Tattoo choker, a gargantilha grunge da hora

Eu vivi a adolescência nos anos 1990 e sei muito bem como essa moda pegou na época. Fui uma usuária diária daquelas gargantilhas pretas, estilo grunge, coladas no pescoço – mas tão, tão, tão coladas que pareciam capazes de me enforcar a qualquer momento. Era moda, e eu era adolescente, fazer o quê?

bento1MORRER ENFORCADA

Wonder business womanBASICAMENTE

Pois não acreditei quando soube que o modismo voltou. Só que hoje eu tenho 42 anos, não me deixo mais influenciar pelo que as pessoas da minha idade estão usando e não pretendo aderir ao quase enforcamento. Apenas me deu uma certa nostalgia da época e comecei a lembrar dos meus momentos adolescentes, das festas que fazia, das roupas que usava, dos brincões que quase arrancavam minha orelha fora… Enfim, de uma época mágica de novas descobertas que não voltará jamais.

Não sou uma saudosista da adolescência, com 15 anos sempre fiquei esperando a hora de fazer 30. Sempre quis crescer, esta é a verdade. Mas hoje, depois de crescer, olho para trás, observo adolescentes na rua e admito que é uma era de ouro na vida da gente. Se for sem dramas, tanto melhor. Sobre as gargantilhas pretas estilo grunge: elas voltaram após a Carven exibir um modelo repaginado da tattoo choker durante a semana de moda de Paris.

Olha!

tatuagem-passarela-carvenModelo na passarela da Carven, que deu início ao modismo todo!

Então, o modismo estabeleceu-se pelos cinco continentes. O colar repaginado no século 21 é feito de plástico e estica para ficar bem moldado ao pescoço. O modismo manda usar a peça bem no meio do pescoço.

Olha!

COLEIRA KATE PERRYA cantora Kate Perry e seu enforcador

COLEIRA CANDICEA top model Candice Swanepoel e uma variação da tattoo choker: fitinha com quartzo rosa e outros pingentes

COLEIRA YASMINA modelo Yasmin Burnet e seus dois enforcadores: o tattoo choker e a fitinha com uma pedra da sorte. Começo a achar que fitinhas com pedras penduradas viraram moda entre as modelos

t3O colar tem um estilo tatuagem, daí o nome, e pode ser usado também como anel e pulseira. Achei bem delicada a forma de usar dessa mocinha. Não, não vou imitar. Como já disse, não tenho mais 20 anos

t5E daí dá pra ficar personalizando, pendurando o que bem entender na gargantilha. Pra um visual mais Madonna do novo século, uma cruz vem bem a calhar

olivia10POSSO GANHAR UMA DE NATAL?

Claro, mimosa! Tu é um exemplo de bom comportamento. Até duas se quiser.

bento1E EU?

Olha, eu acho que a tattoo choker não é para machos, mas fica a teu critério…

bento1VOU GANHAR O QUÊ, ENTÃO?

arquivoUMA PALMADA NO TRASEIRO, SERVE?

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.