Viajar e comprar, comprar, comprar: esta combinação é realmente boa?

Estou de volta com assuntos sobre consumo. Desde que me comprometi a ficar seis meses sem comprar (estou falando de compras por falta do que fazer, aquelas muito desnecessárias de roupas que já tenho, de cosméticos que coleciono e afins. Comida e itens de higiene não estão nessa, ok?), me sinto bem livre e satisfeita. Acho que comprar era, para mim, como comer um docinho, sabe? Você faz por uma certa carência e nem se dá conta. Depois, reclama que a dieta não funciona. Bem assim!

Pois eu sentia culpa disso. Assim como o docinho boicotava minha forma física, o consumo por impulso boicotava minha saúde financeira. E sei que não estou sozinha nessa… Prova disso são as centenas de mulheres e homens desesperados que eu vi na minha última viagem. Vou explicar. Aproveitei as férias do final do ano para fazer um cruzeiro, que eu nunca tinha feito.

Então, gastamos – eu e meu marido – nossos pontos de milhagem e barganhamos uma viagem incrível que passou por Montevidéu, Buenos Aires e Punta del Este. Amei, mas….. voltando ao consumo, o navio tinha free shops e vi as pessoas se amontoarem para comprar, praticamente um ringue. Perfumes, shampoos, joias, relógios, roupas e similares foram disputados quase a tapas.

liquiSANGRIA DESATADA

Gente, fala sério, né? E na hora de passear nas cidades, vocês pensam que a galera queria passeio mesmo para conhecer os pontos principais? Acho que algumas pessoas sim, mas lá estavam os consumidores vorazes querendo ir direto a shoppings (eu me pergunto o que as pessoas compram em Buenos Aires além de vinho. Isso porque a economia lá anda mal como aqui e as coisas estão caríssimas. Fora isso, o governo protegia o mercado interno… Ou seja, nada de importadinhos a baixo custo).

Está lançado o desafio de sobreviver seis meses sem consumir

A pergunta que não quer calar é: por que comprar coisas é mais legal ou importante do que conhecer um pouco os lugares? Pensa bem. Você tem dois dias para ir a restaurantes e provar a comida local, andar nas ruas e entender a dinâmica da cidade, falar com desconhecidos em outro idioma e abrir a mente para realidades diferentes, mas escolhe investir o seu tempo em comprar coisas que são iguais em qualquer lugar e que ainda podem ser adquiridos via internet.

O site que ajuda na limpeza pesada e o aspirador robô de todas as horas

Eu não quero ser moralista e nem julgar ninguém, mas eu juro que viajar e conhecer coisas é uma experiência maravilhosa que alegra a alma. Nem o consumo da joia mais cara, do carro mais potente conseguem superar essa felicidade – ainda que estejam com desconto em outlets. Portanto, viagem!

Compartilhar
Camila Tavares

Camila Tavares

Camila Tavares é esposa e ma(boa)drasta. Mora no Rio de Janeiro. Formada em jornalismo e direito, pegou gosto pelos negócios digitais e hoje preenche seu coração com conteúdo e estratégia.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.