Spekulaas Wafel, o biscoito holandês, e Rubber, o Converse de borracha

Conhecem o ditado “já que Maomé não vai a montanha, a montanha vai a Maomé?”. Pois então: é o que vem acontecendo desde que me enclausurei neste bunker-escritório para escrever meu terceiro livro. Já que não vou a lugar nenhum, várias coisas chegam a mim. Algumas que engordam; outras que protegem da chuva. Eu explico. Dia desses, tocou a campainha e a Rosa atendeu. O que era? Uma caixa, uma linda caixa forrada com um lindo papel e envolta por lindas fitas. Remetente: a senhorita Jamile Hallam. O conteúdo? Pães de mel de todos os sabores e tamanhos + pão de mel no copo + um saco de balas de coco. Já contei a história da Jamile, de como conheci a Jamile e dos deliciosos pães de mel e balas de coco da Maria Pettite, a empresa da Jamile, lembram? Para quem tem memória fraca como eu, indico mais abacate no café da manhã e também a leitura do antigo post O PÃO DE MEL E AS BALAS DE COCO DA MARIA PETTITE.

Olha!

petitOOOOOOOOOHHHHHH!!!!

O que tenho a dizer sobre isso? Já comi a metade da caixa. Sem mais. O que também chegou até mim para contribuir com algumas calorias extras à minha silhueta de escritora de ocasião foi uma novidade da Moinho Wafers, o Spekulaas Wafel. Conheci esta empresa há quatro anos quando jurei que nunca mais na vida encontraria uma tal bolachinha holandesa que havia experimentado de um colega holandês nos meus tempos de estudante em Barcelona. Pois estava eu andando no Zaffari quando topei com a latinha de Stroopwafel e quase caí pra trás. Lembro de, na época, ter feito um estoque, com medo de acordar no outro dia e ter sofrido uma espécie de alucinação. Mas era verdade: existia o waffle holandês em Porto Alegre para todo o sempre.

Olha!

moinho-wafers-stroopwafleNHAM NHAM!!
Sirva-se de uma taça de chá ou café e coloque ele tampando um pouco a boca da taça. Logo o calorzinho da bebida vai esquentar um pouquinho o waffle. Então, você dará uma mordidinha e terá a sensação de chegar ao paraíso!

O tempo passou, meu organismo acostumou-se com a presença do Stroopwafel por perto e, quando não esperávamos nenhuma outra companhia da mesma família holandesa, eis que mais um Maomé vem a montanha: o Spekulaas Wafel foi lançado e veio somar quilos ao corpinho da Mariana.

Olha!

DSC_0943OOOOOOOHHHHHHHH!!!!

woman-yelling-istock-de20MAS SÃO IGUAIS, MARIANA?

Estava demorando para alguma demente invasora de blog vir me importunar. Eu andava estranhando mesmo o sumiço delas, afinal, estou virada num prato cheio, trancada aqui nesse escritório, para toda sorte de louquinhas falando no meu ouvido. O xerife? Onde está o xerife que não sentado na porta do blog com a chave de cadeia na mão? O xerife está aqui, ao alcance dos meus olhos, na posição “dos ladeados”. Fez acupuntura hoje cedo e está relaxando perto de um aquecedor a gás que reivindicou como seu.

Resmunga alguma coisa, Bento!

6bento-exaustoA ACUPUNTURA ESTÁ MEXENDO COM MEUS INSTINTOS

586crazy-woman-calls-her-ex-boyfriend-65000-times-1050998-flash-1050998-flash4SÓ SE FOR COM OS INSTINTOS DE VAGABUNDAGEM

Voltando ao Spekulaas: não sua demente invasora de blog. Stroopwafel e Spekulaas Wafel não são a mesma coisa, ou não teriam o mesmo nome. O Stroopwafel é a guloseima mais tradicional da Holanda e é recheado com um caramelo ou melado todo especial. Já o Spekulaas Wafel é o segundo biscoito mais consumido da Holanda – por lá, é mais característico no Natal. A diferença é que não possui recheio, portanto é mais croc croc croc, e o sabor é muuuito mais forte e marcante, já que conta com sete especiarias na receita: gengibre, canela, coentro, noz-moscada, erva-doce, cravo e cardamomo.

Olha!

DSC_0952CROC, CROC, CROC
Eu gostei muito! Mas aviso: tem um sabor bem marcante. E é menos doce do que o Stroopwafel, que é beeeem doce!

Trocando agora de biscoito para borracha e ainda na mesma série “já que Maomé não vai a montanha, a montanha vai a Maomé”. Estava eu aqui, trancada nesse bunker-escritório quando toca o interfone. Era uma querida amiga que tinha deixado um livro para eu dar uma olhada e queria ele de volta. Desci para entregar e o que vejo quando olho para os pés dela num dia de chuva?

Ele, o Converse Rubber!
Olha!

G12229-CT002U-14F04EXATAMENTE IGUAL A ESTE!

Ela estava com o pé molhado e nem aí de estar com o pé molhado porque, óbvio, o tênis é feito de borracha.
– Olha meu tênis novo! – mostrou, exibida.
– Eu quero! – quase tive um ataque.
– Comprei ontem – ela gabou-se.
– Onde, por favor? – eu quis saber.
– Na loja da tua irmã, sua desinformada.
– Na loja da minha irmã?

mulher-desconfiada1MAS QUE ESPÉCIE DE IRMÃ DESNATURADA É ESSA?

Sem poder sair do bunker-escritório por motivos óbvios, entrei no site da Convexo. Lá estava ele. Chama-se Rubber e foi criado em várias diferentes cores: vermelho, amarelo, azul, preto, branco, roxo e marrom. Nas imagens que pesquisei, encontrei mil e uma utilidades para ele, não só na chuva. Entendi que é uma alternativa bacana para quem não quer usar galochas, sabe assim? E também para quem não se importa em usar sapato de borracha.

Olha!

converse-rubber-all-star-collectionRUBBER PRETO NA POÇA DE ÁGUA DA CHUVA

converse-chuck-taylor-Rubber-02RUBBER AMARELO NA GRAMA COM TERRA ENCHARCADA DA CHUVA

i0eo3ej0fugsaroyghjnAMIGOS RUBBER REUNIDOS EM UM DIA SEM CHUVA

Então, eu arranjei um destino para o dia em que sair do bunker: dar uma grana para minha adorada irmã. Só ainda não decidi a cor. Gosto de todas. Mas terei tempo para pensar, já que, além de estar presa nessas quatro paredes, meu fiel companheiro é um só. Ele, o mais horripilante de todos os horripilantes sapatos de borracha. Aquele que eu acho lindo e o resto do mundo acha um horror (e se usa não admite). Estou falando do meu amado Crocs pantufinha, revestido de pelinhos.

Olha!

pantufasandaliachinelo-crocs-mammoth-evo-clog-original-221001-MLB20250622724_022015-ONÃO É MARAVILHOSO?

olivia10COITADO DO CHICO

6bento-exaustoOLHA PRA ISSO TODOS OS DIAS

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.