O que faz você feliz na segunda-feira?

Acordei meio borocochô nesta segunda. Nenhuma novidade, vai dizer? Qual é a segunda-feira em que não acordo meio borocochô? Conversávamos, Paulinha, George, Chico e eu, sobre este poder que a segunda-feira tem de me deixar meio down. Paulinha disse que eu deveria ter sempre uma atividade na segunda que me desse muito prazer – assim, eu veria o dia com outros olhos, ansiaria pela sua chegada.

duvida1SERÁ?

Fiquei pensando, então, o que eu deveria ter agendado toda a segunda-feira no calendário da minha vida para esperar por ela tão ansiosamente.
– Me dá uma dica, Paulinha – pedi.
– Olha, uma coisa que me deixa ansiando pelo dia é minha aula de personal.

mulher-desconfiadaHEIN?

– Tu fica ansiando pelo dia em que tem aula de musculação?
– Muito! Passei muito tempo da vida privada de fazer exercícios e agora que consegui este tempo é uma das coisas que mais me dão prazer.

mulher-doidissima2-300x251HEIN!?

Pois este estímulo não me serve. Durante algumas semanas do início deste ano, consegui ter agendada sessões de massagem relaxante todas as segundas-feiras às 19h. Lembro que era um alento saber que chegaria no final do dia maldito com uma recompensa à altura de tanto sofrimento.

Só que fui me deixando sucumbir pelo trabalho e acabei tendo que abrir mão do meu troféu. Talvez seja o momento de repensar. Nesta segunda, particularmente, acordei cansada de ser adulta, sabe assim? Não queria tomar decisões, não queria trabalhar, não queria fazer reuniões, não queria ter que pensar.

Queria ser transportada para a infância, queria não ter problemas, queria só saber de brincar. Acordei com o espírito pesado, mas não estava conseguindo identificar muito bem o que se passava lá dentro – muito pela falta de tempo de olhar pra dentro de mim. Então, tive que ir ao banco pegar umas malditas folhas de cheque, tive que tirar tudo de dentro da bolsa para passar na porta giratória, tive vontade de começar a chorar.

Então me vi do lado do McDonald’s e estava na hora do almoço.

nham nhamNHAM NHAM

E então eu resolvi que comeria um McDonald’s. Porque se eu fosse criança, eu pediria um McLanche Feliz e nem de longe imaginaria que estava comendo tantas calorias e que precisaria malhar muito para compensar e que segunda-feira não é dia de comer trash food. Se eu fosse criança, eu comeria sem culpa e sem noção.

E se tinha algo que eu acordei a fim de perder nesta segunda-feira foi a culpa e a noção. Entrei na fila, quando chegou minha vez pedi um McLanche Feliz.
– Para menino ou menina? – perguntou o atendente.
– Menina.

Então, ele colocou na minha frente duas opções de brinquedo com a Hello Kitty. E de repente todos os meus problemas de adulta se transformaram em um pequeno problema infantil: escolher se queria a colher ou o pratinho da Hello Kitty. Escolhi a colher, comi cheeseburger, mini batatas fritas, Coca Zero e um Danoninho de sobremesa.

untitledPORQUE SOMOS FEITAS TAMBÉM DE ALGUMAS CONCESSÕES

Compartilhar
Sem comentários ainda.
  1. Olá Mari, geralmente minhas segundas são chatas, cansativas, porém essa segunda foi muito feliz descobri que serei mamãe!!! Senti falta do Bento, tava de pelotas desse dia ventoso em Porto Alegre? Bjão e que suas segundas sejam mais alegres!

  2. Ai, Mari, teu post caiu como uma luva… cheguei a chorar lendo… exatamente como me sinto hoje!! Vontade de voltar a ser criança… e que bom saber que não estou só, que as outras meninas aqui também estão concordando… Essas segundas não são fáceis! 😉 Beijos, querida, com sabor de infância, de pureza, de falta de compromissos, responsabilidades, contas, ufa!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.