Executiva moderna: a importância da imagem e as alternativas ao terninho

Nos últimos tempos, o dress code das empresas e seus rígidos códigos de vestimenta voltaram a ser discutidos. Por que esse tema continua na ordem do dia? Simples: o mundo mudou e com ele muitos conceitos. O que antes era entendido como vestir-se de uma forma adequada e compatível com sua empresa, de maneira a corresponder às expectativas daqueles com quem você trabalha, talvez esteja caindo em desuso. Mas será que isso faz sentido? Afinal, no mundo dos negócios sua roupa é uma mensagem imediata aos outros a respeito do seu profissionalismo, autoimagem, autoconfiança e até mesmo sobre seus hábitos e local de trabalho.

A principal razão pela qual se vestir adequadamente no ambiente de trabalho é importante, para todos os profissionais, é porque nossa aparência transmite uma imagem visual e envia uma mensagem de que os funcionários são profissionais. Outra razão é porque você nunca sabe quando será obrigado a se reunir com alguém de fora da empresa. Sua imagem, para este estranho, será a imagem da sua empresa. Naquele momento você será o “cartão de visitas do seu ambiente de trabalho”. Nos negócios esta imagem e mensagem precisa ser profissional. Na realidade, essa imagem poderia indiretamente significar a diferença entre garantir um novo acordo, contrato ou venda, ou perder a oportunidade de fazer negócio.

rachel 76_1IMAGEM TRANSMITIDA PELA ROUPA: POSSIBILIDADE DE ATRAIR OU NÃO NOVO NEGÓCIO

A maneira como você se apresenta, a aparência da sua imagem profissional, desempenha um papel importante no seu sucesso. Quando pensamos em nos vestir para atingir o sucesso, precisamos lembrar de que as primeiras impressões são tudo e que no ambiente profissional, dependendo da sua profissão, elas acontecem diariamente e nós só temos uma chance de fazer uma primeira impressão positiva.

VARIOUSATENÇÃO ÀS PRIMEIRAS IMPRESSÕES: ELAS SÃO TUDO NO AMBIENTE PROFISSIONAL

Nas últimas semanas, duas notícias me chamaram a atenção. A primeira foi a de uma apresentadora do noticiário americano, que fala sobre o clima, e foi surpreendida, ao vivo, por um colega de profissão lhe entregando um cardigan para se cobrir durante a transmissão do programa, pois ela usava um vestido tubinho preto bem justinho. A segunda foi sobre uma secretária inglesa que teria sido demitida por não ter aceito trabalhar de salto alto. No primeiro caso, a apresentadora publicou em sua rede social que teria sido uma brincadeira entre a equipe; já no segundo caso, a secretária entrou com uma ação contra empresa e o caso veio à tona como uma bomba.

+SAÚDE: Julia Roberts descalça no red carpet: pelo fim da ditadura do salto alto

Como consultora de Imagem, e sabendo da importância da mensagem que transmitimos através das nossas roupas, tenho que dizer que no caso da apresentadora, infelizmente, a roupa usada não estaria adequada à sua imagem e ao ambiente profissional. O vestido colado ao corpo marca as formas femininas em demasia, transmitindo uma sensualidade fora do contexto do ambiente de trabalho, onde a credibilidade e confiança são o mais importante, afinal queremos ser lembradas pelo que falamos e não pelo que vestimos, certo?! Essa roupa se encaixaria melhor para o ambiente social em que temos uma liberdade maior de escolhas. Já no segundo caso, não conheço profundamente a situação nem a empresa citada, mas acho que a falta do salto alto não seria um agravante para uma demissão.

Saia-midiO TERNINHO TRADICIONAL VEM SENDO SUBSTITUÍDO POR BLAZER E CALÇA OU SAIA DE CORES DISTINTAS

As empresas estão mais maleáveis quanto aos códigos de vestimenta. O dress code formal, ternos do mesmo tecido e com cores mais escuras, já está sendo, aos poucos, substituído pelo novo formal, blazer e calça social ou saia de cores diferentes, por exemplo. Mas existem profissões que exigem o uso da vestimenta formal como forma de transmitir seus conceitos mais rígidos. Um exemplo disso são os advogados e instituições governamentais.

+RACHEL JORDAN: Especialista em imagem ensina a causar uma ótima primeira impressão

A importância de um código de vestimenta para o profissional varia um pouco de acordo com o segmento onde trabalha. Toda organização tem um estilo, e você o adota para se entrosar. Algumas empresas normalmente incentivam e/ou exigem um código de vestimenta mais definido e profissional para manter uma imagem profissional de si mesma e dos negócios, onde os funcionários rotineiramente interagem diariamente com clientes, parceiros de negócios e futuros clientes.

No entanto, outras empresas permitem e até encorajam os funcionários a vestirem-se livremente ou casualmente para seu conforto, como as Start Up. Esta prática, entretanto, costuma ser mais comum em ambientes de trabalho mais criativos.

devil-pradaCUIDADO COM AS SEXTAS-FEIRAS: A LIBERDADE DO DRESS CODE PODE SE TRANSFORMAR EM VERDADEIRO DESASTRE DE MODA

Com tantas mudanças no vestuário e códigos a serem compreendidos nos diferentes ambientes de trabalho, pode parecer complicado entender as regras de aparência. Selecionei algumas dicas para você não se perder e estar sempre de acordo com o ambiente da empresa em que trabalha.

1. Entenda o que é apropriado para ser vestido em seu setor
2. Certifique-se que suas roupas estão cuidadas e com bom caimento
3. Não use roupa muito sexy.
4. Não use excesso de acessórios.
5. Cuidado com os cabelos e maquiagem leve para as mulheres
6. Barba bem cuidada para os homens que adotam este estilo
7. Não use perfume forte
8. Cuidado com as sextas-feiras ocasionais. Sextas-feiras ocasionais têm o potencial de se transformarem em desastres de moda. É importante lembrar que a semana de trabalho não terminou na quinta-feira e que as imagens e mensagens enviadas na sexta-feira devem ser coerentes com cada um dos dias anteriores da semana.

Compartilhar
Rachel Jordan

Rachel Jordan

Consultora de Imagem, Rachel Jordan é especializada em Comportamento, Moda, Etiqueta Social e Corporativa, Dress Code e formada em Protocolos Internacionais pela renomada The Protocol School of Washington. Referência em seu segmento, a consultora é palestrante e instrutora. Executa um trabalho estratégico e personalizado para empresas e pessoas que desejem melhorar sua imagem pessoal e profissional com o objetivo de se reposicionar na carreira ou se colocar de forma mais adequada nas diferentes situações do cotidiano. O olhar diferenciado, observador, sensível e profissional de Rachel Jordan é potencializado também por sua formação como artista plástica. Membro da Association of Image Consultants Internacional (AICI), tem especializações em História da Moda, Consultoria de Imagem, Produção de Moda, Comportamento, Etiqueta Social e Corporativa, Análise Cromática. Rachel Jordan estreia este mês (janeiro 2016) como colunista de moda, etiqueta e comportamento do site Mariana Kalil (marianakalil.com.br).

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.