O salmão conquistou meu respeito

Hoje tive mais uma sessão com meu coach de saúde Fernando Rebello.

James DevaneyFINA, NÉ?

Tenho um coach de saúde. Estou me achando muuuito fina. Fernando e Flora são dois anjos que caíram do céu em minha vida. Fernando me dá aulas mestras sobre alimentação e medicina ayurvédica e chinesa; Flora é minha professora de pilates. Ambos trabalham juntos, em sintonia, para fazer da Mariana um ser humano cada vez melhor.

bento clássicaCOMENDO BOLACHA OREO

James DevaneyNINGUÉM É PERFEITO

Foi o Fernando que me ensinou a preparar aquele magnífico smoothie de batata doce.

foto-7Lembram do smoothie que é vida?

Pois hoje nós três tivemos uma conversa muito elucidativa. Eu estava lá reclamando da minha digestão e tal – sempre achei minha digestão meio lerda e lenta -, quando ele, entre tantas outras coisas, me perguntou:

– Você engole rápido os alimentos?
– Nããããoooo – respondi. – Eu como beeeem devagar.
– Não perguntei se você come devagar, mas se você engole rápido.

bebê assutado GlupGLUP!

Mulher blusa vermelha nao quero verACHO QUE SIM

Tirei a prova na hora do almoço. Nunca tinha me dado conta, mas pareço uma troglodita engolindo. Sim, eu engulo MUITO rápido. Muito mais rápido do que eu poderia imaginar. Sim, é possível uma pessoa comer devagar e engolir rápido

mulher-de-negcios-que-morde-um-computador-21897836ESSA PESSOA SOU EU

Obviamente, esta descoberta na quinta-feira 20 de março tornou-se um divisor de águas na minha vida. Porque hoje almocei como alguém que pisa em ovos, sabe assim? Mastigando e engolindo com muuuita calma. O que aconteceu então? Não consegui terminar o que tinha colocado no prato – que normalmente consigo comer. Louco, né?

josé simãoÔÔÔÔÔÔÔÔ

Aprendi outra coisa incrível com o Fernando. Falávamos sobre peixes em geral. Tudo começou porque manifestei minha paixão por sardinha e atum – frescos ou em lata. Disse, então, que não suportava salmão.
– É que o salmão que a gente come não é salmão – disse o Fernando. – Ele não tem a coloração laranja. Esse salmão de cativeiro que nós comemos é colorido artificialmente. Talvez venha daí o teu desgosto.

crianca BLERGHBLERGH

Eu já tinha ouvido falar dessa história de que esses salmões cultivados em cativeiro não são salmões de verdade. Mas fiquei particularmente comovida com a história que ouvi sobre a jornada de vida do salmão.

03mulher-nova-gritando-feliz-thumb89432486ESCUTEM SÓ

A missão da vida do salmão é reproduzir, largar as ovas em sua nascente. Ele habita as águas geladas dos mares do Norte e nada valentemente rio acima contra o fluxo das velozes corredeiras das montanhas para alcançar a nascente do rio, pulando cachoeiras de cinco metros.

salmãoLÁ VAI O SALMÃO

Quando alcançam as piscinas no topo da montanha, eles acasalam-se e, então, morrem. Morrem depois de cumprir a missão. Morrem de envenenamento. O estresse do salmão para alcançar as piscinas e acasalar, ou seja, para cumprir sua missão de vida é tão, mas tão grande que ele desenvolve uma super secreção de enormes quantidades de cortisol. Esse estresse é o responsável, inclusive, por dar ao salmão sua cor alaranjada.

E tem gente que reclama da vida…

bento pelotas 1ELA ESTÁ FALANDO DE MIM

Autópsias em salmões mostraram glândulas supra-renais tremendamente inchadas, com seu equilíbrio endócrino totalmente desregulado, com órgãos internos ulcerados e repletos de infecções devido ao sistema imunológico enfraquecido devido ao estresse.

03mulher-nova-gritando-feliz-thumb89432486ESCUTEM MAIS ESSA AGORA

Cientistas fizeram uma pesquisa com esse tema e ficou provado que todos os salmões que foram capturados pelos zoólogos e tiveram rapidamente uma parte de suas glândulas supra-renais removidas, de modo a diminuir a secreção de cortisol, sobreviveram. Ou seja: evitou-se, assim, o envenenamento.

03-por-ai-mulher-gritando5EU AMEI A HISTÓRIA

Fique muito compadecida do salmão. Nunca mais vou conseguir olhar para uma posta de salmão sem pensar no estresse do coitado.

bento pelotas 1EU TAMBÉM NÃO

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Oi Mari!!!
    Hoje passei numa livraria e vi uns livros do(a) haruki murakami e lembrei que você falou deles no blog!
    Qual você aconselha ler primeiro? Assim pra gostar de cara, hehehe?

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.