A orelha de Felipe

Tenho um amigo que deveria ser escritor. Não sabia, no entanto, até hoje, que ele dava para comédia. Quando a gente pensa que roubadas só acontecem com a gente, eis que surge Felipe Pacheco com seu depoimento. Pois faço questão de compartilhar.

JURA QUE TUDO É VERDADE, MARIANA?

Juro, Adauto, juro.

JURA!?

JURO!
FELIPE É MEU AMIGO DE INFÂNCIA
PODEM ACREDITAR NO QUE ELE DIZ

CONTA, FELIPE!

“Para quem pensa que o Facebook é território exclusivo para compartilhar fotos de alegrias fugazes, cachorros sarnentos e poemas falsos da Clarice Lispector, venho quebrar o protocolo: fui cortar o cabelo num lugar bem conhecido de Porto Alegre. Distraída, a cabeleireira extraiu meio centímetro da ponta superior da minha orelha direita”.

HÃ!???
TU FOI CORTAR O CABELO E CORTARAM A TUA ORELHA DIREITA?!

“Senti uma dor lancinante, que percorreu a… estrutura de minha própria existência. Percebi a dimensão do problema quando a profissional largou a maldita tesoura de desfiar e começou a chorar loucamente”.

HÃ!??
A CABELEIREIRA CORTOU A TUA ORELHA E QUEM CHOROU FOI ELA??!

“O que eu fiz? Tentei acalmar ela (juro), perguntando se precisava dar pontos ou sei lá. Ela não sabia, só chorava. Fiquei tentando acalmá-la até que chegou a gerente. Daí me permiti sofrer a dor e me baixou a pressão. Pedi para deitar num sofá, pedi que buscassem água oxigenada e um merthiolate na farmácia ao lado. Buscaram. A pressão voltou ao normal e juntei manualmente o pequeno trecho da orelha, o qual havia ficado preso por algumas células ao resto do meu corpo”.

HÃ!??
ENQUANTO A CABELEIREIRA CHORAVA, TU JUNTAVA A TUA PRÓPRIA ORELHA?

Recompus. Pedi, então, que a cabeleireira cortasse o meu cabelo do outro lado da minha cabeça, já que no esquerdo ela não havia tocado (e o cabelo [africano] estava ridiculamente grande após a viagem para a Nicarágua com a minha adorada Ana Gorini da Veiga). Ainda Nervosa, a cabelereira até que conseguiu concluir o corte”.

HÃ!??
A CABELEIREIRA CORTOU TUA ORELHA E TU AINDA PEDIU QUE ELA CONCLUÍSSE O CORTE DO OUTRO LADO??

“Tentei pagar pelo serviço, mas não me deixaram”.

HÃ?!
TU AINDA QUIS PAGAR POR TEREM CORTADO TUA ORELHA?!

“Achei justo”.

HÃ???!

HÃÃÃ!????

“Peguei o meu carro e fui dirigindo para a emergência do Mãe de Deus. No caminho, me deu um estalo: vou ligar para a minha amiga Dra. Magda Reis, que dirige uma clínica de Medicina Estética (Medicina Desportiva e Geriatria também). Ela me sugeriu que fosse para lá imediatamente e me atendeu em caráter de emergência. Removeu e reinstalou o pedaço da minha orelha com maestria, o qual, ao que tudo indica, vai se reintegrar ao resto do meu corpo. Fui maravilhosamente bem atendido pela Dra. Magda, que fez um procedimento perfeito, além de ter me feito sentir super seguro e bem cuidado. Por certo foi a melhor ideia ter ligado para ela, ao invés de ir para uma emergência qualquer.

PALMAS PARA A DRA. MAGDA!
CLAP, CLAP, CLAP, CLAP, CLAP!

 

“Conclusão da história:
1) Não vou divulgar o nome do salão onde cortei o cabelo, porque shit happens e ademais não sou um cara briguento.
2) Embora no Brasil os profissionais da medicina passem por perrengues terríveis para exercer a profissão, existe gente brilhante como a Dra. Magda Reis, que me encaixou numa agenda cheíssima e fez o trabalho com – repito – maestria. Portanto, agradeço a ela publicamente e recomendo a todos os meus amigos e família que a consultem quando necessário.

EU JURO: EU MORRO E NÃO VEJO TUDO

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Palmas para o Felipe que manteve a calma e não saiu fazendo barraco pelo salão!!!!! Mariana, parabéns pelo blog, virei leitora assídua!!! Agora já disputa minha preferência com o blog da Gabi Chanas hehehe Gosto muito do jeito que as duas escrevem, sem frescuras, bem “gente como a gente”. Bjs

  2. Palmas para o Felipe que manteve a calma e não saiu fazendo barraco pelo salão!!!!! Mariana, parabéns pelo blog, virei leitora assídua!!! Agora já disputa minha preferência com o blog da Gabi Chanas hehehe Gosto muito do jeito que as duas escrevem, sem frescuras, bem “gente como a gente”. Bjs

  3. Felipe virou meu herói, e não foi por não ter feito barraco (ele é um gentleman, certeza absolutíssima), mas por não ter caído duro no momento em que a “profissional” (será???) achou que a orelha dele estava incluída no corte.
    E tu tens razão, a gente morre e não vê de tudo!

  4. Felipe virou meu herói, e não foi por não ter feito barraco (ele é um gentleman, certeza absolutíssima), mas por não ter caído duro no momento em que a “profissional” (será???) achou que a orelha dele estava incluída no corte.
    E tu tens razão, a gente morre e não vê de tudo!

  5. Realmente exemplar a atitude do Felipe. Frente a uma situação trágica e inacreditável, manteve a calma, depois preservou o nome do local onde ocorreu, reconheceu a médica que dele tratou e ainda se comportou bem durante a recuperação da orelha. Parabéns, Felipe! O mundo precisa de mais pessoas como tu.

  6. Realmente exemplar a atitude do Felipe. Frente a uma situação trágica e inacreditável, manteve a calma, depois preservou o nome do local onde ocorreu, reconheceu a médica que dele tratou e ainda se comportou bem durante a recuperação da orelha. Parabéns, Felipe! O mundo precisa de mais pessoas como tu.

  7. Hoje Sexta-Feira Dia 13 de Setembro, fui cortar meu cabelo e aconteceu o mesmo comigo… A cabeleireira distraída cortou uma parte da minha orela por sorte não pegou na cartilagem.

    Moral: NUNCA CONVERSE COM SUA CABELEIREIRA (Principalmente numa sexta-feira 13)

  8. Hoje Sexta-Feira Dia 13 de Setembro, fui cortar meu cabelo e aconteceu o mesmo comigo… A cabeleireira distraída cortou uma parte da minha orela por sorte não pegou na cartilagem.

    Moral: NUNCA CONVERSE COM SUA CABELEIREIRA (Principalmente numa sexta-feira 13)

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.