimenta biquinho picada
6 colheres de sopa de molho de tomate
2 colheres de sopa de cebolinha picada

Modo de fazer
Bata os ingredientes do molho no liquidificador e reserve. Em um refratário, intercale a berinjela, o queijo, o frango e uma porção do molho. Leve ao forno e asse por aproximadamente 30 minutos.

Compartilhar
Carina Borges

Carina Borges

Nutricionista e Fisioterapeuta Dermatofuncional formada pelo Centro Universitário Metodista (IPA/RS), Carina Borges proporciona, a união entre a prevenção da saúde através da qualidade na alimentação e o bem-estar por meio da base científica de tratamentos eficazes para o corpo e a pele. O objetivo principal de seu trabalho é restaurar a saúde funcional e qualidade de vida das pessoas, para, então, seguir a busca incessante pela longevidade por meio da nutrição preventiva. Tudo por uma vida recheada de sabor e autoestima.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • VENEZUELA LIVRE! #VenezuelaBrasilTeAcompana #VenezuelaGritaLibertad #venezuelalibre #venezuelagritalibertad #23ecallehastaquesevaya #23enero2019
  • Né?!👌🏻#simplesassim #bekind
  • “Nunca mais me convida pra pegar praia em José Ignacio.” #gorda #reportergorducha
  • Dia de praia no @lachozademarparador. Viaja até José Ignacio, caminha na areia quente, procura guarda-sol, carrega geleira, sacola, mochila, faz reportagem para o Band Mulher e sorri pra foto! 🤣🐶
  • Bento envelheceu. Não foi do dia para a noite. Trata-se de um envelhecimento gradativo. Uma enfermidade aqui, uma coisinha crônica acolá – e há uns bons cinco anos vamos levando esses percalços da velhice com acompanhamento veterinário, exames de rotina, troca de medicações, mas sobretudo, com amor, cuidado, amizade, lealdade e fé. Neste último ano, mais precisamente nos últimos meses, Bento deixou de ser um cachorrinho vivaz, de olhos espertos e comportamento ágil para se transformar em um senhor de seus lá 95 anos (equivalente à idade humana) que requer uma série de cuidados e a minha presença e atenção 24 horas por dia. O diagnóstico complicou, como costumam complicar os diagnósticos à medida que a idade avança, e através do olhar do Bento eu enxergo diariamente o reflexo da finitude da vida. Não pode existir sofrimento maior para um dono de cachorro do que essa despedida diária. A cada dia, menos um dia. A cada dia, também uma surpresa. Um dia feliz, caminhando melhor, disposto, com apetite e sorrisos. No dia seguinte, sono, muito sono, xixi nas calças, olhar distante, cabecinha para o lado e alheio ao mundo ao redor. Um dia vivaz; noutro, senil. Deveria ser proibido pela natureza vivermos tal experiência. Bento significa para mim muito mais do que um dos meus grandes melhores amigos.
É meu companheiro de jornada por uma vida de altos e baixos, cheia de mudanças e reinvenções – e da qual foi testemunha ocular e grande conselheiro. Nos conhecemos quando ele tinha 30 dias de vida e desde então cruzamos oceanos até. O que eu quero que ele saiba – e o que eu sei que ele sabe – é que estarei sempre aqui. E hoje estamos aqui. E assim seguiremos juntos. Com sorrisos e mãos dadas. Até o fim. Porque a única certeza que temos é a de que o fim chega para todos nós. E com ele um novo renascer.🐶♥️🙏🏻 #bento #xerife #18anos #companheirodejornada
  • Muito havia ouvido falar de que filhos de nossas irmãs são nossos filhos também. Mas a teoria sempre só faz sentido quando a realidade se confirma. Quando João Benício nasceu, me tornei tia – e ser tia é o maior presente que um irmão e uma irmã podem nos dar. Ser tia é descobrir a maternidade de outra forma, é descobrir um amor que não sabíamos que existia. Quando me tornei tia, passei a enxergar as crianças sob outra ótica, com mais ternura e paciência. Passei a entender também a falta de paciência das mães em muitos momentos. Quando me tornei tia, passei a sentir mais saudade, passei a beijar e a abraçar mais. Passei a me preocupar mais com a humanidade, com o futuro, com o legado das pessoas e das coisas. Quando João nasceu, me tornei um ser humano melhor. Ser tia é amar profundamente uma pessoa que parece ter saído de dentro de nós. É encontrar tempo onde antes só havia falta de tempo. É segurar no colo, é não sentir dor no braço, é aguentar sem reclamar a dor nas costas. É deixar a garrafa de vinho e o Netflix de lado numa sexta-feira à noite para deitar ao lado de quem insiste em se manter acordado. Tias também são mães, são capazes de amar como mães. Tias são a segurança das mães de que, em qualquer ausência delas, amor é o que jamais faltará. Porto Alegre, agosto de 2015. #joãobenicio #amordatia #amordadinda