E assim eu me despeço da SPFW

Vou ser prática, objetiva e sincera: minha quarta-feira começou as 6h da manhã escrevendo a matéria de cobertura da SPFW, que sai publicada na revista Donna do próximo domingo, e não vai terminar antes da meia noite. Assim sendo, sem rodeios e sem perder o foco, vou direto ao ponto: ao que mais me chamou atenção nos desfiles de hoje.

GLORIA COELHO

Como havia dito no post GLORIA COELHO NOS CONVIDOU, ela bebeu da rede social mais queridinha do momento (e a que eu mais amo de paixão) para criar parte da coleção. Estamos falando do Instagram. E o resultado do tema Partícula de Deus + Instagram + referência à artista francesa Sonia Delaunay deu no que deu: numa bela coleção com o DNA de Gloria.

Pausa para um comentário: sim, Gloria mantém o look andrógino de sempre, mas este look está mais e mais feminino, com tecidos mais leves e cintura mais marcada. As calças são bem justas com uma leve abertura em sino na barra

Manteve as meias com listras verticais da temporada passada e apresentou lindíssimos casacos-paletós com mangas arredondadas

Belíssimo casaco

Outro lindo casaco sobreposto à estampa Cidade, que teve inspiração em fotos do Instagram

Gloria reparou, junto com a equipe, que os temas Floresta e Cidades eram o que mais recebiam curtições no Instagram. Neste look, a estampa é dedicada às florestas

Formas geométricas traduzidas em quadrados de vários tamanhos desenharam vestidos bem levinhos, mas que passaram longe, beeeem longe do vulgar, ouviu NANDA COSTA?


ALEXANDRE HERCHCOVITCH

Eu movo montanhas, mas não perco os desfiles de Alexandre Herchcovitch. Porque em Alexandre está traduzida a palavra criador em sua forma e essência mais puras. AH mostrou um exercício de modelagem incrível, criando volumes e assimetrias, e um trabalho com tecidos nobres, como lã, seda e cetim.

O vestido sem mangas off-white em lã abriu o desfile

O vermelho cereja está na cartela de cores de AH

E então começam mais e mais os exercícios incríveis de modelagem do estilista, com peças que criam volumes, como uma peça de roupa caindo para criar uma sobressaia. Esta lembra os surfistas tirando a roupa de borracha, vai dizer?

Outra peça que cai, agora por trás. Elas pareciam um “desvestir de alta-costura”, como bem definiu Gloria Kalil no final do desfile

Um inverno com perfume de primavera, cheio de florais de tapeçaria

Modelagem ajustada e cinturinha bem marcada

Spencer e saia em lã e top em lã fria e musseline de seda estampada, os tais florais de tapeçaria tão lúdicos e femininos

Aqui, uma das criações que achei mais geniais: o que parece uma camisa amarrada na cintura é, na verdade, um cinto-camisa em musseline de seda estampada

E outro cinto camisa que eu amei de coração.
Nos pés, scarpins, scarpins, scarpins

De novo, o exercício das peças que caem umas sobre as outras, revelando e escondendo o corpo

MARIA GARCIA

O que mais gostei neste desfile foi a relevância de uma de minhas cores favoritas: o vermelho. Sim, vermelho está presente em quase todas as coleções do próximo inverno. Anote: além de vermelho, cinza, azul, muito preto e branco, verde e tons de marrom. Mas aqui vamos aos vermelhos.

Vermelho monocromático

Vermelho com pernas de fora

Vermelho em estampas e mais perfume primaveril

Vermelho estilo ladylike

Vermelho com blusa de seda e calça sequinha.
Vermelho até na botinha estilo ankle boot (a ankle boot com salto alto será a botinha da estação)

Vermelho em estampa romântica e muito feminina

E um vermelho correndo para o ferrugem no terninho

VITORINO CAMPOS

Trata-se de um estilista muito jovem, tem 24 anos, e perfeccionista em seu minimalismo. E falou em minimalismo falou a minha língua. Trouxe mangas infladas e saias curtas. Um visual chique e contemporâneo que eu gosto, mas que confesso: deixou a desejar. O que quero dizer com isso é que acredito que Vitorino Campos pode mais, bem mais. Apresentou uma seleta cartela de cores que ficou entre o bege e o areia e também os listrados em tons mais quentes.

Mangas infladas; saias curtas

Cintura alta, top e uma cor que cruza todas as estações sem perder a pose

Entre as entradas das modelos com looks listrados, uma e outra aparecia com tons prateados

Listras horizontais e mangas bufantes pra quem pode!

R.ROSNER

Como vocês se chamariam se tivessem nascido homem? A minha mãe disse que eu seria Rafael. Mas nasci mulher – e me chamo Mariana. O ponto de partida da coleção do estilista Rodrigo Rosner teve exatamente a temática de como ele se chamaria se fosse mulher. Sabe como? Maria Carolina. E como ele se vestiria? Vejamos! (Detalhe: R.Rosner é especialista em moda festa).

Sou fã de calça para noite de festa; e a calça para noite de festa de R.Roner (ou Maria Carolina?) é no estilo tudo ao mesmo tempo agora

Também adoro manga comprida e saia curtinha; e ele prefere unir pele fake, lãs e bordados

Tomara que caia com um leve peplum que cai sobre a saia longa

Tomara que caia bordado com peplum de tule (tomara que caia é outra tendência forte)

A calça que eu colocaria com uma regatinha básica e a camisa que amaria usar com calça de alfaiataria branca

De novo o peplum…

… e outro estilo de peplum.
Alguma dúvida de que, se Rodrigo Rosner fosse Maria Carolina, ele teria o guarda-roupa tomado de pepluns e rococós?

ENFIM, FORUM

Oi? Forum?
Cadê você, Forum?
A Forum foi a última grife a desfilar nesta quarta-feira. Encerrou a última noite de desfiles. O problema é que já são quase meia noite e meia e a agência de fotos do evento não disponibilizou ainda as imagens do desfile da Forum. Eu já andei em círculos pelo quarto, já fui e já voltei e nada.

E POSSO FALAR?
ESTOU UM POUCO CANSADA DE ESPERAR….

Vocês me liberam?
Oh, sim?!
Obrigada!

Tenho certeza que a Gabi Chanas, minha querida subeditora da revista Donna, minha querida colega, meu braço esquerdo, meu braço direito, minha perna esquerda e minha perna direita vai postar nesta quinta-feira, no site de DONNA, algumas imagens da Forum, né Gabizita?

VOU, SIM, MARI!
PODE DEIXAR!

Ó! Ela já mandou imagens!


Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Mari, fui hoje na feira do livro, perguntei em todas as banquinhas e nada da peregrina *O* Magoei :(
    Mas fui na saraiva e tinha o/ vou começar a ler.
    Beijos

  2. Mari, fui hoje na feira do livro, perguntei em todas as banquinhas e nada da peregrina *O* Magoei :(
    Mas fui na saraiva e tinha o/ vou começar a ler.
    Beijos

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.