CiaVital é da minha turma!

Tenho uma relação de amor e ódio com academias de ginástica. Quando estou embebida daquele espírito sonhador de que é possível chegar lá (ainda não sei bem onde), amo de paixão, me dedico, acordo cedíssimo, faço todas a séries de braços, pernas, corro na esteira, me mato.

Obviamente, minha rotina não me permite me dedicar com todo esse afinco mais do que três meses seguidos. E daí, em três meses, não alcanço resultado nenhum. O que acontece? Me desmotivo totalmente e quero explodir todas as academias da cidade.

Dia desses, como contei na coluna do Donna de domingo passado, fiz uma visita que havia muito tinha vontade à CiaVital, uma “academia” que foge a todas as regras. Lá fui eu ver o que ela tinha de especial. E olha que é muita coisa. Porque é um lugar seu neura, sem promessas milagrosas, sem pôsteres de gente sarada como que dizendo “aqui, um dia, você vai ficar assim”. Não tem nada disso.

Ela é relativamente pequena perto de outras academias gigantescas, mas é isso que também faz a diferença, porque o atendimento é ultra personalizado. Na sala de aparelhos e esteiras, por exemplo, há sempre um professor de olho e pronto pra atender. Ao lado, na sala de alongamento e exercícios, há sempre pelo menos três fisioterapeutas preocupadas em ver se estamos fazendo o exercício direitinho.

André Xavier, o comandante desse oásis, enxergou lá atrás, há 16 anos, que as pessoas iriam se preocupar mais com a saúde e bem-estar com o passar do tempo. Formou-se em Educação Física pela UFRGS e buscou especialização nos EUA com o mestre Karlman Wasserman. André estava certo.

Hoje, pode-se dizer que faz um trabalho diferenciado em Porto Alegre, voltado para qualquer pessoa, de qualquer idade, desde que com espírito cool e capacidade de enxergar que a tal ” chata” malhação não só pode como deve ser muito prazerosa.

Deixa acabar meu contrato com a academia ali perto de casa. Cia Vital, aí vou eu!!

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Mais uma etapa vencida; mais três corações explodindo de felicidade de voltar pra casa. Em frente. 👊🏻 #bepositive
  • Uma ideia criativa de servir pão (vou imitar) y otras delícias do Bell Café: couve-flor, kebab e húmus (sempre ele!). #telavivfood 😋
  • Se você não vem comigo, nada disso tem valor. De que vale o paraíso sem amor? Se você não vem comigo, tudo isso vai ficar. No horizonte esperando por nós dois.
  • Meu maior e mais soberano amor. ❤️
  • Juntos somos mais fortes. 💪🏻❤️🙏🏻
  • “Minha amiga Mariana Kalil está com câncer. Não é novidade, ela conta tudo a respeito nas redes sociais, e com pormenores, mas eu a acompanho mais de perto, nós conversamos sempre, estamos em permanente contato. Por dois motivos: por gostar muito da Mariana e para tentar ajudá-la com minha experiência no assunto. Mariana, agora, felizmente superou uma das etapas mais dolorosas desse processo de enfrentamento do chamado “imperador de todos os males”. É a fase das más surpresas, quando você recebe uma notícia tão ruim, que parece inverossímil. O homem é o único animal que sente medo do futuro desconhecido, algo terrível. Mas, ante o perigo real, ante o presente concretamente ameaçador, a mente protege o ser humano lançando-o para fora de si mesmo. É como se a dor não fosse dele.” Linda coluna, @david.coimbra2018 . 
Que nossa experiência sirva sempre pra ajudar mais e mais pessoas a compreender nossa complexidade, mas também toda a nossa força, coragem e determinação de ir em frente. Obrigada, amigo querido. ❤️🙏🏻