O que é importante saber para levar seu cão na cabine do avião

Sempre me fazem essa pergunta: “Mari, como tu faz para levar o Bento contigo no avião?”. Pois venho por meio desta condensar todas as dúvidas que já recebi em um único post. Assim sendo, da próxima vez que me perguntarem, será este link que copiarei e colarei na mensagem ao destinatário.

Vamos lá: Bento desde os três meses de vida viaja comigo de avião. Visto que está com 14 anos, deveria exigir seu cartão Diamante. Quando a Varig ainda existia, viajávamos pela companhia. Quando a Varig foi adquirida pela Gol, perdemos essa vantagem: a Gol passou a aceitar apenas animais no compartimento de carga. Despachei uma vez o Bento pela Gol, com o coração na mão, pois não havia outra alternativa, e quase morri de arrependimento.

bento1PISADA DAS GRANDES

Já não bastasse ter pânico de viajar de avião, passei as duas horas de voo de Porto Alegre ao Rio de Janeiro com o coração na mão sem saber se meu cachorro estava bem. Quando a porta para desembarcar se abriu, saí correndo feito uma desvairada até a entrega de bagagens. Quando me entregaram o Bento e vi a carinha dele de pavor, tremendo feito vara verde, jurei que jamais despacharia de novo.

bento1ELA CUMPRIU O JURAMENTO

Passei, então, a viajar de TAM, mesmo, na maioria das vezes, pagando mais pelo bilhete. A TAM aceita animais de pequeno porte na cabine. A companhia limita o peso do animal dentro do container em até 7 quilos. Experiência própria: Bento dentro do container pesa 9,5 quilos. Já chegou a pesar 10. Nunca tive problema na hora de embarcar. Ele estando ok dentro da casinha é a conta. Simplesmente tive que pagar um pouco mais, visto que cada quilo é multiplicado por uma taxa da companhia. Dá cerca de R$ 200 cada trecho do animal.

bento1NÃO SOU DOS BARATOS

Até um tempo atrás, as companhias exigiam GTA (Guia de Transporte Animal) e atestado do médico veterinário. O que eu precisava fazer: pegava o atestado no veterinário, corria até o aeroporto, apresentava o atestado no Ministério da Agricultura junto com a carteira de vacinação, e o Ministério me fornecia o GTA. Na hora do embarque, apresentava a carteira de vacinação + atestado do veterinário + GTA.

bento1DOCUMENTAÇÃO DAS GRANDES

De uns tempos para cá foi extinta a necessidade do GTA. Hoje só é preciso o atestado do veterinário e a carteira de vacinação em dia, o que facilitou muito a vida. Até alguns meses atrás, eu achava que apenas a TAM continuava aceitando animais na cabine. Foi quando me comentaram no Facebook que a Azul também aceitava. E a Avianca também. Para coroar essa abertura de mentalidade das companhias aéreas, na quarta-feira passada foi a vez da Gol reavaliar sua condição e passar a aceitar também.

bento beijoUM BEIJO, GOL! A GENTE AGRADECE!

A medida vale apenas em voos nacionais e se aplica a todos os tipos de cães ou gatos com ao menos quatro meses de idade e peso máximo de 10 quilos (incluindo a caixa de transporte). Na Avianca, o peso total permitido é de 8 quilos; na TAM, 7 kg; na Azul, 5kg. Eu só teria receio de viajar com o Bento na Azul porque daí sim o aumento de peso é considerável e acho que correria o risco de não conseguir embarcar, visto que o avião também é menor. Mas nas outras, mesmo que passe um pouquinho, respeitando a medida da casinha é a conta. Contando que a casinha caiba embaixo da poltrona à nossa frente (que é onde eles devem viajar), está tudo certo. Pelo menos para mim sempre funcionou assim.

utilidade-publica11ATENÇÃO!!!
Por isso é tão, mas tãããão importante ligar para a companhia aérea e pedir a eles que forneçam as medidas exatas de altura, largura e comprimento da casinha. Pode variar de uma companhia para a outra. E é isso o que mais será levado em conta – para evitar que você sente na poltrona e a casinha não caiba. O que vai acontecer se isso acontecer? Ou você descerá do avião e ninguém viaja (nem você nem o cachorro), ou eles pegarão a casinha e despacharão na carga.

Sobre tranquilizantes: vai de cada cachorro. Eu, por exemplo, nunca precisei dar nada para o Bento, pois desde pequeno ele se acostumou a ficar quietinho na casinha. Mas para cachorros mais hiperativos e que não estão acostumados, sugiro perguntar ao médico veterinário sobre algum tranquilizante leve. Será melhor para você e para o cachorro. Muitos receitam até meio Dramin.

Último detalhe importante: o atestado de saúde do médico veterinário dever ter sido emitido no máximo 72 horas antes do embarque (ou seja, três dias). E precisa ter validade de dez dias. Trocando em miúdos: se você for passar 15 dias no Rio de Janeiro, na hora de voltar terá que emitir outro atestado com outro médico veterinário.

woman-questions-2CONSEGUI TIRAR TODAS AS DÚVIDAS?

bento1E PRA ONDE NÓS VAMOS AGORA?

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.