Barriga vazia em cima dos patins

Carrego um corpo cansado e desidratado nessa manhã de quinta-feira. Vivo um jejum de 24 horas e ainda há algumas outras horinhas pela frente em que nem água posso ingerir por conta de um exame beeeem chato. Mas tudo terá terminado lá pelas 16h. Então, estarei liberada – e a primeira coisa a fazer será beber gut-gut uns cinco copos de água bem gelada.

28AREIA_1ESTOU MORRENDO DE SEDE

bento clássicaESTOU COM PENA DELA

Bento está solidário a mim, e eu vejo pela carinha dele sentado ao meu lado neste momento enquanto devora pedaços de dos sírios (ou estaria a criatura me fazendo companhia justamente por causa de dos sírios?). Perguntem se ele abriu mão do passeio? Perguntem se ele não me perseguiu pelo quarto, pela sala, pela cozinha até parar estaqueado do lado da porta intimando meu pobre corpo cansado e desidratado a subir e descer lombas?

bento clássicaINTIMEI E ELA FOI

Mulher blusa vermelha nao quero verCLARO QUE EU FUI

Mulher com vergonhaRASTEJANDO, MAS FUI

enxaqueca classicaDOU A VIDA PELO MEU CACHORRO

ENXAQUECA 3ELE SABE DISSO

bento clássicaSEI E ABUSO

mulher doidissimaSABE E ABUSA

Essas horas de privação, de nem água poder beber, são também horas de uma reflexão profunda. Porque fico pensando quais são os alimentos que realmente me fazem falta neste mundo. Quais são aqueles que eu escolheria se me dessem a oportunidade de eleger apenas três depois do meu exame?

1) Água é o primeiro deles. Água é alimento para mim. Não vivo sem passar o dia inteiro bebendo água. Sinto que seco por dentro. Então, a garrafa de água seria minha primeira escolha.
2) Suco verde. Sinto cada célula do meu corpo sorrir com a nutrição do suco verde da Saúde lá em Casa que a Mary faz tão carinhosamente. Garrafinha de suco verde da Mary seria minha segunda opção.
3) Arroz, arroz, arroz puro com azeite de oliva. Podem me tirar a massa, podem me tirar a batata, podem até me tirar o pão por alguns dias. Mas pelo amor de Deus: não me tirem o arroz.

amo almondegasEU AMO ARROZ

Arroz pra mim é acompanhamento e prato principal. Acho que herdei o gosto pelo arroz da minha mãezinha. A mãe surta com arroz e surta mais ainda com arroz mal feito. É daquelas cricri com arroz, sabe assim? Eu como qualquer arroz e sou famosa na família pelo meu prato preferido: arroz com galinha.

Arroz-com-GalinhaNESTE MOMENTO, SINTO VONTADE DE CHORAR DE SAUDADE

Se eu me deixasse, comeria paneladas de arroz com galinha, algo que, como eu ia dizendo, ninguém da minha família nunca entendeu muito bem. Com tanta coisa para preferir, como a Mariana pode achar que arroz com galinha é o melhor prato do universo? Pois eu acho. Minha mãe costuma dizer que, quando ela quer que eu vá almoçar, faz arroz com galinha. Tem certeza que eu vou dar um jeito de aparecer, nem que seja para sentar 5 minutos à mesa. E ela tem razão. Lembram da minha pedida de despedida do verão passado no restaurante Mariskonea, em Punta?

Frango a Valenciana!!

apontando_para_baixo_01CONTEI AQUI

Oura lembrança de arroz que me faz lacrimejar é a do Ritz em São Paulo. Mais precisamente a receita dos bolinhos de arroz.
Olha!!

bolinhoOOOOHHHHHH!!!!

Adorava ir ao Ritz quando morava em São Paulo. Sábado sim, outro também aparecia por lá e pedia de entrada uma porção dos bolinhos croc croc croc de arroz e uma caipirinha. Os bolinhos de arroz do Ritz são tão famosos que vários portais da internet já publicaram sua receita.

Apontando pra baixoESTA AQUI É BEM DIDÁTICA

Peço licença agora para trocar de assunto. Ficar falando de prato principal neste momento crítico de jejum está acabando com o restante das minhas forças. Venho por meio desta lamentar a queda da minha querida Julia Lipnitskaya. Pois Julia cometeu um erro em um salto e caiu de joelhos no gelo, falha grave para os jurados da patinação em Sochi. Saiu desolada, tinha ensaiado a sequência de passos e os saltos em Moscou durante uma semana sem parar. Mas sentiu que as pernas não aguentaram. Disse Julia do alto de seus 15 anos:
– Acabei me cansando, não senti minhas pernas e por isso cometi esse erro.

esporte-patinacao-sochi-yulia-julia-Lipnitskaya-20140219-01-size-598ESTOU CONTIGO ATÉ DE JOELHOS, JULIA

Ao que parece, a técnica de Julia também. Eteri Tutberidze tratou de consolar sua pequena notável e defendê-la das perguntas após a falha na apresentação de ontem.
– Ela simplesmente cometeu um erro. Acontece. Honestamente, eu não sinto que preciso explicar para vocês qual foi o erro ou por que ele aconteceu. Todos viram com os próprios olhos. Um salto em falso não define sua carreira. Ela é uma atleta, não uma criança.
– Eu ainda vou lutar por uma medalha – garantiu Julia.

Mulher gritando opcao novaEU TAMBÉM, JULIA

mulher hãHÃ?

Disappointed businesswoman isolated on whiteCOMO ASSIM, MARIANA?

Não contei? Vou voltar a fazer patinação. Não no gelo, até porque não vivo em Moscou. Mas em pista. Nunca contei que patinei durante muitos anos e que a idade adulta acabou me afastando deste hobby? Pois assistir a linda Julia me fez relembrar como era feliz em cima de um par de patins. Passeando com o Bento, dia desses, vi que há patinação aqui perto de casa, no Clube Caixeiros Viajantes. Vou lá me informar.

A-Felicidade-nas-Coisas-Simples-da-Vida-por-Fabricia-RibeiroPORQUE RECORDAR É VIVER

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

19 Comentários
  1. Olá Mariana!
    Sempre leio o seu blog, mas sempre me abstive de comentar!
    Hoje não posso!
    Encontrei alguém, na face da Terra, que ama arroz tanto quanto eu! =O
    Eu amo arroz! Como arroz com tudo, tudo, tudo!!! Nham, nham! rsrs
    Arroz de forno, bolinho de arroz, arroz de acompanhamento, galinhada, carreteiro e por aí vai! hehehe
    Beijinhos para vc e para o Bento lindo!!!

  2. Também sou louca por arroz!!! Se for bem temperadinho, posso comer só isso.
    E, assistindo às olimpíadas, também fiquei com uma vontade louca de voltar a patinar! Hehehe ~momento nostalgia~

  3. Mari – te desejo força até o final desta privação! Só de pensar em jejum já sinto fome, sede e vontade de comer muito! É realmente um sacrifício, ainda mais sendo por um período tão longo. Aliás, que exame é esse que precisa de tamanho preparo? Beijos!

  4. Mariana!
    Duas coisas:
    1ª: uma vez por semana fazemos um almoço aqui no trabalho (equipe se reúne pra cozinhar junto, uma delícia) e adivinha qual é o prato preferido? Sim, o meu, o teu, o nosso: arroz com galinha! Prometo te mandar uma foto do próximo que fizermos. E se tu vier a Santa Maria de novo, já está convidada.
    2ª: ainda tenho os patins de ferro q usava na infância/adolescência guardados e meu filho já se encantou por eles. Logo vai subir nas rodinhas tb. Acho q patins é vida, como diz a Gabi Chanas. Nunca fiz aulas, mas até hj me emociono quando deslizo por aí. Até comprei um de botinhas brancas, mas só andei uma vez e as rodinhas estragaram. Preciso consertá-los já. E tb paro tudo pra assistir as competições de patinação no gelo. São incríveis! Tu viu a italiana Carolina Kostner q patinou com a Ave Maria de Schubert? E a outra russa, de 17 anos, q foi aplaudida de pé patinando Habanera da ópera Carmen? Lindo demais. Vale o Youtube.
    bj e obrigada pela inspiração.
    PS: pede pra tua mãe fazer um arroz com galinha de janta hoje.

  5. Lendo teu post lembrei de uma amiga que sempre que eu ia na casa dela tinha que fazer arroz com galinha, ela dizia que nunca tinha comido outro igual, hahahaha, eu também adoro acho que é por isso que faço e fica gostoso. Beijos pra ti e beijocas pro Bento.

  6. Eu sem arroz não vivo, ainda mais por ser alérgica a proteína do leite, vivo com tudo de arroz: leite de arroz, creme de arroz, bolacha de arroz, pão de arroz, e claro, arroz. E em sua homenagem Mari, vou no Ritz hoje à noite pedir uma porção dos bolinhos :)

  7. Oi Mari, lendo teu post lembrei de uma amiga que sempre que ia na casa dela tinha que fazer arroz com galinha, ela adorava meu arroz, lembrança boa essa agora, teus posts como sempre me causando emoções.Beijos em ti e no Bento.

  8. Mariana;
    Sou de Rio Pardo, sou casada e tenho uma filha de 20 anos, e tenho um filho de quatro patas, que se chama OTTO. Adoro ler tua coluna, é a primeira coisa que fizemos qdo compramos a zero hora (dá até briga)rsrsrsrsr. Parece que tu escreve minha vida com o OTTO, ele é dá mesma raça da tua OLIVIA. Estou procurando uma namorada pra ele, ele é de boa familia, heheheh. Temos fotos dele meu facebook, q foi em anexo no campo “site” . Enfim, aqui em casa somos todos seus fãs! Beijos

  9. Mari, depois divulga pra gente como funciona a patinação la no Caixeiros Viajantes! Morro de vontade de fazer, mas nem sabia que tinha, ainda mais pra adulto…heheh
    E boa sorte no exame hoje… pelo teu relato já sei qual é…hehehe…. a boa nova é que se der tudo ok tu estás liberada pelos próximos 10 anos…

  10. Arroz, arroz, arroz! Na minha encarnação anterior devo ter sido oriental, pois eu sou apaixonada por arroz, até quando está gelado, puro, cozinhando… Tudo que tem arroz eu amo!! Estou adiando uma endoscopia há 3 meses só por causa do maldito jejum, depois de vários exames com jejum, virei “jejumfóbica”!!! Que bom que não sou sozinha na minha paixão por arroz e terror ao jejum…kkkkkkkkkkkkkk

  11. Mari tu não vai acreditar!!! Minha mãe também ama o arroz com galinha que eu faço, o engraçado é que ninguém acredita que vai dar certo, e até hoje sempre fica muito saboroso!!! Bjs e apesar do jejum um lindo dia!

  12. Mari – se tiver aula para adultos me avisa. Estava fazendo na Corpo em Movimento (ótima), mas a turma de adultos não continuou e este ano ficará junto com outra e não fechou o horário. Quero continuar, afinal comecei a me aventura ano passado sobre rodas. Beijos

  13. Bah Mariana, espero que esse sacrifício acabe logo e bem!
    E acompanhado de um maravilhoso prato de arroz e muuuita água.
    Também amo arroz, arroz integral com tudo, e principalmente arroz com galinha.
    Bjs e ótima recuperação.

  14. Oi Mariana!
    Sempre me pergunto, se tivesse que escolher algo que não pudesse faltar na minha vida, em termos de alimento, com certeza seria arroz. Adoro!
    E arroz com galinha é maravilhoso.
    Boa Sorte! bj

  15. Olha e eu que eu amo arroz queimado…isso mesmo queimado..quando era criança distraia a vó só pra ela deixar o arroz queimar e eu poder comer tudo sozinha…heheheheh
    Bjjj

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.