O hermano da madrugada

Entrei na reta final de entrega do novo livro. Sexta-feira ele precisa estar pronto. Entrei na fase da lapidação. O livro está escrito, mas é preciso ler de novo, com toda a calma do mundo, para aparar arestas, trocar palavrinhas repetidas, ver se o que escrevi era realmente o que quero dizer. Enfim, preciosismos e afins.

VAI DAR TEMPO

Hoje dediquei quatro horas a ele – e uma hora ao meu pilates, esquecido e abandonado na semana que passou. Parecia que meu corpo era uma sucessão de parafusos velhos e enferrujados. Não podia mais viver assim. Vou fazer pilates todos os dias desta semana.

VAI DAR TEMPO

Bento está colaborando. Achei que fosse ficar chateado com a toda a história da Nina, mas fato é que reagiu bem. Sabe o que é uma desilusão amorosa.

ESTOU VACINADO

Ontem conversamos longamente no Parcão sobre o assunto.

Aqui, eu dizia para ele que a vida é assim e que não se deve abrir mão do sonho de encontrar a alma gêmea

Aqui, ele vislumbrava o horizonte enquanto digeria meus conselhos

O que eu fazia com esse óculos de aro branco que me tornava a irmã mais velha de uma mosca varejeira? Não sei. Comprei o óculos de aro branco embalada pela onda de óculos de aro branco. Não acho ele feio nem bonito, acho diferente. E não consigo esquecer que estou de óculos de aro branco nem um minuto sequer. Acho que botei o óculos de aro branco para distrair a mente com ele e esquecer da dor de cabeça latejante que tomava conta do meu cérebro naquele momento. Uma dor mais de consciência do que física, mais verdadeiramente falando.

CULPA DESSE HERMANO

Eu já me prometi um milhão de vezes, eu já pedi para o Chico me impedir, eu já jurei que não vou mais fazer pit stop no Pampa Burger de madrugada. Mas eu não resisti – e o Chico não me impediu. Então, feliz da vida, na madrugada de sábado para domingo, adentrei o Pampa Burguer para me esbaldar num petiço: o petiço La Plata!

MOMENTO EM QUE FOI COLOCADO NA MINHA FRENTE

MOMENTO EM QUE NOS ENCARAMOS

MOMENTO EM QUE LEMBREI DELE NA MANHÃ SEGUINTE

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Mariana
    O Bento é muito fofo, logo ele se “apaixona” novamente… aliás… a Amy , minha “filhote” já está de olho nele!!!Qualquer dia mando uma foto…( ela é a mais linda da rua)!!!
    Adoro o blog, muito leve e divertido e os comentários do Bento são um charme à parte.

  2. Mari, quarta-feira passada fomos ao show do Seu Jorge. Depois do show devoramos um bife à milanesa com fritas no Barranco. Na manha seguinte eu chorava até sangue de remorso :-(

    Tbm tenho um óculos branco e acho um charme!!! KKKKKK

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.