Festa de dia? Me chama que eu vou!

Como já disse algumas vezes aqui, sou uma pessoa diurna. Acordo cedo e disposta a tudo. Faço mil planos para o dia. Lá pelas 14h, já estou um pouco arrependida de ter inventado aquele programinha à noite. E, quando a noite chega, estou catando qual desculpa ainda não dei para abortar a agenda e ir correndo encontrar meu abrigo de ficar em casa.

O anos têm me ensinado a não mais confiar na minha disposição matinal. Ou seja: mesmo muuuito empolgada de manhã, eu me nego a fazer planos para a noite. Porque vai ser sempre a mesma ladainha: de tarde estarei arrependida e provavelmente à noite não encontre mais de onde tirar desculpa para abortar a missão e colocar meu abrigo de ficar em casa.

Isso não acontece só em dia de semana, não. Nos finais de semana também. Daria tudo para não ser convidada para uma festa às 23h de sábado, mas às 15h, sabe assim? Porque a gente acorda, faz um exercício, almoça e pronto: vai se divertir em vez de ficar esperando a hora de se divertir. E o melhor: se abusar um pouco da bebida, ainda tem tempo de se recuperar e não querer morrer no domingo.

Pois bem, estava refletindo sobre tudo isso porque vi que estou sintonizada com os finais de semana nova-iorquinos. Uau! A última novidade que vem de lá, segundo o New York Times, diz que os clubs de NY estão transformando inocentes tardes em balada pura. Tudo começou com inocentes brunches, que foram ganhando música mais alta, mais bebida e agora a festa rola solta com o sol alto.

A mania está se espalhando por mais e mais cidades americanas. Já é realidade também em Boston, Miami, Washington e Los Angeles. Em vez de ficar imitando o gosto por comida porcaria, bem que o Brasil podia imitar o gosto por festa à luz do dia. Eu ia ser a primeira a chegar e a última a sair.

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Oi Mari, Aqui em Santa Catarina essas festas não são novidade.

    Principalmente no verão, os clubs de praia fervem e a balada que começa cedinho chega a rolar até a madrugada.

  2. Oi Mari, Aqui em Santa Catarina essas festas não são novidade.

    Principalmente no verão, os clubs de praia fervem e a balada que começa cedinho chega a rolar até a madrugada.

  3. Nossa, que alívio ouvir isso. Não é só eu!!! Eu adoro festas, mas detesto esperar a hora chegar…acabo desistindo, pois na espera, já vi tevê, jantei e quando vejo, dá sono. Se é cedinho, combina, encaixa. Não não que eu seja diurna…mas é que simplesmente não aguento ficar em casa e esperar até meia-noite ou mais pra ir numa festa.

  4. Nossa, que alívio ouvir isso. Não é só eu!!! Eu adoro festas, mas detesto esperar a hora chegar…acabo desistindo, pois na espera, já vi tevê, jantei e quando vejo, dá sono. Se é cedinho, combina, encaixa. Não não que eu seja diurna…mas é que simplesmente não aguento ficar em casa e esperar até meia-noite ou mais pra ir numa festa.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.