O atum selado do Lanai

Anotaram a placa? O Donna Fashion Iguatemi terminou ontem e eu ainda estou procurando a placa da jamanta que passou por cima de mim. Hahahhahaha! Estava ótimo, acho que as pessoas gostaram muito e eu fiquei 100% satisfeita com o resultado. Agora, o mundo fora das passarelas volta a girar, e eu volto a ser a Mariana que bebe de outras fontes. Ou melhor: come.

Sábado à noite, saí do evento louca por peixe (sim, a mania de peixe ainda não passou). Pensei: mereço ir ao Koh Pee Pee. Sim, porque o Koh Pee Pee é um restaurante com preço relativamente mais alto do que a média, mas também serve um tempero acima da média. Só que cheguei ao Koh Pee Pee e parecia que tinha chegado a uma churrascaria. Muita gente, gente falando em voz alta, clima diferente do Koh Pee Pee que conheço e gosto – acho que porque erá sábado. E eu não estava nada a fim daquele clima. Queria um lugarzinho calmo, onde as pessoas falassem baixinho, traquilidade para jantar, sabe assim?

Cheguei a sentar em uma mesinha de espera, mas minha espera durou cinco minutos. Fui embora. Sem saber se voltava para casa, fiquei pensando no caminho em que outro local eu poderia comer um peixe com tranquilidade. Daí lembrei de um amigo que mencionou há uns dias o Lanai, restaurante de culinária havaiana. Ele disse que havia comido no Lanai um atum seladinho por fora e cru por dentro. Me babei pensando e corri pra lá (fica lá no fizinho da Avenida Nova York).

O Lanai tem muuuuuitas opções de pratos com peixe, mas eu estava fixada no atum (até porque é meu peixe preferido, em restaurante japonês só peço atum). Fiquei entre dois: atum selado com espuma de wasabi ou atum selado em crosta de especiarias. O garçom explicou que o primeiro era feito naquela espuminha de raiz forte, sabe? E o segundo era meio agridoce. Fui no primeiro. O prato é beeeeem mais bonito do que a minha foto. E aquela coisica ali no meio da espuma que parece um purê é um purê sim, de cará. Vem num potinho separado. Eu deveria ter batido a foto antes de colocar o purê no prato, mas enfim…

Bom, o purê não tem muito gosto,  em compensação o atum estava ótimo. Eu achei apenas que a espuma de wasabi podia ser um pouco mais picante. De qualquer forma, é um restaurante que vale a pena conhecer, muito em função da variedade do cardápio. Dizem que o petit gateau com sorvete de wasabi é o melhor da cidade, mas eu não provei. Não sou muito de sobremesa, e petit gateau vai contra os meus principios em véspera de verão, sabe assim? Hahahhaha.

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.