E por falar em omelete…

Eu acredito que pensamentos chamam coisas boas e ruins. Por exemplo: esta semana, fui apresentada aos Tupperware Instant Gourmet. Já tinham ouvido falar? Eu nunca. Eis a engenhoca:

Muito prazer, sou o Tupperware Instant Gourmet ao seus dispor!

Muito bem, pois o Tupperware Instant Gourmet é uma nova invenção da… Tupperware (ah!!) para ser levado ao micro-ondas. Ele prepara pratos, sobretudo omeletes simples e elaborados, em instantes no micro. Junto, vem um livrinho de receitas com imagens ilustrativas incríveis. Tipo esta:

Parece propaganda de margarina, vai dizer?

Se eu tivesse com o livrinho de receitas aqui do meu lado, que vem junto com o Tupperware, saberia explicar mais detalhadamente tudo o que dá para fazer com ele, mas acontece que dei meu Tupperware Instant pra minha mãe, uma fanática por ovos e uma fanática pela praticidade do micro-ondas.

– Mãe, tu não vai acreditar – disse pra ela – Por exemplo: tu pega três ovos, bate bem, derrama no Tupperware, se quiser coloca um tomatinho, um espinafre, um presunto, sei lá, o que tu quiser, e leva ao micro-ondas. Pronto. Ele transforma a aparente gororoba nisso aqui ó:

OOOOOHHHHHH!!!

Minha mãe ainda não experimentou, porque meu presente foi dado na segunda-feira – e eu tenho certeza que ela só vai provar no fim de semana quando se pegar sozinha para fazer o jantar. O que acontece é que fiquei com a história na cabeça.

– Preciso comprar outro Tupperware Instant Gourmet pra mim, preciso comprar outro pra mim, preciso comprar ovos, preciso comprar ovos, preciso comprar ovos.

Ovos, ovos, ovos, muitos ovos!

E pensando em comprar ovos, eu desci ali no Grêmio Náutico União para encontrar algumas amigas. Dei risada, coloquei a conversa em dia, me diverti a valer. Saí de lá com o espírito renovado, caminhando em direção ao carro e pensando:

– Preciso comprar ovos, preciso comprar ovos, preciso comprar ovos para o meu novo Tupperware Instant Gourmet.

Foi quando de repente, não mais que de repente….

Senti uma espécie de tiro de fuzil na testa. SPLOFT!!

Achei que tinha morrido sem saber exatamente de onde tinha vindo o rojão. Parei estaqueada no meio da rua. Uma gororoba branca e amarela começou a escorrer pelo meu nariz, descer pelo meu queixo, entrar dentro da minha blusa e sujar o meu cabelo.

EU TINHA LEVADO UM OVO NA CARA!

Uma coisa meio José Serra, lembram?
A sorte dele é que não tem tanto cabelo como eu…

Era um pássaro com dor de barriga? O Super-Homem de sacanagem comingo? Não! Era uns malditos pirralhos desgraçados que tinham passado de carro a mil, aberto o vidro de trás e acertado  um ovo bem no meio da minha cara. Num primeiro momento, fiquei arrasada. Se ao menos tivesse aproveitado aquele ovo no meu Tupperware Instant Gourmet, estaria comendo um omelete. Mas não, eu estava ensopada de clara e gema.

Mais ou menos assim

Tentei limpar um pouco meu rosto, vi que um pedacinho de casca tinha cortado minha testa, entrei no carro sem saber se ria ou chorava, lambuzei toda a direção de ovo e fui até a casa da mãe pegar o Bento.

– O que foi isso, Mariana?  Olha, a mãe não quer se meter na tua vida, minha filha, mas a mãe acha que tu está levando essa história de omelete no micro-ondas a sério demais…

Agora me diz:

EU MEREÇO?

 

 

 

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

17 Comentários
  1. Mariana,

    Não sei se tu és superticiosa, mas tenta levar para o lado bom da situação, pensa que isto te trará coisa boas, é amarelo lembra ouro, lembra o Peregrina de Araque…
    Bjs

  2. Mariana,

    Não sei se tu és superticiosa, mas tenta levar para o lado bom da situação, pensa que isto te trará coisa boas, é amarelo lembra ouro, lembra o Peregrina de Araque…
    Bjs

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.