A história de quem escreve sua história

Eduardo Lorea foi meu primeiro chefe neste novo momento Donna, de transformar-se em uma plataforma e seguir um modelo de negócio próprio, respeitando, claro, a ética jornalística que nos move, mas procurando conciliar as demandas de mercado. Essa mudança completa um ano neste mês de junho. Lorea deixou de ser meu chefe e foi aventurar-se ao lado da esposa, a querida Tassia, em algo que sempre incentivei: a experiência de morar fora.

bento clássicaTENHO SAUDADE DE BARCELONA

Eu também, meu cachorro amado. Tenho saudade de um mundo mais civilizado. Mas não podemos esquecer que fizemos, juntos, esta escolha: trocar as regalias de um primeiro mundo europeu, porém distante de quem amamos, para estar próximos de quem queremos e nos quer bem, porém distantes de um mundo civilizado. Não é verdade?

bento clássicaSIM

Não há na vida algo mais importante do que estar próximo de quem se ama, do que sentir-se parte de um contexto, cidadão de um certo mundo. Após dois anos vivendo em Barcelona, o que eu e Bento sentimos foi que,  por mais anos que vivêssemos por lá, seríamos sempre estrangeiros e nossos amigos jamais estariam por perto. Voltar não foi uma decisão fácil racionalmete falando. Mas deixamos o coração falar mais alto e o resto dessa feliz história eu conto em meu segundo livro, Vida Peregrina.

vidaperegrina280OI, BONITÃO!

Lorea e Tassia estão vivendo em Madri. Mas, no próximo fim de semana, marcaram uma chegada a Barcelona – e não sei por que cargas d’água meu antigo chefe e hoje um querido amigo acha que, passados 10 anos da minha rotina de vida em Barcelona, eu ainda sou capaz de dar as melhores dicas da cidade. Escreveu ele:

E aí, moça!
Como estás? Brilhando como nunca e resmungando como sempre?
Por aqui eu e Tássia muito bem, agora com casa e documentos e carrinho de compras, começando a aproveitar a vida na Espanha.
E aí eu queria te pedir umas dicas. Esse findi vamos a Barcelona. Eu já fui lá uns anos atrás e fiz o programa turístico básico (Santa Ceu, Sagrada Família e coisas do Gaudi), e agora queria levar a Tassia em lugares legais, bares, restaurantes, cafés, parques, daqueles que só tu sabes indicar.
Me ajudas? Te vira!
Beijos
Eduardo

professoraVAMOS POR PARTES

A passagem “resmungando como nunca” significa que, sim, eu resmungo bastante. Mas é da boca pra fora, como expliquei ao meu antigo chefe e hoje amigo, já no nosso terceiro dia de convívio.
– É normal tu ficar bufando sempre? – ele perguntou, certo dia, ao passar pela minha mesa.
– Sim, perfeitamente normal. Eu sempre bufo. Mas não me pergunta o porquê. É mania, simplesmente.
– Ah, tá.

Ao que Lorea se acostumou. E não apenas se acostumou como até hoje faz piada, como podem ver em seu e-mail.

velha-surda-22122011HEIN?

Se eu tenho autorização do meu antigo chefe de ficar reproduzindo email que ele me manda? Não, não tenho nenhuma. Mas como ele virou meu amig0 e não manda mais em mim… O que posso dizer? Que hoje ele está enquadrado na categoria de amigos da minha vida que mandam email passíveis de serem publicados.

Didica que o diga!!

didica1EU AINDA VOU TE MATAR, MARIANA

Do que lembro de Barcelona e do que de peculiar eu poderia sugerir tirando esses roteiros turísticos e levando em conta que muita coisa deve ter mudado nesses 10 anos.

1) Caminhar até Gracia, o bairro em que eu morava, e passar um bom tempo sentado na praça Rius i Taullet bebendo várias Claras e comendo tapas – sobretudo as papas bravas.
2) Fazer o desayuno no Buenas Migas, pedir um café com leite e um Flap Jack ou uma deliciosa focaccia.
3) Reservar um almoço no Organic, o melhor restaurante orgânico de Barcelona, no Raval, onde passei uma ceia de Natal. Bento era muito bem-recebido.
4) Caminhar descompromissadamente pela Barceloneta, sem hora para chegar ou para ir embora.
5) Em suma, viver e respirar a cidade, sem compromisso. Entrar na Casa del Libro e perder horas lá dentro.

São essas as primeiras lembranças que me vêm a memória, tirando, claro, minhas diárias aulas de ioga com meu mestre Upendra, coisa que, acho, Lorea e Tassia não estariam muito interessados em um fim de semana. E aproveitando que, por culpa de vocês, fui obrigada a reviver a temporada espanhola, acabo de achar algumas imagens de uma vida muito bem vivida.

Olha!

DSCN0040FAZENDO POSE NUMA VESPA NA FRENTE DE CASA!
Sim, eu tinha cortado meu cabelo joãozinho e ele recém começava a crescer

DSCN0056Lorea perguntou onde morei. Morei aqui! Na Calle Berga 23, primeiro piso, primeira porta, em Gracia.  Este foi o dia em que comprei a mesa de jantar e mandei a foto para a mãe ver como eu tinha florido de gerânios a varanda!

DSCN0058Um dia feliz, de aquisição de uma TV. Na mesma sala, mas de outro ângulo e com mais gerânios na varanda

DSCN0062Oi, pai e mãe! Esta é a cozinha! Estou me alimentando bem, viram? Não se preocupem!

DSCN0073Momento de sol na Plaza Rius i Tallet, onde sugeri que Tassia e Lorea tomem uma Clara com tapas. Esta era nossa primeira semana em Barcelona, ainda teríamos muito o que desbravar. Mas, sem dúvida, essa praça mora até hoje no nosso coração

DSCN0089Bruna, minha gata querida, que foi para Barcelona comigo e com o Bento. Acho que nunca falei nela, mas Bruna foi uma gatinha que caiu sem querer no quintal da minha casa em São Paulo e não teve como não ser adotada. Logo, tornou-se imediatamente melhor amiga do Bento e, quando planejamos nossa viagem, ela não poderia ficar de fora. Sim, eu embarquei com um cachorro e com um gato. Bruna morreu há dois anos, mas é até hoje muito viva no nosso coração. Essa poltrona, Bento e eu encontramos durante um passeio noturno. Estava jogada no lixo. Levamos para casa, limpamos e tornou-se a poltrona oficial da Bruna

DSCN0245Bento “dos tosados”. Como nossa verba era curta, eu tratava de cuidar do corte de cabelo do animal.

DSCN0247Olha o que foi retirado do corpinho da criatura!

DSCN0438Mãe sempre perguntava o que eu andava comendo.
Fiz essa foto pra ela ver meu super sanduiche!

O que eu quero dizer com tudo isso, com essas banalidades do dia a dia, meus queridos amigos Lorea e Tassia, é que o que fica de uma viagem dessas são as coisas simples do cotidiano. Não é a super viagem, o super passeio. Sim, isso também é importante. Mas aquele dia a dia de cumplicidade e de simplicidade é que a gente traz de volta dentro da alma. É o que a gente não esquece jamais. É o que passa a mover nosso espírito e nossa crença para o resto da vida. Passeiem sem compromisso, deixem-se perder nas ruelas do Raval, entrem em barzinhos e cantinhos que julgarem acolhedor.  Brindem a vida e façam a história de vocês.

baby-kissE MANDEM SEMPRE NOTÍCIAS DE DIAS FELIZES!

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Mariana, minha querida amiga que bufa e publica emails dos outros, coisa boa receber um carinho desses.

    Mas melhor do que isso é poder, lendo o teu texto, relembrar o que é importante na vida, na nossa atitude frente a ela. “O que fica de uma viagem dessas são as coisas simples do cotidiano”, dizes tu. “Não há na vida algo mais importante do que estar próximo de quem se ama, do que sentir-se parte de um contexto, cidadão de um certo mundo.”

    Viajar é importante, mudar a perspectiva, ver de outro jeito. E voltar é imperativo, voltar no sentido de estar com os teus, de pisar num lugar do mundo e escrever a tua história lá.

    E não é ponto turístico, nem ponto não turístico, nem dicas hipsters descoladas que fazem a vida ou a viagem legais. É tu mesmo, é como tu encaras as coisas, é como decides viver a vida.

    Tô contigo. Eu e a Tassia. A gente veio pra ver o mundo de outro lado, e depois voltar, e seguir escrevendo a nossa história, como tu fizeste a tua (e depois escreveste livros e ficaste rica, ainda que continues resmungando).

    Quando te pedi dicas de Barcelona, não imaginei que ia receber dicas de vida. Gracias. Brindaremos por ti.

    Beijos,
    Eduardo

  2. Mari!! Que coisa mais linda esse post!! Me emocionei!
    Que vontade de reler teu livro agora!! É exatamente o que farei no findi! rsrsrsrs Escreve outro pra nósss? bjão!!!

  3. Mari, lindo demais! Comovente e inspirador!!!!
    Você escreve de uma forma que nos transporta diretamente para os lugares onde esteve.
    O Bentinho e a Bruna os melhores companheiros para essa aventura.
    Precisamos de outro livro com mais e mais momentos de Barcelona.

    beijos

  4. Linda mensagem aos teus amigos!!! muito legal rever fotos né? qualquer dia te mando a foto que tirei contigo na feira do livro, na sessão de autógrafos, eu, você e meu filho Felipe!
    o Bento nesta foto tosado (que tosa hem kkkkkk) está idêntico ao meu filho Budweiser!!! Impressionante!

    beijos mil
    Raquel Leal
    sempre por aqui!!!
    ;)

  5. Mari!! Que coisa mais linda esse post!! Me emocionei!
    Que vontade de reler teu livro agora!! É exatamente o que farei no findi! rsrsrsrs Escreve outro pra nós? bjão!!!

  6. Oi Mari, sou sua fã, do Bento e da Olivia. Amei teus dois livros.
    Tu até já escreveu um post pra mim: meias e scarpins e peep toes, lembra?
    Desculpa, mas não pude deixar de reparar na tua sandalinha preta com fivela. Tu melhorou muitooooo. kkkk
    Beijos dos estralados!!!!

  7. Posso fazer ctrl+C, ctrl+V no último parágrafo pra responder a todo mundo que me pergunta se fui nesse ou naquele ou ainda naquele outro lugar na volta de uma viagem e eu quase sempre respondo “não”, deixando a pessoa em choque? ;-) <3

  8. Oi Mari!!

    Lindo post, como sempre uma lição de vida, aprendendo sempre com suas experiências.

    Amei conhecer a Bruna, adoro gatos, tenho um que adotei após sofrer maus tratos dos antigos donos, conte mais sobre ela!!

    Abraços dos apertados!!

  9. Mariana, leio e me divirto diariamente com blog, mas hoje tu te superaste! Amei, amei, amei! Teu post foi uma luz neste dia cinzento! Lindo demais!

  10. Oi Mari! Lindo post!!! Guria, eu passo bufando … Hahaha. Mas sabe q me relaxa??? Sempre que chega alguém novo no trabalho eu já aviso: “não é nada pessoal, não estou brava”. Bjs p ti, Bento e Oli.

  11. Mariana:

    a) Passear sem pressa pelo Passeig de Gracia
    b) Se perder no bairro do Born
    c) visitar o museu do Picasso e o Museu de Arte da Catalunha
    d) jantar no Le Quatre Gats (Pato a L’Orange)
    e) Depois de passar a tarde no Mundo del Libro, passar outra tarde na FNAC
    f) Visitar o Parq Gell
    g) Aproveitar bem as rebajas, claro, que ninguém é de ferro!
    h) Comer Tomaca con Pan!
    i) Visitar a catedral de Santa Maria del Mar
    j) Aproveitar que o País Basco tá mais perto e comer uns Pinchos!
    k) Visitar Tibidabo de funicular
    l) Visitar La Pedrera
    m) Admirar a beleza da cidade a noite
    n) Visitar a marina e comer um sorvete por lá!
    o) Visitar Las Arenas, a antiga praça de touros que virou shopping
    p) Assistir um jogo do Barcelona
    q) Lembrar de fazer isso acompanhado de uma pessoa que você ame!

  12. Mari !

    Lindo o post… dá vontade de ir para Barcelona amanhã…. Linda história… mais um belíssimo texto! Parabéns!!!!!!

    Abraços!
    Évilin Gutierres
    bj no Bento!!!!

  13. Lindo demais…morei na França por um ano e me identifiquei demais com tudo que tu disse… “Não há na vida algo mais importante do que estar próximo de quem se ama, do que sentir-se parte de um contexto, cidadão de um certo mundo”…
    Eu dizia para o meu marido: seria maravilhoso ter nascido aqui…mas já que não nascemos, acho que está na hora de irmos embora…de volta…
    Me emocionei com teu post, parabéns!

  14. Bento, suas saudades não estão no corte e nem no banho caseiro, mas nos passeios noturnos, já sei.
    Mariana, perder-se em Barcelona e desfrutar isso é o melhor. Cada olhar e sentir lá, en Cataluña és saber que és possible. Sentor Barcelona é melhor que mostrar Barcelona. Que Lorea e Tassia passem dias en costuras por las calles de gracia que solamente Barcelona ofrecer. Nada mejor que nada a ojos de todos. Disfruten!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.