A moda é ser “normcore”

Não vou falar sobre comida nesta manhã de quinta-feira. Apenas dizer que ontem acabei não jantando minhas sardinhas, como havia previsto em Sonhando com meus tomates. Não foi por falta de desejo, pelo contrário. Vim dirigindo para casa e salivando pela latinha. Foi por respeito ao meu marido que não suporta atum nem sardinha em lata e sugeriu que usássemos a mistura dos tomates para despejar em cima de um prato de penne, o que eu acatei sem resistência.

amo almondegasCOM VINHO DE COMBATE, CLARO

vinho-fam-gasconESTE, MAIS PRECISAMENTE

Nesta manhã de quinta-feira, conheci um novo termo de moda. Sim, tenho que começar a me preparar física e psicologicamente para as semanas de moda que logo logo começarão. Então, já iniciei meu processo de interação com o universo fashionista (não, eu não interajo com ele durante o ano inteiro, Deus me livre). Descobri que o termo do momento é “Normcore”.

Repitam comigo!

glee-jane-lynch-loser1NORMCORE

Trata-se da tendência mais moderna entre os modernos. Segundo a New York Magazine, a onda agora é parecer Jerry Seinfeld ou Steve Jobs. Ou seja: completamente anódino.

SteveSEM SAL E AUSÊNCIA TOTAL DE CHARME AO SE VESTIR

SeinfeldSABE, ASSIM?

É o chamado “anti-look”, que significa, sobretudo, se esquivar das tendências para não parecer mais uma ovelha seguindo o rebanho – entendendo como “rebanho” essa elite fashion uniformizada e seus seguidores. A filosofia que rege o normcore é a seguinte: se todo mundo era especial por vestir tênis de Isabel Marant, usar bolsa Chanel ou isso ou aquilo, agora ninguém mais é.

SacouESTÃO CAPTANDO?

Segundo a colunista Fiona Duncan, autora da reportagem da NYM, o normcore é, de fato, uma reação “contra a necessidade de se vestir de uma forma única e diferente”. Alguns acreditam que possa ser considerado como um instrumento da indústria para revitalizar os produtos básicos. Outros duvidam que a tal moda pegue em uma sociedade que vive em torno de expor a imagem (a melhor imagem possível) em redes sociais. Para o especialista Jeremy Lewis, o normcore, assim como o hipster, é um indivíduo que conhece em profundidade a moda e simula ter feito uma eleição básica em matéria de estilo. Algo como dizer: “Sou tão cool que posso usar essa camiseta branca sem nada e continuar sendo cool”.

SacouESTÃO CAPTANDO?

Inclusive as marcas de luxo estão começando a jogar com esta estética. Prova disso são as capas de chuva e casacos impermeáveis modelo esquiador lançados por Miuccia Prada, a senhora-criadora-de-tendências, na última coleção da Miu Miu.

Olha!

FASHION-FRANCE-MIU MIUVai dizer que não lembra aquelas capas de chuva descartáveis vendidas em camelôs para a gente não se molhar nos parques de diversões?

Agora me digam se eu não sou uma pessoa visionária? Reparem, por favor, no meu traje há exatamente oito anos na cobertura do Fashion Rio.

Olha!

b_4_2OLHA A CARA DE DESDÉM PARA A MODA!
OLHA A CAPA DE CHUVA!
OLHA O CASAQUINHO SEM SAL!
OLHA O JEANS SEM PERSONALIDADE!

young-business-woman-celebrating-success-21097470AEEEEE!!!!

palmas-1CLAP, CLAP, CLAP, CLAP!!
MARIANA, MARIANA!!

Obrigada, obrigada.
Com isso, quero dizer que as semanas de moda começam na próxima segunda-feira 31 de março em São Paulo – e que lá estarei. E que se vocês quiserem a visão de uma pessoa à frente do seu tempo, aqui devem estar. Porque a cobertura da SPFW vai ser do meu jeito.

18 por ai mulher apontandoGOSTEM OS FASHIONISTAS OU NÃO

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Mariiiii!! somos tipo vinho, melhoramos com o tempo…… quem diria que hj tu já estaria até tirando fotinhos fashion com os pezinhos pra dentro!!!!!!!! :) Sucessoooooo total!!!!!!!

  2. Isso era meio que esperado… Quase todos (basta ter dinheiro) têm acesso a tudo hoje em dia (vd. nova classe média, nova classe C, a turma do funk ostentação, etc. etc.). Então, os VIPS estão querendo des-parecer VIPS… Aqui no Rio se você andar pelo Leblon sabe quem é local pelo dresscode: aquele que parecer mais pobrinho, tipo assim casual pensado, é local… rsrsrs…

  3. Conheço gente que se veste como aqueles dois…rsrsrrs. Pior é pensar que vou encontar mais pessoas se vestindo assim, e pior pagando caro…buááá.

  4. hahaha Mari, SEMPRE leio teu blog e já arregimentei várias seguidoras. Me identifiquei mais do que nunca agora: tb sou normcore. Amo jeans, tênis e camiseta, mesmo já tendo passado dos 30. Beijão!!! Pra ti e pro Bento, com cujo nome homenageei o cusquinho de rua que adotei. ;)

  5. Só que na foto, Seinfeld está super na moda. Em meados dos anos 90 o estilo era usar calça Jens com tênis e paletó. Pode pegar fotos de casamentos e debutantes dos anos 90 e vai ver os jovens moderninhos abafando com o estilo aí da foto.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.