Mentes Consumistas: um livro para esclarecer que valores não são compráveis

Gosto muito de uma autora chamada Ana Beatriz Barbosa Silva. Além de escritora, Ana Beatriz é médica psiquiatra e seu livro Mentes Perigosas – O Psicopata Mora ao Lado muito me serviu para enfrentar alguns leões que a vida profissional trata de nos arrumar ao longo do caminho. Na obra, Ana explica e ensina (como bem diz a capa do livro) “como reconhecer e se proteger de pessoas frias e perversas, sem sentimento de culpa, que estão perto de nós”.

Mentes_PerigosasOBRIGADO, QUERIDO LIVRO!

Mentes Perigosas passou um bom tempo na lista de mais vendidos do país. Foram mais de 1 milhão de livros vendidos. Ana Beatriz concedeu dezenas de entrevistas, participou dos programas de televisão mais cults e populares (de Roda Viva a Ana Maria Braga) e escreveu outra obra que li logo após terminar de me inteirar a respeito da carnificina que o goleiro Bruno e sua turma fizeram com a modelo Eliza Samudio.

livro_mtklygINDEFENSÁVEL
Escrito por três jornalistas e para quem gosta de jornalismo policial e investigativo

Se eu não tinha nada mais leve para ler que não o corpo de Eliza Samudio cortado em pedacinhos? Não me pressionem. Já bastou as noites em que o Chico me espiava de canto de olho, temendo a psicopata que poderia existir em mim tão logo ele fechasse os olhos, enquanto eu virava páginas e páginas de pura sordidez. Mas voltando à minha leitura recente de Ana Beatriz: chama-se Mentes Consumistas.

mentes-consumistas-capaCAPA DO LIVRO

Atenta à esta nova forma de adoecer – e à tendência de que se alastre em uma sociedade cada vez mais consumista -, Ana Beatriz lançou Mentes Consumistas. O livro trata da perigosa tendência atual da busca da felicidade pelo consumo. O consumismo retratado pela autora é doença – e uma doença que vem se espalhando mais e mais por uma sociedade que compensa qualquer estresse, decepção, frustração, ansiedade, angústia e sentimentos nocivos em geral com o simples ato do consumo.

shop

Ao longo dos últimos 15 anos, no dia a dia do seu consultório, a médica psiquiatra assistiu ao significativo aumento do número de jovens adultos em busca de ajuda contra angústia, ansiedade e depressão. Boa parte desses casos tem uma origem comum, nem sempre identificada num primeiro momento: a compulsão por compras e suas consequências para a vida financeira e social das pessoas.

Para grande surpresa da escritora, a grande fonte de prazer dos compulsivos se encerra no ato da compra, e não necessariamente na posse ou no usufruto dos bens adquiridos. A doença, que a ciência chama de “oniomania” desencadeia quadros bastante semelhantes aos da dependência química e tem características comuns com outras enfermidades “modernas”, como a bulimia, anorexia, TOC e o TDAH.

Embora comprar não seja um ato ilegal, muitos oniomaníacos se sentem culpados e chegam a esconder seus hábitos até mesmo das pessoas mais próximas. Ana Beatriz destaca uma singularidade dos compulsivos por compras.

Diferentemente de quem padece de outros transtornos de comportamento, o compulsivo descontrolado sofre porque embaralha sua identidade com as marcas dos objetos que compra. Em outras palavras, confunde o “ser” com o “ter”.

Ele também julga que sua felicidade depende da quantidade de coisas que pode comprar para si e para os outros. Isso o conduz para uma escalada de consumo sem fim, na busca constante pelos efêmeros momentos de prazer proporcionados a cada nova aquisição.

No vídeo abaixo, Ana Beatriz explica em um minutinho a própria obra.
Dá o Play!

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

2 Comentários

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Penteados e escovados para a primeira de muitas noites de autógrafos de Vida Peregrina, que me levaria à lista dos livros mais vendidos do país e confirmaria Bentolino como um dos personagens mais importantes da minha existência como escritora. Seis anos hoje. Saudade, Xerife. ❤️🐶📘 #tbt #2013 #vidaperegrina #livromarikalil
  • Éramos uma família de bageenses morando no Rio e nossa família multiplicava-se com mais bageenses que chegavam no Carnaval. Tudo começava ao cair do sol com um primeiro chope para brindar a união e terminava com corpos ao mar pra curar o ressacão. Lembrança do nosso primeiro bailinho em que eu me retorci para entrar em uma fantasia de odalisca tamanho 14 comprada em uma loja infantil de Ipanema. É que ainda estava borracha da noite anterior. Borrachos entendem. 🍺
Casa da @renatabrasilvidal e do @marcelogoskes; Rio de Janeiro, Carnaval 2006. #tbt
  • Ter o privilégio de passar horas e horas conhecendo muitas das minhas perseguidoras faz a gente mais feliz. Ser recebida com carinho pelo @centrocarinaborges, que abriu suas portas para este momento tão especial de beleza e amizade faz a gente mais feliz. Poder oferecer a excelência dos produtos da @farmathuia para as amigas da Mari faz a gente mais feliz. Servir os melhores quitutes fit da @feeljoy.com.br e a delícia do capuccino proteico do @mundoverdeiguatemipoa faz a gente mais feliz. Rodopiar com um vestido de seda floral da @boutiquemariahelena capaz de traduzir com maestria meu estado de espírito faz a gente mais feliz. Felicidade é encontrar alegria na alegria dos outros; felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente. Obrigada a todas que hoje fizeram meu dia muito, muito mais feliz! ✨🙏🏻❤️
  • Quem nunca aplicou uma dessas?! 👆🏻
  • Me diga se pode existir desgraceira maior do que chegar ao vestiário de natação molhada em cima de um par de chinelos molhados, com o cabelo todo desgrenhado, com o rosto todo marcado dos óculos e ainda ter que pegar a sacola, botar a sacola em cima de um banco, abrir a sacola, retirar os saquinhos plásticos para guardar o maiô encharcado junto com a touca e o óculos, pegar a nécessaire, sair equilibrando toalha, xampu, sabonete e condicionador até o box, sempre pisando naquele chinelo nojento molhado, tomar banho na companhia de fios de cabelos de terceiros, recolher sabonete, condicionador e xampu, secar um por um com a toalha, se enrolar na tolha, voltar pingando até o armário em cima daquele chinelo nojento molhado, abrir o armário, abrir a sacola, guardar o xampu, o condicionador e o sabonete dentro da nécessaire, retirar o pente, desembaraçar o cabelo cuidando para não deixar fios caírem no chão, passar hidratante na volta dos olhos, sérum facial, creme com proteção solar, hidratante corporal, vestir a roupa toda amassada dentro da sacola, sentar no banco com o pé ainda molhado em cima daquele chinelo nojento com fio de cabelo de terceiros grudados na sola, secar dedinho por dedinho, colocar o sapato, secar o chinelo, ensacar o chinelo e terminar a maratona botando os bofes para fora do calorão que sai daquela quantidade de chuveiros quentes e secadores ligados. 
Me diga: pode existir desgraceira maior?!
  • Tenha coragem para as grandes adversidades da vida e paciência para as pequenas, e quando tiver cumprido laboriosamente sua tarefa diária vá dormir em paz. Deus está acordado. (Victor Hugo).