Cores que não te quero

Admiro o trabalho de Samuel Cirnansck. Mas confesso que já gostei beeeeem mais. É inegável o impacto que seus vestidos provocam na passarela. A presença de um vestido espetáculo de Samuel é tão forte que, num primeiro momento, me deixa um pouco baratinada na hora de discernir se gostei ou não gostei. Preciso de um tempo pra refletir.

O QUE VOCÊS ACHAM?
Eu fico meio confusa…

Eu acho meio chato ficar dissertando sobre a inspirações de estilistas para justificar um desfile. Mas neste caso, assim como ontem, no caso de TUFI DUEK e Os Pássaros, de Hitchcock, acho importante. Samuel se inspirou em Nefertiti , nome da rainha-sacerdotiza do Egito antigo que significa “A mais bela chegou”.

MUITO PRAZER, NEFERTITI

O que achei interessante na coleção de Samuel é sua vontade de tornar sua moda mais comercial e também mais reais  aos bolsos das mortais. Este foi um dos motivos que fizeram com que escolhesse o náilon como o principal tecido das peças.

– Trabalho há 10 anos com tecidos mais nobres, mas desta vez eu quis trazer algo mais real para baratear os meus vestidos em 40%. São apenas dois vestidos feitos com seda francesa e renda chantilly, bordados com cristais, que são feitos de poliamida também, ao invés de pedras preciosas – ele explicou.

Achei louvável a ideia de Samuel de que seus vestidos deixem de ser tratados como semi-joias e se tornem mais acessíveis.

Este modelo abriu o desfile.
Uma opção de vestido de festa mais curto com uma leve cauda

A questão maior é que não gostei nada da cartela de cores…

Não usaria nenhuma delas

E quando vieram os pretos, achei over com dourado…

Pois é….
Pensando bem….

Acho que não gostei….


Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Eu adorei os tons de azul. Estes eu usaria mas com algo por baixo que aliviasse o decote. Uma blusinha bem justinha talvez. Decotes assim só no Oscar! hahaha…

  2. Eu adorei os tons de azul. Estes eu usaria mas com algo por baixo que aliviasse o decote. Uma blusinha bem justinha talvez. Decotes assim só no Oscar! hahaha…

  3. Oi Mari!
    Não seja tão cricri…os vestidos do Samuel estão do tipo q deixam a pessoa”bege” XD
    Os dois ultimos azuis e aquele laranja em degradê para o vermelho estão divinos
    e eu acho q a idéia de por o preto com dourado foi extamente para fugir do pretinho básico…minha opnião

    Beijinhus

  4. Oi Mari!
    Não seja tão cricri…os vestidos do Samuel estão do tipo q deixam a pessoa”bege” XD
    Os dois ultimos azuis e aquele laranja em degradê para o vermelho estão divinos
    e eu acho q a idéia de por o preto com dourado foi extamente para fugir do pretinho básico…minha opnião

    Beijinhus

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.