Sete maneiras de comer e servir stroopwafel, esse divino e tradicional biscoito holandês!

O Stroopwafel pediu licença para escrever este post. Como devo a ele momentos de felicidade sublime ofertada por generosas dentadas em seu redondo corpinho, ponderei que tinha lá seus direitos – e entreguei o notebook para que ele explicasse a vocês as várias maneiras que pode ser consumido. Com a palavra, o tradicional biscoito holandês!

moinho“Caso vocês ainda não me conheçam bem, me chamo Stroopwafel e fui apresentado pela querida Mariana no post Stroopwafel, o delicioso biscoito holandês tem muitas histórias para contar. Recomendo a leitura. Sou um tradicionalíssimo biscoito holandês, feito com duas bolachas finas e recheado com um caramelo especial. Meu objetivo neste post é explicar como posso ser consumido, uma vez que toda a minha trajetória de vida e a história de meu nascimento já foram brilhantemente relatadas por esta sublime escritora e jornalista”.

manaSÓ PODE TER DEDO DELA NESTE TEXTO

bento1121É ÓBVIO

gif-womanDE QUEM, MEU?!

stroop-dentadas“A maneira que a Mariana mais costuma me consumir é assim: a dentadas. Como ela vive correndo pra lá e pra cá e, quando não está correndo pra lá e pra cá, está abduzida na frente da tela do computador teclando textos sem parar, costuma dar umas mordidas bem vorazes em meu corpinho circular sem sequer perceber. O que acontece? Termina me devorando duas ou três vezes sem nem se dar conta!”

olivia101TÍPICO DELA

bento1121DEPOIS RECLAMA QUE A CALÇA NÃO FECHA

stroopwafel1“Porém, a maneira mais tradicional de me consumir é assim: com chá ou café. Há todo um ritual que vou ensinar a você: pegue um exemplar de mim do tamanho da boca da sua xícara ou caneca. Então, me utilize como tampa para que eu possa bloquear a saída dos vapores da bebida quente. Desta maneira, vou ficar aquecido e o caramelo que habita em meu interior vai dar uma leve derretida. O ideal é que você espere uns três minutinhos antes de me dar a primeira mordida”.

stroop-frigideira“Costumo frequentar muito as feiras ao ar livre na Holanda, onde sou aquecido e devorado às toneladas. Em casa, você pode usar a frigideira que o resultado é bem semelhante. Uma vez aquecido o recipiente, me deixe repousar quietinho 20 segundos de cada lado.”

stroop-cafezinho-casa“No Brasil, onde minha tradicional receita ganha vida graças à Moinhos Wafers, busquei algumas adaptações de consumo para servir ao jeitinho brasileiro, como vocês gostam de dizer. Percebi que os cafezinhos sempre ganham a companhia de algum docinho. Então, me ofereci para ter um pedaço do meu roliço corpinho ao lado da xícara, sobre o pires. A receptividade tem sido espetacular. Sugiro a você experimentar em casa e oferecer aos amigos e às visitas”.

stropp-bombo“Houve um 19 de dezembro, data do aniversário da Mariana, que ela recebeu de presente da elegante jornalista e escritora Célia Ribeiro, esta bomboneira de cristal recheada com pães de mel e chocolate. Eu logo fiquei de olho, com uma certa inveja branca, pois gostaria de estar no lugar daqueles pães de mel. Os dias passaram, a Mariana consumiu tudo que havia dentro da bomboneira e eu chamei ela para uma conversa. Perguntei se não gostaria de rechear o recipiente com pedaços de mim para ter sempre à mão para oferecer. Ela achou a ideia genial e topou na hora. Hoje eu vivo aos pedaços no aparador da casa da Mariana, logo na entrada. Todo mundo que chega já chega sorrindo porque sabe que vai metera mão em mim. No bom sentido, claro!”

stroop-chocolate“Esta é outra maneira fácil de me encontrar sendo servido na Holanda e também muito fácil de reproduzir em casa. Mas um aviso: como eu sou bastante doce, o ideal é que você escolha uma barra de chocolate amargo para derreter. Assim, faz o contraponto, entende? Então, é só mergulhar parte de mim no chocolate e ser feliz. Se quiser, polvilhe pedaços de amêndoas, nozes ou castanhas por cima. Eu fico delicioso e ainda mais phyno!”

stroop-nutella“Por fim, para quem gosta de doce, doce, doce, para quem curte o paladar beeeem doce, eis uma ideia que cura qualquer TPM: uma lambuzada de Nutella por cima de mim e… Nhaaac! Seus problemas acabaram!”

olivia101ESTÁ TUDO EXPLICADO

manaPOR ISSO QUE ELA VIVE TÃO FELIZ

gif-womanQUEM, EU?!

bento1121DEPOIS RECLAMA QUE A CALÇA NÃO FECHA

apontando_para_baixo_0111ESPIA AQUI
Onde encontrar meu delicioso corpinho na sua cidade!

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

4 Comentários
  1. Amei esses biscoitos! Fui atrás e descobri que aqui no Rio vendia no Sam’s Club. Não sou sócia, mas,como teria um fim de semana de Open House fui correndo comprar e experimental essa delicia! Muito obrigada Mariana pela dica! Ele já faz parte do meu dia a dia. Bjs.

  2. Aqui na Holanda, nada de quebrar o stroopwaffel. Em qualquer lugar se encontra pacotes com mini-stroopwaffels! Quem sabe a empresa ai não copia a idéia?

  3. Eu aaaaaamoooo esse biscoito. Meu primo me trouxe duas latas originais da Holanda, há uns 15 anos atrás (tenho as latas até hoje). Dois anos depois tive o prazer de conhecer Amsterdam: enchi a mala e trouxe mais uns tantos quanto couberam. Mas de tão bom que são, duraram pouco…hehe…fui salva quando descobri o Moinho, de Ivoti. Só agradeço por me manterem por perto de uma das melhores iguarias que já comi na vida!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Estaremos te esperando, Chiquinho! Repost @chico_sperotto ♥️🐶🌞
  • • KARL LAGERFELD
10.09.1933 - 19.02.2019 🖤
•”Pense rosa. Mas não use".
•”Calça de moletom é sinal de fracasso. Você perdeu o controle sobre sua própria vida e comprou um moletom".
•”Eu acho tatuagem uma coisa horrorosa. É como viver o tempo todo em um vestido Pucci".
•”Meu maior luxo é não precisar me justificar para nenhuma pessoa.”
•”Gosto que tudo seja lavável. Eu mesmo, inclusive.”
•”Personalidade começa onde a comparação termina.”
•”As melhores coisas que fiz na minha vida, as vi nos meus sonhos. É por isso que tenho um caderno de rascunhos na minha cama.”
•”O politicamente correto, a preservação. Eu acho tudo isso extremamente chato.”
•”Coco Chanel jamais teria feito o que eu fiz. Ela teria odiado.”
•”Sou uma pessoa da moda e a moda não é somente sobre roupas. É sobre todos os tipos de mudança.”
•”Eu amo estar de passagem. Nasci em um porto, em Hamburgo. Então minha mãe disse: ‘É a porta do mundo, mas não é mais do que a porta. Portanto, já pra fora!’”.
#ripkarllagerfeld
  • - Dinda, entra no mar comigo?
- A dinda não gosta de mar gelado.
- Eu queria mergulhar com a dinda.
- Então a dinda vai te dar a maior prova de amor do mundo. E tu vai lembrar pra sempre, promete?
- Prometo, dinda.
E assim foi, e a lembrança eterna será de nós dois. #joaobenicio #amordadinda
  • Ensalada de Durazno: pêssego queimado, folhas verdes, queijo de cabra, pistache, cebola roxa e um molho vinagrete indescritível. Autor: @francismallmann @restaurantegarzon 👌🏻♥️🇺🇾 Detalhes no destaque do Stories
  • Leva um tempo até a gente perceber que por trás da figura de mãe existe também uma mulher como nós. Com gostos, desejos, anseios, vontades, expectativas, decepções. Não dizem que são nas viagens que a gente conhece profundamente a essência dos amores e amigos? Pois viagens também contribuem para aproximar mães e filhas no papel de duas mulheres adultas e companheiras. Em nossas viagens, mãe e eu convivemos com nossas imperfeições e fizemos mútuas descobertas – das profundas às mais comezinhas. Ela bebe pouca água; eu vivo com uma garrafa na mão. Ela critica a minha garrafa; eu critico a falta de água no organismo dela. Ela já planeja a Páscoa do ano que vem; eu ainda nem cheguei no próximo Natal. Ela não compreende a minha falta de planos; eu não entendo a ansiedade dela. Ela pensa em voz alta; eu reflito em silêncio. Ela diz pra eu falar alguma coisa; eu suplico que ela cale a boca por cinco minutos. Ela prefere o sol do meio-dia; eu prefiro o ar-condicionado. Ela diz que estou branca feito um bicho da goiaba; eu respondo que ela está laranja feito um nacho de Doritos. Agora estamos de novo aqui, juntas, em viagem, sentadas na grama da praça de José Ignacio. Que bom, né, mãe? Que bom que a vida nos concedeu este prazo para descobrir ainda a tempo o privilégio de passearmos juntas por aí e explorar como adultas esta delicada amizade — e o que existe de melhor em cada uma de nós. ♥️ #amordemãe #amordefilha #viajecomsuamãe
  • Né?! 👌🏻