Vinho vilão das mulheres?

Oooops! Essa notícia abalou meus alicerces:

Tomar uma taça de vinho por dia, visto como um ótimo hábito para o coração, pode não ser uma boa fórmula para as mulheres.

Mariana sacode a cabeça, rebobina e lê de novo para ver se entendeu bem:

Tomar uma taça de vinho por dia, visto como um ótimo hábito para o coração, pode não ser uma boa fórmula para as mulheres.

Sim, é verdade. E agora? Mariana bebe – no mínimo – uma taça de vinho todos os dias, sempre que chega em casa do trabalho, para relaxar. No jantar, uma segunda tacinha também acompanha Mariana. Às vezes, a companhia é da garrafa inteira mesmo. E agora essa? De onde saiu?

Trata-se da conclusão de uma recente pesquisa da Universidade de Harvard comandada pela médica Wendy Chen e divulgada nesta semana no “Journal of the American Medical Association” (JAMA). Segundo o estudo, beber entre três e seis drinques por semana é suficiente para aumentar em 15% o seu risco de desenvolver câncer de mama.

Três e seis drinques por semana? Mariana faz as contas e chega à conclusão que até o presente momento, sexta-feira 4 horas da tarde, já bebeu mais de 10.

A notícia prossegue:

O quadro se agrava para quem bebe todos os dias.

SOCORRO!

Com duas taças diárias ou mais, o risco pula para 51% – sempre em comparação com mulheres que não bebem nem uma gota de álcool. A equipe de Chen pesquisou os hábitos de mulheres ao longo de décadas e concluiu que o efeito é cumulativo, ou seja, tem mais risco quem bebe há muitos anos.

Mariana agora está apavorada. Mas segue a leitura:

Estudos anteriores já mostraram a relação entre álcool de câncer de mama, mas a novidade deste é mostrar que mesmo doses pequenas de bebida afetam o organismo. O estudo coloca em xeque a quantidade de álcool sugerida por médicos para proteger o coração. Afinal, beber algumas taças por semana reduz até 40% os riscos de um ataque cardíaco e outra doenças coronárias. Por isso, a Dra. Chen afirma:
– Para cada mulher em particular, mudar ou não os seus hábitos depende do seu perfil de risco pessoal.

Ahhhh, Mariana respira aliviada.
Mariana tem corpo fechado. Ou, pelo menos, assim prefere acreditar.

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Sensacionalismo puro, falta do que publicar. Pesquisas contraditórias saem todos os dias, e a autora do blog resolve escolher uma que imagina vai criar polêmica e gerar pageviews. Esperava-se mais de um site respeitável como zerohora.com

  2. Sensacionalismo puro, falta do que publicar. Pesquisas contraditórias saem todos os dias, e a autora do blog resolve escolher uma que imagina vai criar polêmica e gerar pageviews. Esperava-se mais de um site respeitável como zerohora.com

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.