Pesquisa revela que metade das mulheres do mundo desistiram dos seus sonhos

Sempre tive e continuo tendo sonhos – e eles mudam ao longo da vida. Quando era criança, sonhava em trabalhar na televisão. Queria ser apresentadora de qualquer coisa. Na adolescência, continuava querendo ser apresentadora, mas agora do Fantástico e do Jornal Nacional – assim mesmo, dos dois juntos! Então, cursei Jornalismo em busca deste ideal. Minha carreira tem me feito muito feliz desde então, mas sempre em redações de jornais e revistas, jamais em emissoras de televisão.

Durante 20 anos escrevi pequenas, médias, grandes reportagens – e fui gostando cada vez mais do ofício da escrita. Até o momento em que nem lembrava mais de que um dia havia feito Jornalismo para saciar o sonho de trabalhar em televisão. Este sonho não me pertencia mais. Começava a sentir necessidade de correr atrás de outro: o sonho de ter o meu site, a minha casa digital, com meu nome, com a minha marca e minha curadoria de conteúdo. Com três livros publicados até então, percebi que tudo convergia para um destino comum: meu sonho de adulta resumia-se em viver de escrever. Por que não tentar?

bento1125ELA CHUTOU O BALDE

Com uma certa dose de estratégia e muita dose de coragem, abri mão de um cargo bacana, com pessoas bacanas, salário fixo no fim do mês e resolvi me jogar no empreendedorismo e na incerteza financeira do dia após o outro. O site MK, lançado há oito meses, é uma das faces mais visíveis deste meu sonho de adulta que a cada dia me traz mais alegria e bons frutos. Mas não é fácil.

Ir em busca de nossos sonhos não é nada fácil. O sonho não cai materializado do céu. Sonho é uma palavra muito bonita na teoria, mas concretizá-lo na prática às vezes dói, machuca. Requer trabalho, disciplina, foco, método, persistência; requer maturidade para lidar com angústias, ansiedades, inquietudes. Só que não existe outra maneira de fazer a vida valer a pena.

Dreams Road SignA FELICIDADE CAMINHA NESTA DIREÇÃO

Como sempre persegui meus sonhos feito perdigueiro, achei que a maioria das pessoas fazia o mesmo. Me surpreendi negativamente com uma pesquisa realizada pela PR Newswire. De verdade, me deixou muito triste saber que 50% das mulheres do mundo desistiram dos seus sonhos. Cinquenta por cento!! Metade da população feminina do planeta abriu mão de correr atrás do seu ideal de vida. Metade!!! É muita coisa!

Crazy-WomanALGO ESTÁ MUITO ERRADO

Foram entrevistadas mulheres em 14 países dos seis continentes. As asiáticas lideram este triste ranking. Oitenta e um por cento das japonesas desistiram de correr atrás de seus sonhos. Na Coreia do Sul, este número é de 67%. Nos Estados Unidos, 47%. Cuidado com os filhos, falta de apoio financeiro e medo de não se encaixar em algum possível padrão de sucesso estão entre as justificativas para abrir mão do ideal.

dream… E DEIXAR O VENTO LEVAR O SONHO EMBORA

O resultado do estudo comprovou que mulheres que desistiram de ir atrás dos sonhos estão absolutamente insatisfeitas com suas vidas. Por outro lado, 82% daquelas que não abriram mão da empreitada e que se jogaram de cabeça atrás da vida idealizada estão felizes com quem são e com o que andam conquistando.

A pesquisa faz parte de uma ação da marca de cosméticos SK-II, que criou a campanha “Dream Again” (Sonhe de Novo, em tradução livre). O objetivo da empresa é procurar incentivar essas mulheres a recuperarem os sonhos que tinham na infância e adolescência e a correr atrás deles. Se aqueles sonhos de antigamente não fizerem mais sentido, ao menos pensar quais seriam os novos sonhos – e trabalhar para persegui-los.

Aqui está o vídeo da campanha! Tem pouco mais de quatro minutos. É bonito. Faz pensar. Vale a pena dar o Play!

 

Parece fácil falar “largue tudo e faça o que te faz feliz”. Não é bem assim. Temos contas a pagar, temos compromissos a cumprir. Só que também é preciso saber que uma mudança de vida não precisa ser repentina. Pode – e deve – ser planejada. Com calma, com foco, com planos. Então, quando a gente vê, está semeado o terreno para largarmos aquele galho que já não servia mais e pularmos para o outro. A felicidade também está no caminho percorrido dia a dia rumo aos nossos sonhos e não somente na linha de chegada. O que definitivamente não é aceitável é virar as costas, jogar a toalha e desistir de viver para apenas sobreviver.

 

 

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

5 Comentários
  1. Ola Mariana!
    Faz 2 anos, por necessidade de abandonar um trabalho qye não me completava, fiz uma aposta numa profissão que na vdd era um sonho encubado, que eu nem me dava conta.Eu flertava com a maquiAgem a anos, e com incentivo de amigos e colegas, que viam um talento que eu negava, fui atrás e sou muito feliz.Sou mais pobre e cansada, mas feliz rsrsrs

  2. Oi Mariana
    Estou exatamente nessa situação que comentastes e o vídeo apresenta. Alguns sonhos de perderam ao longo do caminho é agora que vou completar 50 anos quero poder concretizar pelo menos um grande sonho.
    Obrigada pelo estímulo a parabéns pela Coragem e determinação!
    Muita saúde e sucesso com teus sonhos!
    Beijos
    Glaucia Alvarez

  3. Mariana,

    Acredito que tens consciência do grande exemplo de ser humano, de mulher, que és. A leitura dos teus livros, do blog, do site sempre me fizeram muito bem. Desejo que continues nos encorajando a seguir em frente, e a lutar pela própria felicidade. Dias atrás li uma matéria no Donna da Astrid Fontanelle que fala sobre a sororidade, sobre empoderamento, solidariedade entre as mulheres. E é isso que você transmite. Muito obrigada e um grande abraço pra ti!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.